Conheça as finanças corporativas e como elas funcionam

finanças corporativas - o que é, para que serve e como funciona

As finanças corporativas são vitais para qualquer empresa. Pois é imprescindível que uma empresa organize suas finanças para gerar lucros e distribuir sua riqueza. Assim, a companhia precisa organizar e projetar, minuciosamente, seus dados para juntá-los e analisá-los. 

Portanto, não importa o tamanho da empresa ou seu segmento, são as finanças corporativas e suas medições que mostrarão a saúde financeira da empresa. Dessa forma, cada decisão que ocorrer impactará diretamente no financeiro corporativo.

Por isso que as corporações necessitam se atentar e compreender as finanças corporativas e como funciona seu planejamento. E isso para crescer e se manter dentro de um mercado competitivo.  

Assim, planejar financeiramente uma empresa exige conhecimento, habilidades e competências sobre finanças corporativas. E, dessa forma, o grupo CPCON auxilia, não só com os serviços de consultoria financeira, mas também com todas as informações pertinentes por meio deste artigo.

Finanças corporativas Grupo CPCON – Wendell Jeveaux CEO

O que significa finanças corporativas? 

O termo finanças vem da palavra francesa finance. Dessa forma, essa palavra significa a responsabilidade que um sujeito, empresa ou governo possui em relação às posses. 

Ou seja, quando um indivíduo tem um valor monetário o modo como ele lida com esse valor é a finança. Além disso, finanças também são um ramo da economia que se baseia no estudo da forma como o dinheiro circula e sua avaliação de gerenciamento. 

Já a palavra corporativa, também do francês corporatif, é o feminino do adjetivo corporativo. Assim, usa-se essa palavra para designar empresas de diversos setores de atividade econômica. De modo que corporativo é um sinônimo de corporação, empresa, negócio e organização empresarial.

Portanto, quando as pessoas usam a expressão finanças corporativas, essa se refere à análise, estudo e discussão da gestão financeira. E isso dentro das empresas no mundo contemporâneo. De modo que qualquer variável impactará a tomada de decisões dentro da companhia. 

O que são finanças corporativas?

Foi na Idade Média que começou a surgir o esboço do que seriam as empresas atuais, e não com o capitalismo moderno. Assim, desde aquela época as finanças corporativas eram essenciais. Pois são estudos de ações cotidianas que se interligam com as decisões do dinheiro da empresa.

Ou seja, a finança corporativa envolverá qualquer decisão dentro de uma empresa, assim como ferramentas e análises para alcançar as decisões. De modo que não importa o setor ou área dessa decisão. Afinal ela administrará os riscos financeiros do negócio como um todo.

E isso para decidir questões como financiamento de projetos, pagamento de contas, investimentos, controle de fluxo de caixa, entre outros.

Dessa forma, as finanças corporativas permitem que a companhia use os recursos financeiros disponíveis de modo inteligente. De maneira que as finanças corporativas se interligam completamente com o gerenciamento de dinheiro de uma empresa. E isso inclui desde obter valores monetários até utilizá-los.

Portanto, todo estudo é feito para maximizar os valores da empresa e administrar de modo eficiente o financeiro. 

Quais são os objetivos das finanças corporativas?

Toda empresa visa obter lucros por meio de seus serviços ou produtos. Portanto, um dos principais objetivos que as finanças corporativas possuem é o de alcançar o crescimento do valor monetário da companhia.

Por isso, é essencial, profissionais qualificados para garantir que sempre haja valores disponíveis para a administração da empresa. E mais ainda para que os valores se multipliquem e que as atividades e aquisições financeiras impactem positivamente.

Ou seja, para alcançar o objetivo de aumentar o caixa da companhia, há a responsabilidade de gerenciar todo o capital. E o gerenciamento se dá desde sua obtenção até seu uso diário.

Afinal, o principal objetivo da finança corporativa é gerar lucro para expandir a empresa. De modo a aumentar e maximizar o valor patrimonial da companhia. Ou seja, o objetivo é valorizar a companhia e isso para alcançar uma gestão financeira efetiva. 

Outro objetivo também é sempre manter o fluxo de caixa com saldo positivo. E isso só se atinge com uma gestão financeira que seja efetiva. 

Quem é o responsável por cuidar das finanças corporativas em uma corporação?

Não importa qual é o tamanho de uma empresa, ela precisa de algum profissional que cuide de suas finanças corporativas. Dessa forma, quando a empresa é de pequeno porte, geralmente, é seu proprietário que se atenta a essa função.

Já para uma empresa de grande porte, sempre haverá um departamento e profissionais da área financeira. E isso para que a empresa e seu diretor administrem todas as finanças da companhia.

