Avaliação Financeira durante e após a Covid-19
Businesswoman. Female manager wearing a skirt and a blouse. Woman holding folder with documents at background of the city landscape.

Avaliação Financeira durante e após a Covid-19

A Avaliação Financeira é um processo essencial na realização da compra, venda e fusão de empresas, conhecido no mercado como M&A. Inicialmente, o que significa este termo? Para quem não sabe, M&A é a sigla em inglês para Mergers and Acquisitions, traduzindo para o português: fusões e aquisições.

Mediante o cenário mundial da Pandemia da Covid-19, existe uma perspectiva do mercado de M&A que estas operações aumentem a partir do segundo semestre de 2020, em função de oportunidades que empresas capitalizadas e investidores possam buscar nas companhias duramente afetadas pela pandemia, adotando como primeiros passos para pós-crise a busca de empresas com grande potencial de retorno econômico, porém fortemente descapitalizadas.

Em função disso a CPCON tem atuado com seus parceiros de consultoria e auditoria para dar apoio nas avaliações de empresas, bens móveis e imóveis, principalmente com o aumento de pedidos de recuperação judicial e falência nos tribunais brasileiros, matéria já comum na mídia nacional.

Apesar de ainda incerto, o cenário brasileiro está propício às operações de fusões e aquisições, por alguns motivos que vêm sendo sinalizados, por exemplo:

  • aumento da receptividade de novos investimentos em função da situação das empresas, com alta probabilidade de admissão de novos sócios para garantir a sobrevivência da operação;
  • taxa de câmbio favorável para investidores estrangeiro;
  • ações do Banco Central favoráveis com a redução da SELIC que geram capacidade de financiamento de atividades empresariais;
  • amplo mercado brasileiro com potencial de crescimento ainda a explorar.

Com este cenário é inevitável a correção forçada do Valuation e, para isso, a CPCON está apta a auxiliar nos projetos de M&A com a realização de laudos de valor econômico e valor de mercado das empresas, além dos serviços Due Diligence, que são realizados 100% na “nuvem” e não têm a sua dinâmica afetada pelas restrições que a pandemia impõe nos deslocamentos e distanciamentos sociais.

O Processo de Avaliação Financeira

O processo de Avaliação Financeira de uma empresa, ou seja, da verificação do valor de mercado da mesma, para fins de venda, fusão ou compra, deve sempre ser pautado em 3 princípios básicos: Transparência, Fundamentação e Credibilidade.

Transparência

O processo de avaliação financeira deve ser desenvolvido sempre de um modo transparente, com base na legislação vigente e de modo a apresentar de maneira simples e direta os dados a todos os interessados. Ser transparente e representar corretamente a realidade da empresa é o atributo primordial de uma boa avaliação financeira.

Fundamentação

Toda a metodologia de avaliação empregada na avaliação financeira de uma empresa também deve ser muito bem fundamentada (baseada em critérios sólidos e justos). Os critérios para avaliação de cada tipo de empresa devem ser baseados no tipo de negócio que ela revela.

O estágio da evolução da empresa também é muito importante: avaliar financeiramente uma empresa estável e bem estabelecida é diferente de avaliar uma empresa que está em desenvolvimento. Quando se avalia uma empresa em desenvolvimento / crescimento (primeiras fases da evolução do negócio) por exemplo, deve-se sempre levar em conta o potencial da mesma pelo menos no médio prazo.

Credibilidade

Falar em transparência e falar em fundamentação sem falar em credibilidade não faz muito sentido. Em uma boa avaliação financeira, todos os dados apresentados devem ter credibilidade e todas as provas necessárias a esta credibilidade também devem ser anexadas. É sempre interessante lembrar que apresentar uma falsa avaliação financeira de uma empresa, um falso balanço patrimonial ou um falso laudo de avaliação de um bem são crimes, enquadrados em gestão fraudulenta ou então crime financeiro.

Fases do Processo de Avaliação Financeira

O processo de avaliação financeira pode ser pautado em 3 fases fundamentais:

1 – Conhecer Bem os Negócios da Empresa a Ser Avaliada

Antes de começar a elaboração da avaliação financeira de uma empresa, deve-se conhecer bem o contexto em que ela atua. Deve-se conhecer em detalhes os negócios que a empresa realiza e, se a empresa atuar em diversas áreas diferentes, todo este contexto deve ser mapeado.

Além de se conhecer bem os negócios, deve-se conhecer também muito bem o patrimônio que a empresa em questão possui, sendo realizado um levantamento completo de todos os ativos, passivos, investimentos e dívidas da mesma.

Abaixo a lista de alguns fatores que podem dar uma boa ideia do estado atual do negócio da empresa, dentro do contexto da avaliação financeira:

  • Lucro e retorno financeiro propiciado pelas atividades;
  • Rentabilidade dos investimentos que a empresa tem feito, seja em capitais ou então em infra-estrutura e ampliação;
  • Valor dos juros que a empresa tem pago por suas dívidas e tamanho das dívidas em relação ao patrimônio da empresa;
  • Prazo médio dos recebimentos da empresa;
  • Prazo médio dos pagamentos da empresa;
  • Taxa de Retorno dos investimentos.

2 – Visualizar o Horizonte da Empresa no Médio Prazo

Visualizar os caminhos que uma empresa está tomando também é muito importante para uma avaliação financeira de qualidade. Do mesmo modo que avaliar com baixo valor uma empresa que está crescendo pode causar prejuízos e distorções em uma negociação, avaliar com um alto valor uma empresa decadente também não é interessante.

Para se poder visualizar o horizonte da empresa, podem ser produzidos alguns documentos e estimativas:

  • Previsão de orçamento da empresa para os próximos meses;
  • Plano de vendas para os próximos períodos, levando em conta as expectativas de aumento ou redução das vendas;
  • Despesas com folha de pagamento, previsão de necessidade de contratar mais funcionários;
  • Previsão de investimentos, amortizações e de depreciação para os próximos meses;
  • Previsão da valorização/desvalorização dos serviços ou produtos negociados pela empresa no mercados no médio prazo.

De posse destes dados, estatísticas e estimativas pode se ter uma boa ideia do rumo que a empresa está tomando.

3 – Avaliação Financeira em Si

Conhecendo bem os negócios, investimentos e dívidas da empresa e conhecendo bem os rumos que a companhia está tomando pode-se, enfim, processar estes dados e produzir a avaliação financeira em si. A partir desta etapa, já começam a ser produzidos os primeiros relatórios e documentos da avaliação financeira.

Estes documentos devem sempre conter:

  • Objetivos da Avaliação Financeira;
  • Análise histórica da atividade da empresa e previsão da performance futura;
  • Modelo financeiro da empresa (transcrição da atividade da mesma em um modelo matemático);
  • Descrição dos métodos de avaliação utilizados;
  • Valores obtidos em moeda (valores finais da avaliação financeira);
  • Anexo com todas as provas necessárias para comprovar os dados acima.

A CPCON realiza em diversos clientes projetos due diligence, valuaton e laudos de avaliação. Acompanhe nossos artigos e saiba mais sobres os temas de gestão e avaliação de ativos. Mande uma mensagem, será bom ouvir sua opinião.

Deixe uma resposta