Quais os tipos de passivos financeiros?

Os passivos financeiros são as obrigações da empresa. Por isso, os gestores precisam saber quais os tipos de passivo de uma empresa para gerenciá-la melhor.
quais os tipos de passivo de uma empresa?

Para a contabilidade e seus atores, os conceitos de ativos e passivos financeiros são fundamentais porque fazem parte da rotina empresarial. Por isso, conhecê-los e saber da sua importância para o balanço patrimonial contribui para uma gestão responsável e segura. Além de, também, seguir as conformidades impostas por lei.

Em sua essência, os ativos são os bens e direitos de uma empresa, como seu dinheiro, móveis e imóveis. Ou seja, eles são tudo o que acrescentará valores para a instituição e afetam a sua liquidez.

Já os passivos são as obrigações empresárias, como as despesas e dívidas da companhia que constituem as contas a pagar. Seja para o governo ou para fornecedores. Por isso, os passivos são os valores que culminam na saída de dinheiro ao serem liquidados. Além disso, não se considera os prazos de quitação ou recorrências dos passivos em sua configuração.

Portanto, considerar e controlar os passivos financeiros é necessário para a saúde financeira de cada empresa. Com essas informações, há como equilibrar a entrada e saída de valores para garantir o lucro.

O que é passivo financeiro?

Passivo é um termo importantíssimo para a contabilidade de modo que sempre estará presente no Balanço Patrimonial. Esse conceito especifica as obrigações e dívidas financeiras da companhia. E não há a distinção de passivos entre pessoas físicas ou jurídicas, qualquer um terá passivos.

Portanto, ao identificar o que é passivo, o gestor conhecerá as despesas e obrigações que fazem a empresa perder dinheiro. Dentre elas estão as despesas de todo e qualquer pagamento.

Um passivo, então, se caracteriza por ser a parte negativa de uma empresa. Ou seja, as obrigações devedoras da entidade, como valores a pagar e dívidas, para com outras companhias ou com seus funcionários.

Além disso, pelo passivo reduzir os lucros e o patrimônio da empresa, quanto maior seu valor, menor será o lucro e valor da empresa. 

Dessa forma, um passivo é qualquer obrigação financeira da empresa, recorrente ou não, que ao ser entendido ajudará no controle e equilibro financeiro. Ao conhecer seus passivos, a empresa saberá exatamente o que precisa pagar e não acabará por se perder com essas obrigações.

Exemplos de passivos financeiros

Para compreender melhor o conceito de passivos, há alguns exemplos que demonstram quais são as obrigações financeiras empresárias que geram saídas de valores:

  • Empréstimos;
  • Financiamentos;
  • Contas a pagar e recorrentes, como internet, água, luz e telefone;
  • Pagamento de fornecedores e prestadores de serviços;
  • Dividas de qualquer origem, como bancárias;
  • Obrigações trabalhistas, como salários e encargos (FGTS e INSS);
  • Obrigações fiscais, como impostos (IRJP, ICMS e IPTU).

Balanço Patrimonial

O Balanço Patrimonial, ou Balanço Contábil, é o relatório contábil e empresarial mais importante de uma empresa. Afinal, ele é o responsável por apresentar a situação financeira da companhia com dados qualitativos e quantitativos. Com isso, manter a sua saúde financeira. 

Dessa forma, ele apresenta de forma clara e precisa a contabilidade e economia empresarial de um período específico.  E isso ao listar e considerar todos os ativos e seus passivos, ou seja, seus bens, recursos, dívidas, direitos, investimentos e lucros.

É por meio do Balanço Patrimonial e seus dados que os gestores identificarão diversos aspectos empresariais. Por exemplo, se é um bom momento para investimentos, se a empresa gera lucros ou não e se é melhor reter os gastos.

Portanto, o Balanço Patrimonial é um levantamento completo e imprescindível que, ao mostrar todas as informações e dados pertinentes, ajuda na gestão empresarial.  É por meio dele que os gestores conseguirão tomar decisões mais assertivas e prudentes.

Para chegar ao Balanço Patrimonial consideram-se três principais informações:

Com isso, o Balanço Patrimonial evidencia a situação financeira e econômica do patrimonial empresarial em certo momento. Ou seja, seus dados são estáticos e demonstram a realidade patrimonial em um período especifico.

Os passivos e o Balanço Patrimonial

É na parte do Balanço Patrimonial dedicada aos passivos que se registram as contas referentes aos deveres e obrigações empresárias.

Por isso, o conceito de ativos é fundamental para a contabilidade e para o Balanço Patrimonial. Sem esses valores, não há como chegar ao saldo que a empresa deve e que perdeu. De maneira que não há como saber se a empresa está gerando lucro ou com seu saldo negativo.

Os ativos

Os ativos são os bens e direitos de uma empresa, sendo caracterizados por tudo o que a companhia tem e gerará valor monetário para ela. Isso significa que os ativos sempre se convertem em dinheiro e ele é um acréscimo ao valor de caixa.

Os bens são o dinheiro em caixa e outros capitais, já os direitos são os valores a receber, como, por exemplo, as dívidas.  Dessa forma, os ativos podem ser imóveis, imobiliários, veículos, softwares e capital intelectual. Ou seja, há inúmeros tipos de ativos e cada um tem a sua particularidade e especificação.

Além disso, os ativos sempre serão o lado positivo da Balança Patrimonial, enquanto os passivos estão no lado negativo.

Dentro da Balança Patrimonial, considera-se dois tipos de ativos, os circulantes e os não circulantes.

  • Ativos circulantes: os ativos circulantes são os recursos, bens e direitos empresárias que se transformam em valores imediatamente. Ou seja, o saldo positivo entra no caixa de modo imediato ou até um ano;
  • Ativos não circulantes: ao contrário dos primeiros, os ativos não circulantes são os recursos, bens e direitos empresárias que se transformam em valores em um prazo maior do que um ano. Em sua maioria, os ativos não circulantes são os ativos intangíveis, que não têm presença física, mas geram benefícios econômicos.  Assim como os ativos tangíveis, os que têm presença física.

Patrimônio Líquido

O Patrimônio Líquido, dentro do Balanço Patrimonial, é encontrado por meio da conta Patrimônio líquido = ativos – passivos.

Dessa maneira, esse conceito demonstra o capital que efetivamente uma empresa possui em seu caixa. Além de como conseguir sanar todas as suas obrigações e quais ativos usar para essa finalidade, de maneira que ele se transforme em uma reserva financeira.

Por isso, o Patrimônio Líquido permite maior previsibilidade para a empresa em relação as suas questões financeiras. Por exemplo, se a empresa possuir mais passivos do que ativos, sua saúde financeira está comprometida.

Também, esse conceito engloba diversas contas, são elas:

Quais as diferenças entre ativos e passivos?

Os ativos e passivos se complementam, principalmente quando se considera o Balanço Patrimonial. No entanto, há diversas diferenças entre esses termos e a principal se refere aos fluxos monetários da companhia.

Afinal, os passivos são as saídas de dinheiro, os gastos. Enquanto os ativos são os recursos que geram entradas de valores e os benefícios empresariais.

A importância do passivo

Ao compreender o que é um passivo, o gestor consegue verificar qual é a importância dos passivos da empresa. Esse conceito implica diretamente no Balanço Patrimonial da empresa para que a saúde financeira se mantenha estável e sempre em crescimento.

Por isso, os passivos têm a importância de fazer com que a empresa busque pelo equilíbrio entre passivos e ativos. E isso para que as informações sobre sua rentabilidade sejam verídicas e seguras.

Também, a importância dos passivos se estende para os gestores conseguirem controlá-los de maneira eficaz. Para que eles não influenciem nos lucros e nem em investimentos futuros e mostrem que a empresa consegue se manter no mercado.

Tipos de passivo

Há inúmeros tipos de passivo e cada um tem sua peculiaridade e importância dentro da estrutura financeira organizacional. Dessa forma, os passivos mostram a origem dos recursos aplicados e, como essas obrigações fazem com que se percam valores.

Ao representar o saldo devedor da empresa, os passivos podem se categorizar pela sua natureza e pelo seu tipo. Assim, há diversos tipos de passivos de empresa e cada um tem sua particularidade.

passivo exigível

Passivo exigível

Uma empresa compõe seu caixa por ativos e passivos, e dentre os tipos de passivo está o passivo exigível. O passivo elegível se caracteriza por ser o conjunto dos passivos circulantes e dos passivos não circulantes de uma empresa. Ou seja, esse conceito é uma junção de ambos.

Dessa forma, o passivo exigível se refere às atividades financeiras e contábeis da empresa que são suas obrigações. E, assim, geram saída de valores de seu caixa de forma a impactar as contas da companhia.

Uma das grandes abrangências do passivo exigível é as dívidas com terceiros que, obrigatoriamente, devem ser quitadas dentro de um período de tempo específico. Para encontrá-las, precisa-se analisar o Balanço Patrimonial e verificar os valores atualizados até a sua data de fechamento.

Exemplos de passivos exigível

Há algumas contas que abrangem o passivo exigível, dentre elas as mais conhecidas são:

  • Obrigações;
  • Litígios, como atuações judiciais, trabalhistas e fiscais que estão em ocorrência;
  • Dívidas com terceiros;
  • Riscos e contingências;
  • Empréstimos;
  • Pagamento de serviços;
  • Compras de fornecedores.

Passivo exigível a longo prazo e passivo exigível a curto prazo

Todas as contas do passivo exigível precisam ser sanadas, no entanto, antes disso é essencial registrá-las e reconhecê-las. Ou seja, o Balanço Patrimonial é o documento que registrará esses dados, já que esses passivos impactam no lucro da empresa.

Assim, para que a empresa consiga pagar suas contas, ela precisa de um prazo de tempo para se organizar. Afinal, as dívidas vencem em algum momento.

Em geral, as empresas tendem a parcelar suas contas, o que culmina em um passivo exigível a longo prazo. Isso significa que se a conta tiver um vencimento e for paga em um período acima de um ano, o passivo exigível será de longo prazo. Já contas com vencimento e pagamento em menos de 12 meses, são passivos exigíveis a curto prazo.

Uma dica para que as empresas consigam se organizar em relação ao pagamento das dívidas, é estabelecer prioridades de pagamento pela data de vencimento. Ou seja, quanto mais próxima a data de vencimento, maior deve ser a prioridade para que o prazo não seja perdido e não gere multas.

Atrasos no pagamento geram multas e são vistos com maus olhos por investidores e pelo mercado financeiro em geral.

passivo circulante

Passivo circulante                 

O passivo circulante se caracteriza por ser as obrigações financeiras da empresa, despesas e dívidas com período de vencimento menor do que 12 meses. Ou seja, esses passivos precisam ser quitados dentro do exercício social da empresa, que é menos do que um ano.

Para conseguir pagar um passivo circulante, recomenda-se que ele seja pago com o ativo circulante. Já que ambos são a entrada e saída de valores imediatos ou em até um ano.

Com isso, ao reconhecer e controlar esse passivo, a empresa terá um bom planejamento financeiro. Já que o gestor saberá quais serão seus gastos e a quantia para quitá-los durante 12 meses.

Isso significa que o passivo circulante é um dos mais importantes dentro do planejamento financeiro da instituição. E pelo Balanço Patrimonial, descobre-se se ele está maior do que o ativo circulante, informação importante para saber como equilibrar o orçamento.

Exemplos de passivos circulantes

Se esses passivos são as despesas, dívidas e obrigações financeiras que vencem em até um ano, são exemplos de passivos circulantes:

  • Empréstimos;
  • Notas promissórias;
  • Boletos;
  • Faturas;
  • Aluguel;
  • Luz;
  • Água;
  • Telefone;
  • Impostos;
  • Salários de funcionários;
  • Internet;
  • Fornecedores;
  • Aquisição de matéria-prima.

Passivo não circulante

Ao contrário do passivo circulante, os passivos não circulantes se caracterizam por serem as despesas, dívidas e obrigações financeiras com vencimento maior do que 12 meses.

Portanto, a diferença entre ambos diz respeito aos prazos de pagamento. O passivo não circulante tem um prazo de mais do que um ano para que suas obrigações sejam quitadas.

Dessa forma, o passivo não circulante e seu controle, também, são fundamentais para manter a saúde financeira das empresas.

Exemplos de passivos não circulantes

 Os passivos não circulantes têm um prazo maior de quitação, por isso se diferenciam um pouco dos exemplos de passivos circulantes.

  • Empréstimos que possuem longo prazo, como os bancários;
  • Contribuições financeiras de acionistas, sócios ou investidores;
  • Títulos de créditos de empréstimos;
  • Compras que se dividiram em prestações que ultrapassam mais de um ano.

Passivo circulante e passivo não circulante no Balanço Patrimonial

O passivo não circulante e o circulante são igualmente importantes para o Balanço Patrimonial, assim como seu funcionamento para esse relatório é idêntico. Dessa forma, esses dois passivos se encontram do lado direito do Balanço Patrimonial junto ao Patrimônio Líquido.

passivo ambiental

Passivo ambiental

Em um mundo cada vez mais sustentável e preocupado com os impactos ambientas, o passivo ambiental é fundamental para as empresas.

Por isso, de maneira geral, o passivo ambiental se caracteriza por ser os resíduos que uma empresa produz. Ou seja, ele é uma soma de todos os danos ambientas que uma empresa causa. No entanto, a empresa precisa reparar esses danos de alguma forma.

Quando esse conceito se associa à contabilidade, o passivo ambiental é todas as obrigações que envolvem a empresa e o meio ambiente. Isso significa que as companhias têm a obrigação e dever de aplicar capital a curto ou longo prazo para reparar seus danos ambientais. Afinal, atividades empresariais, geralmente, geram desequilíbrios ambientais.

Passivo ambiental exemplos

Os passivos ambientas geram desequilíbrio na natureza, por isso as empresas têm diversas obrigações para reparar seus danos. Dentre esses danos, são exemplos de passivo ambiental:

  • Poluição sonora;
  • Poluição de rios;
  • Destruição de áreas verdes;
  • Emissão de gases poluentes;
  • Contaminação de solo ou de águas subterrâneas;
  • Lixo descartado incorretamente;
  • Despejo de produtos químicos na natureza.

Assim, ao realizar qualquer passivo ambiental, a empresa deve arcar com multas, indenizações e penalidades por conta da sua postura em relação ao meio ambiente. Além disso, pode arcar também com exigências como reflorestamento, recuperação de áreas degradas e criação e execução de projetos ambientais.

Passivo permanente

Outro tipo de passivo é o passivo permanente. Esse passivo compreende todas as dívidas, fundadas ou não, que dependem de autorização legislativa/orçamentária. É essa autorização que permitirá a amortização ou resgate dessas dívidas. Ou seja, são obrigações sem empenho.

Passivo financeiro

O passivo financeiro, diferente do passivo permanente, não depende da autorização legislativa/orçamentária para pagamento. Isso significa que ele é uma obrigação contratual em que uma empresa precisa entregar dinheiro ou outro ativo para outra companhia. Ou esse passivo deve ser trocado em condições desfavoráveis.

Na Lei 4.320, essas obrigações são chamadas de dívidas fundadas, ou de dívidas flutuantes. Dessa forma, todas as dívidas flutuantes estão dentro do passivo financeiro.

Ou seja, um passivo financeiro é qualquer item empresarial que gerará algum custo. Seja pela sua manutenção ou por qualquer gasto que ele tenha. Assim, a quatro tipo de passivos financeiros:

  • Passivo a descoberto: ocorre quando os passivos são maiores do que os ativos na Balança Patrimonial. Ou seja, o saldo devedor é maior do que o saldo positivo;
  • Passivo circulante: são os passivos que deverão ser pagos em até 12 meses;
  • Passivo fictício: esse tipo de passivo mostra as dívidas e contas da empresa que ela já pagou. Por isso, esses dados não entram no Balanço Patrimonial;
  • Passivo elegível: por último, o passivo elegível é aquele que a empresa não tem obrigação de pagar.

Passivo e ativo financeiro

Enquanto os passivos financeiros são os gastos de empréstimos, financiamentos ou qualquer despesa com encargo financeiro, o ativo é o valor que a empresa deverá receber. Portanto, os ativos financeiros são qualquer bem ou posse da empresa que gerará renda a curto, médio ou longo prazo.

Passivo operacional

O passivo operacional é um tipo dos passivos circulantes. Dessa forma, ele se caracteriza por ser as operações da empresa que geram saídas de valores. Como pagamentos de fornecedores e funcionários, além de impostos, mas que têm vencimento menor do que 12 meses.

Ou seja, as contas do passivo operacional, como o nome sugere, se relaciona ao ciclo operacional da companhia.

Passivo Flutuante

Esse tipo de passivo se diferencia dos outros por conta do seu tempo, ou seja, ele tem um curtíssimo prazo de sanar as dívidas dos passivos circulantes. Além disso, esse tipo de passivo não tem vinculação direta com qualquer operação da companhia.

Passivo a descoberto

O último tipo de passivo é o passivo a descoberto. Esse passivo é um dos maiores medos da empresa, por isso precisa ser conhecido. Afinal, ele apresenta que uma dívida empresarial é maior do que o saldo positivo que a companhia possui.

Com isso, o passivo a descoberto mostra que a empresa está com saldo devedor e não tem caixa para quitar essa dívida. Portanto, ele é o passivo que mais deve ser evitado dentre todos e isso para não tirar a credibilidade da empresa perante o mercado.

passivo contabilidade

Passivo e seu significado para a contabilidade

Para a contabilidade, o passivo é um dos mais importantes termos e conceitos. Afinal, ele corresponde as obrigações da empresa que culminam na saída de dinheiro. Com isso, encontra-se o resultado, um saldo, proveniente das obrigações devidas.

Por isso, mesmo que a entidade consiga controlar seus recursos, conhecer seus passivos pelo Balanço Patrimonial é fundamental. Com esses dados, a entidade conhecerá melhor sua saúde financeira e se ela está negativa. Se sim, esse dado auxilia na tomada de decisões para reverter esse quadro, sanar as dívidas e conseguir lucrar.

Portanto, fazer o Balanço Patrimonial e entender os dados sobre os passivos, pode ser uma tarefa um pouco complicada. No entanto, não se preocupe! O grupo CPCON é especializado em serviços da área da contabilidade, de maneira que atua com serviços completos, seguros e confiáveis para a contabilidade empresarial.

Com mais de uma década de atuação no Brasil e ao redor do mundo, o grupo CPCON oferece consultorias. Além de realizar o Balanço Patrimonial e outros demonstrativos financeiros que mostram os passivos da empresa.

Pelas informações provenientes, a empresa conseguirá organizar seus pagamentos, estabilizar e melhorar sua saúde financeira. E tudo isso com a ajuda do CPCON. Portanto, não deixe de entrar em contato conosco para começar hoje mesmo a organizar e melhorar as finanças empresariais. Tudo isso auxiliará no crescimento, desenvolvimento e estabilização da empresa, além de alcançar o almejado lucro!

0 0 votes
Avaliação do artigo
0 0 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Posts Relacionados