Afinal, se as finanças corporativas são as decisões que envolvem o capital das empresas, é essencial, profissionais qualificados para cuidar dessa gestão. Pois é a gestão que determinará se os resultados financeiros serão positivos ou negativos. 

Isso significa que a ótima gestão das finanças corporativas é a responsável pelos bons resultados de uma empresa. De maneira que uma gestão financeira ruim pode levar uma empresa à falência.

Por isso, gerir as finanças desde sua obtenção até a decisão de como usar o capital é essencial. E isso contribui para o crescimento empresarial e do valor monetário da empresa. 

Pois é por meio desse processo de gerenciamento que será verificado se a empresa está lucrando ou não. De modo a mudar ou criar novas ações para aumentar a produtividade e o lucro, para corrigir o que está errado.

Portanto, para alcançar o objetivo das finanças corporativas se faz necessário ter uma equipe qualificada, além de ser específica. E isso para sempre fazer com que o financeiro da empresa seja próspero. 

Princípios de finanças corporativas

princípios de finanças corporativas

As finanças corporativas têm alguns princípios que são comuns a todas as empresas, não importa seu tamanho e segmento. Portanto, conhecê-los e aplicá-los é essencial para que a empresa maximize seu capital e se valorize perante o mercado.

Indicadores

As finanças corporativas apresentam princípios para conseguir atingir seus objetivos. Dessa forma, elas precisam se basear exclusivamente em dados, de maneira a embasar todas as suas ações em indicadores. 

Ou seja, os indicadores são as métricas resultantes de cálculos com os dados obtidos pelos demonstrativos de resultados da empresa. Assim, os indicadores têm como função mostrar informações que auxiliam nas decisões das empresas e nas análises de performance.

Portanto, ao usar um indicador, ele mostrará o faturamento e lucro da empresa. Assim como inúmeros outros resultados que servem como guia para a gestão financeira da companhia.

Dentre os indicadores que uma empresa deve utilizar para verificar sua saúde financeira estão:

  • ROI;
  • Faturamento.
  • Lucro bruto;
  • Ponto de equilíbrio;
  • Liquidez corrente;
  • Lucratividade;
  • Rentabilidade;
  • Margem de lucro;
  • Margem bruta;
  • Margem EBITDA;
  • Margem líquida;
  • Margem de custos;
  • Índice de cobertura de juros;
  • Ticket médio;
  • Giro de estoque.

Portanto, ao usar qualquer indicador a empresa terá uma base para que seus gestores tomem decisões em áreas essenciais. 

Pois, os indicadores revelam dados como se a empresa consegue gerar caixa para seus gastos básicos e conseguir lucro. Assim como informar se o retorno dos investimentos é positivo. E inúmeras outras informações importantes para a gestão financeira.

Terminologias

As finanças corporativas têm conceitos próprios que são fundamentais para ela. Assim, os profissionais responsáveis pelas finanças corporativas precisam conhecer e aplicá-las diariamente.

  • Ciclo econômico: Todo produto tem um ciclo que começa em sua fabricação até a sua venda. O ciclo econômico se refere ao período de tempo em que o produto fica no estoque até o momento de sua venda;
  • Ciclo operacional: Após a venda do produto, a empresa receberá um valor por essa ação. Desse modo, o ciclo operacional se concentra no período da data da compra do produto até a data em que recebe o valor pela venda;
  • Ciclo de caixa: O ciclo de caixa é o período que ocorre entre a data do pagamento da compra até quando a empresa recebe pela venda do produto.
  • Giro de caixa: Por último, o giro de caixa é resultante da divisão do ciclo de caixa pelo período do ano comercial. Ou seja, por 360 dias.

Elaboração de um plano de negócios

Conheça as finanças corporativas e como elas funcionam

O plano de negócios é um dos princípios mais importantes para as finanças corporativas de uma empresa. Essa ferramenta mostrará, no papel, o que a empresa deseja e a forma de alcançar seus objetivos. E isso por meio de um estudo que se baseia em fatos e pesquisas concretas.

Finanças corporativas e plano de negócios

A gestão financeira se compõe por diversas ações administrativas para as finanças de uma empresa. De modo a planejar, analisar, executar e controlar o capital da companhia. Mas essa gestão se difere das finanças corporativas. Afinal, as finanças corporativas são os estudos do que a empresa fará com o seu dinheiro. 

No entanto, definir tanto a gestão financeira quanto as finanças corporativas é essencial para uma empresa. E para isso é necessário criar estratégias, ser organizado e ter paciência para criar uma estratégia eficiente. E a empresa atingirá essa estratégia por meio do plano de negócios. 

Portanto, criar um planejamento estratégico por meio de um plano de negócios é algo que qualquer empresa que queira se estabelecer e solidificar no mercado precisa. Pois o plano de negócios fará com que o setor responsável pelas finanças corporativas amplie sua visão sobre o negócio. De modo a mostrar caminhos para chegar aos resultados que se deseja.

