Gestão inteligente de estoque

Gestão inteligente de estoque

A gestão de estoque engloba uma administração voltada para estocagem, manutenção e contabilidade dos produtos comercializados ou das matérias-primas de uma empresa. O método inclui toda a parte operacional relacionada à separação e recebimento de pedidos, ao planejamento estratégico para um melhor aproveitamento da mercadoria e ao incentivo para novas oportunidades de negócio. É notório que cooperação, tecnologia e integração setorial são a tríade essencial para negócios promissores. E, quando se trata de integração entre gestão de estoque e inovação — aqui representada pelo sistema RFID —, não há melhor receita para alcançar o sucesso. 

Gestão inteligente de estoque

Como foi dito, a gestão de estoque é o desempenho de atividades administrativas focalizadas na estocagem, manutenção e contabilidade dos produtos comercializados ou das matérias-primas de uma empresa. Esse método inclui toda a parte operacional relacionada à separação e recebimento de pedidos, ao planejamento estratégico para um melhor aproveitamento da mercadoria e também ao incentivo para novas oportunidades promissoras de negócio. 

Dispor de uma boa gestão de ativos e estoques é fundamental para a saúde financeira de qualquer empresa, principalmente porque ativos sem utilização e produtos sobrando na prateleira representam ineficiência no aproveitamento dos recursos e desperdício financeiro. No caso do estoque, como todo espaço de armazenagem conta com as suas próprias limitações físicas, a alocação de cada material no estoque deve ocorrer da maneira mais produtiva possível. 

Ao mesmo tempo, o estoque deve ser abastecido de acordo com as movimentações típicas na demanda pelos serviços prestados ou produtos comercializados pela empresa. Em meses de baixo aproveitamento, não há razões para aumentar o estoque desproporcionalmente. Implementar estratégias de acompanhamento em períodos mais curtos de tempo também facilita justamente no sentido de desenhar um panorama sobre quais meses, ou quais períodos de um mês, contam com maiores saídas de produtos.

Outro apontamento fundamental para atingir uma gestão de estoque eficiente é a maximização de resultado através de processos automatizados. Sistemas que direcionam a contabilidade de entradas e baixas de ativos, por exemplo, é um excelente investimento financeiro para agilizar rotinas administrativas. Você consegue, então, determinar em quanto e por qual período o estoque deve ser abastecido. Fique atento às demandas sazonais ou que acompanham datas específicas — como feriados — e planeje as suas aquisições. Padronize também fornecedores, o que pode te ajudar na contratação de serviços por preços mais competitivos.

O RFID e a gestão de estoque

Sabe o “bipe” que soa quando um item é registrado pelo caixa do supermercado? Ele é um leitor óptico, responsável por processar o código de barras e sinalizar qual objeto está sendo comprado. Não é um assunto compartilhado em conversas casuais, e sequer dominado por muitas empresas, mas essa tecnologia caminha rumo à obsolescência, porque já existe um sistema mais novo no mercado. 

Ele é conhecido como Etiqueta RFID (Radio-Frequency IDentification. Em português, Identificação por Rádio Frequência). A rede de identificação por rádio frequência é constituída por uma antena, um transceptor — dispositivo que decodifica o sinal e transmite os dados ao aparelho leitor —, e, por último, por um transponder. Nele que se encontra o circuito e a informação a ser transportada. 

Como funciona a etiqueta RFID

O sistema funciona, sequencialmente, da seguinte forma:

  1. A antena transmite a informação ao emitir o sinal produzido pelo circuito;
  2. Os dados, então, chegam ao dispositivo leitor, onde são convertidos em ondas de rádio;
  3. Por fim, o material é analisado por computadores e cientistas de dados.

No caso específico das caixas registradoras, elas seriam substituídas pela tecnologia RFID logo na saída dos supermercados. Sensores automáticos podem detectar e ler as etiquetas dos produtos por comunicação de curto alcance, sem a necessidade do emprego de trabalho manual. 

Só que o sistema de identificação por rádio frequência é utilizado em outras diversas atividades e setores corporativos. Ou seja, é um sistema que pode, e deve, ser apropriado para uma melhor gestão de estoque. Como um ótimo exemplo, etiquetas a serem coladas em todos os ativos da empresa podem ajudar na contabilidade e gerenciamento de produtos, eximindo a necessidade de balanços periódicos demorados e que exijam emprego de trabalho manual. 

Dessa forma, os produtos podem ser localizados em tempo real! Roubo de cargas e problemas de segurança seriam muito mais facilmente resolvidos e a probabilidade da rede falhar em administrar os produtos é muito baixa. Nunca é tempo desperdiçado lembrar o peso e o significado desses problemas. O RFID é, acima de tudo, sinônimo de custos mais baixos e eficiência dobrada para a sua empresa. 

Benefícios da gestão inteligente de estoque

Pensando mais a longo prazo, o possível diálogo entre ambos os setores —  tecnologia e gestão — proporciona um melhor aproveitamento das capacidades produtivas da empresa. Ainda assim, se existem dúvidas a respeito de como novas soluções podem ampliar a eficiência, a diminuição de custos já é razão suficiente por si só. Nesse sentido, a execução dos pontos elencados no programa talvez venha a ressaltar o impacto da gestão de estoques e do sistema RFID na agilidade decisória. Percebemos, cada vez mais, que a adoção de tecnologia auxilia a dinamizar o emprego dos recursos humanos e materiais. 

O que se deve ter sempre em mente é que o modelo estrutural aqui preconizado pode reestruturar paradigmas consolidados no ambiente administrativo. É enfático que a revolução dos costumes, e das rotinas corporativas, representa uma abertura para a melhoria das diretrizes de desenvolvimento futuras. Cooperação, tecnologia e integração setorial são a tríade essencial para negócios promissores.

Há diversos tipos de empresas. Aquelas que convencem o cliente a ir até onde ele jamais imaginaria chegar; outras que aproveitam estratégias antigas e abandonadas ao longo do tempo, mas ainda funcionais; empresas que respondem ao chamado dos seus clientes; empresas que transformam os seus produtos ou tecnologias em desejo universal e, por fim, aquelas empresas que te levam onde você jamais imaginaria desejar ir.

Conheça a CPCON

A maior empresa na área de Gestão e Avaliação Patrimonial do país é a CPCON. A gestão inteligente de estoque — e a utilização do sistema RFID para melhor uso das capacidades instaladas —  está no centro de todos os projetos e perspectivas de longo prazo. É um resultado que responde à estratégia integrada de solução e inovação, até porque a empresa é detentora dos maiores atestados de projetos e da maior quantidade de itens já realizados em um único inventário, não só no Brasil, como no mundo. 

Progresso, maximização de resultados, gestão de ativos e redução de custos fazem parte da receita para o sucesso. Afinal, empresas que não elaboram boas estratégias de permanência e alavancagem no mercado estão fadadas ao obsoleto. Como disse o empresário Bill Gates, as únicas grandes companhias que alcançaram êxito são aquelas que consideraram os seus produtos no estoque obsoletos, antes mesmo que qualquer outra pessoa o pudesse fazer. 

Deixe uma resposta