A tecnologia de comunicação da etiqueta RFID

A tecnologia de comunicação da etiqueta RFID permite economia de tempo e simplificação de processos. Assim, conhecê-la é muito vantajoso para as empresas.
A tecnologia de comunicação da etiqueta RFID

Com o avanço da tecnologia, surgiu um novo recurso que realizou uma revolução digital para as empresas e seus produtos. A RFID, do inglês Radio Frequency Identification, ou Identificação por Radiofrequência, é a responsável por ter um sistema que armazena dados em um microchip.

Para ser possível esse acontecimento, a empresa tem que possuir todos os componentes do sistema RFID. Ou seja, uma antena, um transceptor e uma etiqueta RFID que funciona por meio da radiofrequência.

Portanto, a tecnologia de comunicação da etiqueta RFID, por meio de ondas eletromagnéticas, substitui os códigos de barra. É por essa tecnologia superior, que usa da radiofrequência, que há como fazer o rastreamento de objetos.

A tecnologia de comunicação da etiqueta RFID faz com que uma empresa consiga controlar e otimizar seu controle de estoque. Além de identificá-lo e isso de forma simples e dinâmica, além de possibilitar as leituras de estoque de uma distância considerável.

Assim, a etiqueta RFID é fundamental para o funcionamento pleno desse sistema. E ela funciona em equipamentos diversos ou, até mesmo, em seres vivos como pessoas e animais. Conheça mais sobre a etiqueta e sobre como a tecnologia de comunicação da etiqueta RFID funciona.

A tecnologia de comunicação da etiqueta RFID e seu funcionamento

A etiqueta RFID é um dispositivo que identifica e rastreia os produtos por meio do sinal de radiofrequência. Para funcionar plenamente, a tecnologia de comunicação da etiqueta RFID possui a estrutura de uma antena e um microchip.

Pela antena integrada, a etiqueta capta as informações e o microchip possibilita o armazenamento de dados. Além disso, uma tag de plástico ou de silicone protege tanto a antena quanto o microchip de agentes externos.

A estrutura da etiqueta RFID permite que as empresas consigam, em sua logística, maior controle do estoque. O controle, também, se aplica aos processos de expedição que se tornam mais rápidos e preciso.

Portanto, essa tecnologia de comunicação da etiqueta RFID cada vez mais está sendo aplicada e usada por diversas empresas. Afinal, ela possui diversificadas aplicações no mercado, desde atuações em pedágio, a rastreamento de animais e identificação biométrica.

A tecnologia de comunicação da etiqueta RFID - tipos
Varias etiquetas RFID

Memória das etiquetas RFID

Há inúmeros modelos de etiquetas e cada um tem sua funcionalidade. De maneira que situações, materiais e temperaturas diferentes requerem certo tipo de etiqueta RFID.

No entanto, escolher a etiqueta certa precisa considerar, também, outros detalhes como o processamento de memória da etiqueta. E há três tipos diferentes de memórias:

Read Only (RO)

As etiquetas RO se caracterizam por ter sua memória apenas para leitura. Isso significa que ela tem apenas um serial number na produção do item e que apenas os dados dessa etiqueta podem ser lidos.

Além disso, sua memória é permanente de maneira que não há como alterá-los.  Ou seja, seus dados podem ser programados apenas uma vez e, geralmente, é o fabricante que faz isso. O que não permite mudanças em relação à programação dos dados.

Write Once Read Many (WORM)

Diferente da primeira, as etiquetas WORM têm a possibilidade de codificação em seus identificadores. Com isso, a memória permite inúmeros códigos, mas que podem ser escritos apenas uma vez e lidos quantas vezes a pessoa quiser.

Mesmo com uma gravação e a possibilidade de várias leituras, não é possível apagar qualquer informação. Só que novas informações podem ser gravadas, fato que faz com que não seja possível adulterá-las.

Read White (RW)

Já as etiquetas RW são as mais versáteis dentre todas. Essas etiquetas têm sua memória que possibilita sua reprogramação, de modo que os dados podem ser apagados e sua leitura e gravação reutilizada por inúmeras vezes.

Tipos de etiquetas RFID

Outro aspecto que a tecnologia de comunicação da etiqueta RFID possibilita é a existência de tipos diferentes de etiquetas.

Etiquetas passivas

As etiquetas passivas são as mais simples dentre as etiquetas e, por isso, as mais comuns. Dessa forma, não têm bateria própria, pois usam de ondas eletromagnéticas da antena do leitor para se carregarem.

Assim, elas transmitem seu sinal com suas informações pela radiofrequência do leitor. De modo que apenas estabelecem comunicação com um leitor e sua distancia é limitada, pois precisa ser curta.

Etiquetas semipassivas

Essas etiquetas são o meio termo entre as etiquetas passivas e ativas por possuir características das duas.

Isso significa que elas têm bateria própria, mas essa bateria tem a função de manter os circuitos internos e não de comunicação. Assim, ela precisa de um leitor para conseguir se comunicar.

Etiquetas ativas

Por último, as etiquetas ativas possuem fonte de energia própria, uma bateria. Essa que tem o objetivo de manter o circuito interno e transmitir as informações e dados da etiqueta RFID.

Por conta da sua funcionalidade, a etiqueta ativa possibilita a comunicação com distâncias maiores. E tem uma grande possibilidade de armazenamento de memória.  No entanto, por apresentar maior complexidade, seu valor e seu tamanho são maiores do que das outras.

Frequência das etiquetas RFID

Outro aspecto da tecnologia de comunicação da etiqueta RFID é a frequência. Sua definição é que ela é aquela que mostra a velocidade da transferência dos dados entre etiquetas e leitor por meio de faixas de frequência. Ela é medida em hertz e mostra o número de ciclos que ocorrem em um intervalo de tempo de onda.

Baixa frequência (LF)

Sua banda é de 125 KHz a 134 KHz em um alcance entre o leitor e a etiqueta de menos de 0,5 metros. Por seu curto alcance de leitura, ela é utilizada em controle de acesso e rastreamento de animais.

Alta Frequência (HF)

Com banda de 13,56 MHz, o alcance das etiquetas HF é de menos de um metro. Por isso, mesmo com baixo custo, ela precisa de uma potência maior nos leitores, de forma que se usa em itens de identificação, como pulseiras, smart cards, bilhetes únicos e bibliotecas.

Ultra Alta Frequência (UHF)

A banda dessa etiqueta é de 860 MHz a 960 MHz e sua distância é muito maior do que as outras por alcançar até 9 metros. Mesmo assim, ela tem baixo custo e tamanho reduzido sendo a melhor opção para controle logístico.

Micro-ondas

Essa etiqueta opera na maior distância, acima de 10 metros, e sua banda varia entre 2,45 GHz a 5,8 GHz. Com a melhor velocidade de transmissão de dados, ela é a mais indicada para controle logístico, mas seu preço é muito elevado. Assim, são projetos industriais, científicos e médicos que procuram mais por essa etiqueta.

Tudo sobre a tecnologia RFID:

Fique por dentro de tudo relacionado a tecnologia RFID

Saiba qual etiqueta RFID você vai usar no seu projeto:

Tipos de etiquetas rfid
0 0 votes
Avaliação do artigo
0 0 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Posts Relacionados