Assim, criar um plano de negócios ajudará a estruturar a empresa e auxiliar na questão financeira. Afinal, ele mostrará as definições de metas e objetivos para guiar a empresa e suas decisões.

O que é e como fazer um plano de negócios?

Para qualquer empresa, seja nova ou já estabelecida no mercado, planejar o seu futuro é imprescindível. E isso para evitar que riscos ocorram no futuro. Assim, para qualquer empresa e de qualquer tamanho, elaborar e construir um plano de negócios é essencial.

Portanto, o plano de negócios é um instrumento que todos os empresários precisam usar. De modo que ele seja um documento que descreverá todos os objetivos da empresa e como eles serão alcançados. Com isso, será traçado um retrato de tudo o que engloba a empresa como o mercado, seus produtos e as ações do empresário.

Assim, o plano de negócios apresentará detalhes de muitas informações essenciais para a gestão empresarial. Além de também mostrar se as ideias da empresa são viáveis ou não. De maneira que o empresário perceberá seu erro neste documento e não no mercado.

Dessa forma, o plano de negócios mostra ao empresário e ao setor responsável pela gestão empresarial as metas alcançáveis, a viabilidade de uma ideia e consistência sobre o desenvolvimento da empresa.

Como criar um plano de negócios?

Elaborar um plano de negócios faz parte de qualquer empresa, portanto é essencial saber criá-lo. Assim, o plano de negócios mostrará se uma ideia é viável ou não e apresentar informações mais detalhadas sobre:

  • Setor de mercado;
  • Clientes;
  • Produtos e serviços;
  • Concorrentes;
  • Fornecedores;
  • Pontos fortes e fracos do negócio.

Portanto, as informações são a base do plano de negócios. Assim, sempre o empresário precisará pesquisar e procurar conhecer tudo sobre a área de atuação, e isso em materiais diversos. 

O plano de negócios precisa ser detalhado e apresentar dados e pesquisas consistentes para melhores resultados da empresa. Além de organizado e feito com comprometimento, persistência, pesquisa, trabalho duro e criatividade.

Dessa forma, para fazer um plano de negócios é necessário descrever algumas principais características gerais. Como:

  • Descrever a empresa e seu objetivo;
  • Detalhar quais são os principais produtos e serviços;
  • Decidir quem são os principais clientes;
  • Considerar a localização da empresa;
  • Mostrar qual será o montante de capital para investimento;
  • Estimar o faturamento mensal;
  • Pensar em qual é o lucro que se deseja obter;
  • E, por último, estimar a quantidade de tempo em que se espera lucro.

Ao seguir esses questionamentos e pesquisar para obter as respostas, o responsável pelo plano de negócios conseguirá criá-lo. E, com isso, auxiliará com as questões das finanças corporativas e seu planejamento.

Finanças corporativas e Valor

finanças corporativas e valor

As finanças corporativas de uma empresa podem possuir, para maximizar seu capital, uma gestão que se baseia em valor. Isso significa que a empresa usará uma metodologia que seu principal objetivo é gerar valor.

Assim, a gestão baseada em valor é várias estratégias financeiras e diferentes que culminam com o objetivo das finanças corporativas. Isso é, ambas têm como objetivo maximizar o valor da empresa. Sendo as finanças corporativas o valor de lucro e a gestão de valor, o valor no mercado.

Ou seja, a gestão de valor auxilia no desenvolvimento, em longo prazo, das empresas para se tornarem competitivas no mercado. E a competitividade que essa gestão busca se interliga ao conceito de lucro. 

De modo que, ao suprir a necessidade de adaptações dentro do mercado, ela lida com a concorrência mais tranquilamente. Assim, influencia diretamente nos resultados que a companhia gera e terá dentro do mercado.

Além disso, a gestão que se baseia em valor engloba o conceito de lucro, como as finanças corporativas. Pois, o primeiro determina o valor da companhia pelo seu potencial de, em um futuro, gerar retorno de caixa. Dessa forma, apurar o lucro mostra que ocorreu a criação de valor.

Portanto, quando o profissional responsável pelas finanças corporativas também usam a gestão baseada em valor, a empresa se beneficiará disso e aumentará seu valor. Com isso, haverão inúmeras melhorias para as seguintes questões:

  • Gestão de pessoas;
  • Relação com fornecedores e stakeholders.

Com isso, os objetivos das finanças corporativas e da gestão que se baseia em valor serão atingidos. 

Finanças corporativas e a contabilidade

A contabilidade é uma ciência teórica e prática que estuda, direciona e orienta a administração econômica de uma empresa. Ou seja, é através de registros contáveis e suas demonstrações de resultados que ela controla o patrimônio das companhias. 

Assim, a contabilidade é essencial para qualquer empresa por conta das suas informações, dados e relatórios. Essas que auxiliam na administração do negócio e o guia para alcançar mais lucro e sucesso.

Portanto, o profissional que trabalha com contabilidade precisa conhecer as finanças corporativas, assim como seus princípios. E isso para que o contador consiga alcançar o desenvolvimento da empresa por meio de decisões financeiras estratégicas e embasadas.

Assim, a companhia alcançará seus objetivos de maximizar seu valor e ter uma administração financeira eficiente. E a contabilidade auxilia a empresa para alcançar esses resultados. 

Finanças corporativas: Prática x Teoria

As finanças corporativas visam alcançar resultados efetivos e positivos dentro do capital de uma empresa. Assim, ela administra todos os riscos financeiros e valoriza a empresa com o aumento do seu montante.

No entanto, para que os resultados da aplicação da sejam efetivos, a equipe de gestão das finanças devem utilizar as finanças corporativas corretamente. Pois as empresas ao redor do mundo comumente quebram por falta de dinheiro.

Afinal, o dinheiro é um dos ativos que mais impactam uma empresa, é com ele que a empresa pagará seus funcionários e contas. De maneira que qualquer empresa visa ampliá-lo para que, além de manter o negócio, ele se multiplique e gere lucro. 

Mas, é muito comum que falte dinheiro para uma empresa e, com isso, venha o fracasso. Assim, a falta de dinheiro se torna tanto a causa quanto a consequência de uma falha empresarial. E, com isso, ocorre a destruição de valor em empresas.

Desse modo, o processo de destruição dos valores empresariais acontece de diversas maneiras e em diversos contextos. Assim como a geração de valor também é resultado de ações que possuem as seguintes naturezas:

  • Ações relacionadas à operação;
  • Ações que se relacionam aos financiamentos das atividades;
  • Ações que não trazem benefícios objetivos à empresa.

Portanto, as finanças corporativas precisam ser compreendidas e aplicadas por uma empresa. Pois a sua prática é essencial para qualquer companhia que deseja gerar capital da melhor forma possível. Assim, é preciso sair da teoria para a prática das finanças corporativas.

Finanças corporativas e mercado de capitais

O mercado de capitais é um dos diversos segmentos do sistema financeiro. No entanto, ele se diferencia por ser importantíssimo para as empresas e para os investidores. Pois, o mercado de capitais é o responsável por desenvolver as empresas e, também, uma nação.

Ou seja, pelo mercado de capitais os investidores podem auxiliar nas operações das empresas. De maneira a impactar os lucros futuros dos investidores.

Por isso, o mercado de capitais funciona como uma via de mão dupla. No qual as empresas procuram por financiamentos para expandir suas ações dentro do mercado. E os investidores investem seu dinheiro nas companhias visando lucro no futuro.

Assim, o mercado de capitais é uma forma de negócio de dinheiro entre aqueles que participam da transação. De maneira a intermediar as negociações de investimentos com renda fixa e variáveis entre as empresas e os investidores.

Mesmo que sejam operações de médio e longo prazo, o mercado de capitais é importante para as finanças corporativas. Pois, se as finanças corporativas estudam uma forma de aumentar os valores da empresa, saber como funciona o mercado de capitais e as atuações de seus agentes é imprescindível. 

Finanças corporativas internacionais

finanças corporativas internacionais

A globalização é um fenômeno e processo que impacta a economia mundial. Pois há algumas décadas ocorre a expansão dos negócios de empresas multinacionais. Assim como a competição entre as empresas multinacionais e as nacionais.

Assim, essas empresas precisam possuir uma ótima gestão das finanças corporativas para aplicar suas vantagens comparativas em países estrangeiros. E, para isso, verificar os riscos e oportunidades que envolvem o mercado. Assim, impactarão as finanças corporativas para maximizar o valor da empresa.

A importância das finanças corporativas e de sua aplicação e conhecimento

Quando uma empresa ou seus funcionários responsáveis conhecem as finanças corporativas e as dominam, a empresa se destacará no mercado. Afinal, esse estudo proporcionará conhecimentos essenciais para elaboração de um plano de negócio e de estratégias.

Além disso, por meio dos conceitos das finanças corporativas e de sua aplicação, os clientes também serão beneficiados. Pois a empresa oferecerá um serviço de melhor qualidade para continuar gerando lucro e ter uma alta posição no mercado.

No entanto, as finanças corporativas são um estudo amplo e, muitas vezes, a empresa e seus funcionários precisam de ajuda para aplicá-las. 

Portanto, para ajudar a empresa nessa questão, é essencial procurar por uma empresa confiável e eficiente como a CPCON. