Valor Justo é o mesmo que Valor de Mercado? Contabilidade

Valor Justo é o mesmo que Valor de Mercado? Entenda a diferença
O termo valor justo é frequentemente confundido com valor de mercado.

Você sabe o que é valor justo e para que ele é utilizando quando aplicado dentro do mercado financeiro? Pois, compreenda que o conceito engloba um preço decorrente de uma transação onde haja compra/venda de ativos.

Ou mesmo de passivos, tendo duas partes que realizam o processo conforme deve ser feito. Então continue lendo o artigo e fique atualizado a respeito do assunto e de todos os detalhes que compõem o tema.

Pontos Chave

  • Valor justo: Um preço a ser obtido mediante uma venda (ativo) ou com pagamento por uma transferência (passivo). Onde a transação não seja forçada e que respeite a data da mensuração;
  • Valor de mercado: Preço na qual um determinado ativo/passivo é negociado. Sendo que isso ocorre no mercado livre e que seja competitivo;
  • CPC 46: Norma técnica que é voltado a Mensuração do Valor Justo. Contando com regras e diretrizes para este procedimento;
  • CPC: Órgão nacional que rege e administra as normas contábeis no país;
  • IASB: Órgão internacional que elaborada e controla as normas contábeis a nível internacional.

Qual a diferença entre valor justo e valor de mercado?

O valor justo e o valor de mercado são conceitos próximos, mas com diferenças importantes:

  • Valor justo: É o preço pelo qual um ativo seria vendido em uma transação real entre partes dispostas e informadas, considerando as condições de mercado no momento da avaliação.
  • Valor de mercado: É o preço pelo qual um ativo está sendo negociado no mercado em um determinado momento.

Em resumo, o valor justo é uma estimativa do valor de mercado, considerando diversos fatores como perspectivas futuras e riscos. Já o valor de mercado é o preço real de compra e venda do ativo no momento.

Exemplo: Imagine uma ação que está sendo negociada a R$ 10,00 no mercado. O valor justo dessa ação pode ser maior ou menor que R$ 10,00, dependendo da avaliação de fatores como o potencial de crescimento da empresa e as condições da economia.

O que é valor na contabilidade?

O termo valor tem grande significado na área contábil, sendo uma qualidade para as pessoas, coisas ou feitos. Dessa forma, compreenda que tal área lida com uma ciência que tem a responsabilidade de:

  • Informar;
  • Estudar;
  • Avaliar.

E isso é feito para saber exatamente todos os detalhes que regem o patrimônio de uma empresa. De tal forma que o valor justo e o valor de mercado são alguns dos elementos presentes no setor.

Ao passo que se torna possível observar o desempenho financeiro de uma empresa. Mostrando as evoluções dela com o passar do tempo para que os interessados possam verificar se vale a pena investir nesta organização.

Por certo, compreenda que outras variáveis inclusas no processo são o preço, ajuste e o custo. Sendo que o valor é o que foi obtido mediante uma aquisição (compra).

Vale destacar que alguns métodos de avaliação disponíveis são (valor):

  • Troca;
  • Ativos e dos passivos;
  • Cotação;
  • Técnicas (valorização);
  • Mercado.

O que é valor justo na contabilidade?

Você viu o que vem a ser o termo “valor” no universo da contabilidade. Agora vamos entender o que é o valor justo e para que ele é aplicado. Dessa forma, compreenda que o mesmo pode ser chamado também de fair value.

Enquanto que resumidamente seria um preço obtido através de alguma transação que envolva compra ou venda. De um determinado ativo ou de um passivo, contando com duas partes que atendem aos critérios.

Refletindo assim o valor de mercado que é real de um certo item em data (avaliação). E isso independe também de qual é o custo histórico deste ativo/passivo em questão.

Além disso, entenda que para melhores resultados é utilizado o . Que é um pronunciamento com várias regras, bases e diretrizes, sendo que ele segue as normas da IASB.

De tal forma que é relacionado diretamente com a IFRS 13 que traz detalhes deste procedimento. Em resumo, saiba que temos um valor justo a ser recebido e a outra parte está disposta a realizar este pagamento.

Onde há uma negociação específica a respeito dos ativos e passivos que participam da atividade. Em termos de definição, entenda que o conceito consegue otimizar as demonstrações e os relatórios financeiros.

Visto que a mensuração que é realizada tem como base principal o próprio mercado financeiro. Como resultado disso, compreenda que tudo ficará mais claro, transparente e visível para os stakeholders (investidores, acionistas, entre outros).

Por fim, saiba que para a mensuração são utilizados os dados (históricos) e também as conotações (ativos e passivos). Sendo necessário contar com métodos de avaliação que se mostrem apropriados no processo.

Como mensurar o Valor Justo?

Os números, dentro da contabilidade, sempre passam a impressão de exatidão. Por isso, a mensuração, nessa área, é a maneira de tradução monetária dos valores econômicos dos produtos, serviços e eventos. 

Portanto, ao mensurar ativos, passivos, receitas e despesas, o responsável determinará o preço dos elementos.  E isso por intermédio de uma base ou critério de avaliação.

O Valor Justo mostra a quantidade de recursos que é possível obter por uma troca de ativo ou liquidação de um passivo. Assim, para mensurar esse valor é essencial que a companhia leve em consideração as características tanto do ativo quanto do passivo.

Mas apenas se os constituintes do mercado também levarem isso em consideração. Ou seja, a empresa e os membros do mercado precisam se atentar para:

  • A condição e lugar do ativo;
  • Limitações, caso haja, para a venda e uso do ativo.

Dessa forma, a mensuração resultará em um Valor justo que pode diferir. E isso por conta da análise de como o ativo ou o passivo são considerados pelos integrantes do mercado. Assim, esses podem ser individuais ou um grupo de ativos, passivos ou de ambos.

Com isso, calcular o Valor Justo enuncia que suas características, ser passivou ou ativo, são trocadas. O que ocorre dentro de uma operação não coagida entre os partícipes do mercado para a venda do ativo ou a transmissão do passivo no período de mensuração.

De modo a sempre considerar as condições atuais de mercado. Portanto, para determinar o Valor justo é essencial usar os dados objetivos, os ativos e passivos. E o método que se utilizou deve estar descrito nas notas explicativas.

Quais são os níveis hierárquicos para mensurar o Valor Justo?

Para conseguir mensurar o Valor Justo é preciso analisar o mercado o qual o objeto da mensuração se encontra. Dessa forma, há como observar os preços de transações dos objetos.

No entanto, há alguns casos em que não tem como encontrar ou observar o preço. E, assim, precisam-se utilizar outros métodos de avaliação. Técnicas essas que tem que maximizar quaisquer conhecimentos observáveis expressivos para usá-los.

Portanto, para conseguir verificar o Valor Justo em que não há o preço é essencial que isso ocorra através de 3 níveis hierárquicos:

  • 1: Preços cotados advindos de um mercado ativo, de modo que eles sejam ativos e passivos exatamente iguais;
  • 2: Informações observadas de maneira direta ou indireta, com exceção de preços avaliados;
  • 3: Itens que não são possíveis de observar.

Dessa forma, o nível 1 é o mais confiável e ideal e sempre deve ser usado quando essas informações estiverem disponíveis. Caso não estejam, a empresa deverá usar o nível 2 e 3.

Ao identificar e seguir esses níveis, assim como conhecer o ativo e passivo do Valor Justo, é possível defini-lo. De maneira a conseguir o verdadeiro dado que se busca.

Técnicas de mensuração do Valor Justo

Para conseguir estimar o Valor Justo, existem algumas técnicas de mensuração que a empresa deverá usar.

Fluxo de Caixa Descontado (FCD)

A primeira técnica, que é a mais utilizada e aceita para definir o valor justo, é a técnica do Fluxo de Caixa Descontado (FCD). Essa técnica avalia certo ativo ou uma determinada empresa. Por meio do desconto da taxa de desconto, aquela que é o retorno que o investido exige, na geração da caixa futura.

Para formular a taxa de desconto dos fluxos do seu caixa. E, para isso, precisará considerar fatores como:

  1. Custo médio de capital e prêmio do capital investido;
  2. Taxa livre de risco;
  3. Risco do negócio de do país.

Com a análise desses fatores, conseguirá a taxa de desconto. Que se assemelha com uma média ponderada dos pontos descritos. 

Ou seja, o FCD projeta os benefícios econômicos futuros de uma organização ao considerar a melhor forma de utilizar o ativo. E, com isso, considera os riscos do negócio e a possibilidade de retorno do capital investido.

Projetam-se os fluxos de caixa segundo as expectativas do desempenho. Mas se considera os fluxos de caixa futuros que serão descontados no valor que já existe. Por isso, é essencial considerar os modelos de mercado e de negócio. E isso para compreender a avaliação do valor justo e do que se pretende com o bem avaliado.

Portanto, divide-se o Fluxo de Caixa Descontado em cinco etapas:

  • Projetar os fluxos de caixa no período de crescimento;
  • Determinar através de cálculos o fluxo de caixa;
  • Orçar a taxa de desconto;
  • Contar o preço dos fluxos de caixa presente;
  • Analisar os resultados.

No entanto, estimar o Valor justo das empresas de uma forma mais confiável com o FCD envolve conhecimento técnico. Além de maior experiência e vivência de mercado.

Valuation por Valor Patrimonial

Empresas que estejam com contas no vermelho devem optar por essa técnica de estimar o Valor Justo. No entanto, mesmo que esteja no vermelho, o negócio precisa ter o seu capital elevado. 

Dessa forma, no Valuation por Valor Patrimonial se deve considerar os ativos tangíveis ou intangíveis. Ou seja, tangíveis são aqueles bens das empresas concretos, como capital físico e financeiro.

Já os intangíveis são os que não são possíveis tocar, mas que se percebem, como as marcas, estratégias e valores da instituição. No entanto, também é necessário considerar os passivos da empresa nos cálculos.

E, por meio dos valores dessas características, precisará calcular os ativos – passivos para alcançar o preço patrimonial.

Valuation por Múltiplos de Mercado

Quando uma empresa não possui nem ativos e nem ganhos, mas o empresário deseja saber seu Valor Justo, ele precisará calcular pelos Múltiplos. Ou seja, esse método tem a concepção de que as companhias de mesmo segmento apresentam valores semelhantes.

Assim, usa-se a comparação das empresas semelhantes para definir quais múltiplos indicadores comparar. Dentre eles estão Múltiplos de:

  1. Receita: esses que consideram apenas as quantias ganhas ou arrecadadas;
  2. Lucro: que, para achá-los, precisa-se dividir o preço (P) pelo lucro (L), ambos de ação;
  3. Valor patrimonial: os quais dividem o valor de mercado pelo patrimônio líquido da empresa;
  4. Faturamento: que estabelecem valores a partir dos rendimentos de um tempo específico.

CPC 46 – Mensuração do Valor Justo

O CPC 46 consiste num pronunciamento técnico (norma) que trata dos assuntos relacionados a Mensuração do Valor Justo. Desse modo, compreenda que a documentação serve como base para o processo.

Com isso, saiba que os objetivos da norma são os seguintes:

  • Definição do que vem a ser valor justo;
  • Indicação da estruturação para que seja feita a mensuração. Seguindo 3 etapas, sendo as cotações (mercado), os modelos de precificação e as técnicas para avaliação.
  • Elaborar divulgações (mensurações) de valor justo.

Quanto a aplicação, compreenda que ela é voltada a todas as entidades que precisam elaborar demonstrações financeiras. De tal forma que isso terá que seguir corretamente as normas nacionais de contabilidade.

Já os impactos da norma CPC 46 incluem:

  • Comparabilidade otimizada (demonstrações financeiras);
  • Garantia de uma maior transparência;
  • Informações contábeis com muito mais qualidade.

Vale ressaltar que o termo valor justo no pronunciamento CPC 46 é visto como sendo:

  • Um preço (transação) de alguma venda ou mesmo uma transferência de um passivo;
  • Onde haverá duas partes interessadas e que aceitaram participar de tal negociação;
  • Sem que nenhuma delas possa sair prejudicada na atividade;
  • E o valor é acordado entre ambas, tanto a vendedora quanto a pagadora.

Ademais, compreenda que na norma há ainda o parágrafo 42 que determina os participantes do mercado. Dessa maneira, entenda que a mensuração do valor justo necessitará das premissas (precificações) dos ativos/passivos. Ou seja, apenas será mostrado o que os participantes tenham em comum.

De fato, entenda que o objetivo deste pronunciamento é chegar ao valor justo. Bem como gerar um formato para que tal valor possa ser calculado corretamente. Divulgando assim todos os dados pertinentes.

A definição de avaliação a Valor justo

A avaliação a Valor Justo (AVJ) mostra a quantia de negócios de um ativo ou passivo. De maneira a mostrar o montante pelo qual eles estão sendo vendidos.

Com isso, a negociação envolve itens e esses devem ser analisados conforme as posições do setor. No entanto, a análise precisa acontecer no período de tempo de mensuração, pois o mercado e seus valores variam.

E para analisá-los é essencial fazer isso perante os artigos 183, VII da Lei 6.404/1976. Além do artigo 184, III que pertence à Lei 11.638/2007. Afinal, foi a resolução do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) número 1.428/2013 que avaliou e regulamentou a AVJ.

E isso por meio do CPC 46 para mostrar a venda de ativos ou transferência de passivos. E o impacto deles nos resultados da gestão e elaboração de estratégias. 

Saiba calcular o Valor justo

A determinação do valor Justo é feita quando o profissional considerar 3 características essenciais:

  1. Mercado;
  2. Receita;
  3. Custo.

Aplicações do Valor Justo

O grupo CPCON é uma empresa que se destaque no ramo de consultoria financeira para outras corporações.  De modo que tem destaque no Brasil e, também, fora do país principalmente na gestão de ativos e avaliações de bens. 

Dessa forma, no mercado há mais 25 anos, essa empresa atua com muitos projetos que definem o Valor justo das empresas. Além de prestar serviços para as outras formas de utilizar o Valor justo que são:

  1. Reavaliar os ativos;
  2. Testar o Impairment;
  3. Combinar negócios;
  4. Verificar os domínios para investimento e os títulos e montantes mobiliários;
  5. Reconhecer de receitas;
  6. Considerar ativos biológicos e derivativos.

Dessa forma, reconhecer o Valor justo e suas aplicações pode ser complexo. Por isso, uma empresa deverá recorrer a CPCON, que é confiável, experiente e de reconhecimento internacional, para auxiliar com o patrimônio da empresa.

Quais são os métodos de avaliação do Valor justo?

O CPC 46 postula, no parágrafo 61, que cada entidade precisará usar formas de avaliação apropriadas. E isso nas circunstancias em que se encontram para conseguir gerar dados suficientes para encontrar e verificar o Valor justo.

Desse modo, há três métodos de avaliação que são usados para determinar o Valor justo, são as abordagens de: 

Mercado: Para determinar o Valor justo com essa abordagem, é essencial considerar os preços verificados. Além de outras informações do produto, mas que sejam relevantes, como transações de ativos e passivos;

Receita: Esse método é também conhecido como FCD, que já foi explicado nesse artigo. Dessa forma, ele mensura os montantes futuros, considerando a taxa de desconto, em um preço presente;

Custo: A Abordagem de Custo se baseia no preço de devolução ou substituição. Por isso também se conhece como Custo de Reposição, e pode utilizar o ajustamento por obsolescência do ativo, para depreciar seu preço final.

A importância do Valor Justo e de sua aplicação

Estimar o Valor justo não é importante apenas para situações em que a legislação exige. Pois essa mensuração também pode ocorrer no cotidiano de empresas e de pessoas. De modo que aparecem em compras, investimentos e vendas.

Assim como em dissoluções de sociedades diversas, como conjugais e empresárias. Além de discussões judiciais ou extrajudiciais e duvidas sobre valores de ativos ou passivos. 

Há riscos em usar o Valor Justo?

O Valor justo, assim como outros conceitos da contabilidade, possui certo grau de riscos. Mas os riscos do Valor justo só acontecem quando a utilização dele apresente seus critérios de forma subjetiva. 

Pois, assim, as informações não serão certas e concretas, de modo que possa comprometer a qualidade do resultado. Portanto, é essencial a presença de valores e informações concretas. 

Também, o Valor justo considera um tempo de mensuração. Ou seja, o mercado é rotativo e os preços tendem a mudar constante, de modo que é essencial considerar um espaço de tempo específico.

É necessário determinar o valor justo se baseando em evidências do mercado. E isso se consegue mediante análises que profissionais qualificados fazem. Portanto, busque pela CPCON para realizar essa mensuração para sua empresa.

Exemplo de utilização do valor justo

Embora seja um conceito um pouco complexo, saiba que o valor justo pode ser entendido com facilidade. Visto que através de exemplos ficará mais simples de visualizar os cenários.

Veja um exemplo:

  • Pessoa realiza a aquisição de um imóvel;
  • Este bem tem um valor específico conhecido como X;
  • Contudo, entenda que ele carece de reformas;
  • Então o proprietário realiza a venda logo após fazer tais ajustes;
  • Só que isso valorizou este imóvel que terá um preço mais elevado;
  • Onde será superior ao valor efetuado de compra dele;
  • Já o interessado na aquisição irá considerar o preço justo e fechará a negociação.

Por certo, compreenda que o valor justo é aquele que estará sendo considerado adequado por ambas as partes. Como resultado disso, entenda que o processo resultará em vantagem para as duas partes.

O que é valor de mercado?

O conceito de valor de mercado é visto como um preço de transação para um ativo ou passivo. De tal forma que isso é feito num mercado que seja livre e também competitivo.

Refletindo assim o valor real do item caso o mesmo tivesse sido vendido ou adquirido. Com isso, compreenda que ele se diferencia do valor contábil em alguns aspectos:

  • Mercado (valor): ele é bastante dinâmico e apresenta variações com o passar do tempo. Seguindo as condições que estão presentes no mercado atual;
  • Contábil (valor): custo (histórico) de um determinado item, diminuindo as depreciações e as amortizações (acumuladas) deste ativo/passivo.

Além disso, saiba que temos valor justo que participa do mercado, porém é distinto em alguns aspectos. Na sequência estaremos mostrando as principais diferenças entre valor (justo) e o valor de mercado de um item.

Confira um exemplo prático do valor (mercado):

  • Empresa adquire um certo terreno no valor de R$ 100.000,00;
  • Tendo uma depreciação de aproximadamente R$ 60.000,00;
  • Contudo, saiba que se terrenos parecidos na mesma região valerem R$ 150.000,00, então ele tem este valor específico.

Diferença entre valor justo e o valor de mercado em detalhes

Você deve saber que estes dois conceitos contábeis apresentam algumas diferenças importantes. De tal forma que o valor justo tem como característica ser um preço (recebido) por uma venda (ativo).

Desde que tal transação não seja forçada pelos participantes em data onde ocorreu a mensuração. Enquanto que o valor de mercado consiste num preço para um ativo/passivo nas transações feitas em mercado (livre e competitivo).

Onde os participantes se demonstram dispostos quando acontecer a data da avaliação. Já os pontos chaves da negociação englobam:

  • A transação pode ser forçada no valor de mercado, porém no valor justo isso não ocorre;
  • No valor de mercado determina-se com facilidade os ativos que sejam de mercado líquido. Agora no valor justo isso é mais complicado devido a baixa liquidez dos ativos;
  • No valor justo busca-se alcançar uma medida (objetiva) para o valor. Entretanto, compreenda que no valor de mercado os fatores (subjetivos) podem gerar influência. Tais como as opiniões de um avaliador.

Decerto, compreenda que ambos os termos se relacionam em certos aspectos, são eles:

  • No valor de mercado temos um tipo de componente que ajuda na determinação do valor justo;
  • Isso é feito de forma especial naqueles ativos que são considerados de mercado ativo;
  • Em valor justo considera-se uma certa estimativa em valor de mercado.

Conclusão

De acordo com o artigo vimos que o valor justo e o valor de mercado são conceitos importantes. Dessa forma, compreenda que ambos os termos são aplicados ao mercado financeiro.

Sendo que a base da mensuração em valor justo inclui o CPC 46 que lida justamente deste assunto. Assim, entenda que você deve seguir as regras, bases e diretrizes da documentação.

Bem como das outras normas relacionadas para que tudo fique conforme o esperado. Portanto, saiba que o ideal é implementar a norma em sua empresa e realizar um bom treinamento em sua equipe.

Perguntas Frequentes

Quando utilizar o valor justo e quando é aplicado o valor de mercado?

Alguns elementos e fatores indicam a melhor escolha, sendo a natureza (ativo/passivo), a disponibilidade das informações e os objetivos de tais mensurações.

Vantagens e as desvantagens dos valores justo e de mercado

O valor justo é benéfico por ser objetivo na mensuração (valor) e pela ajuda nas tomadas de decisões. Porém, ele é mais difícil para calcular e pode apresentar volatilidade. Enquanto que o valor de mercado é simples para mercado líquido e traz valor real dos itens. Só que tem influência por fatores subjetivos e outros detalhes.

4.4 8 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Você quer um inventario mais eficiente?
Beneficie-se com o rastreio em tempo real, redução significativa de perdas e um aumento notável na velocidade dos processos de gestão de ativos e estoques.
Sobre o Grupo CPCON
No Grupo CPCON, você encontra soluções especializadas em gestão de ativos e estoques, com ênfase na tecnologia RFID, para otimizar e agilizar seus processos. Oferecemos serviços como inventário de ativos, gestão de ativos de TI, consultoria imobiliária, reconciliação fiscal-física e automação com RFID. Além disso, temos gestão de estoque, serviços de avaliação, soluções ágeis, software e consultorias variadas. Nossa vasta experiência, incluindo trabalhos com clientes renomados como Caixa Econômica, Vale e Petrobras, reforça nosso compromisso com ética e proteção de dados.
Guias
Soluções
Cansado de erros e imprecisões na Gestão de Seus Ativos e Estoques?
Experimente a precisão e eficiência da tecnologia RFID do Grupo CPCON. Com rastreamento em tempo real e uma drástica redução nas perdas, acelere os processos de inventário e gestão em sua empresa. Transforme sua gestão de ativos hoje mesmo!
Em destaque

Conteúdos Relacionados a

Novidades

Conteúdo Recentes

Rolar para cima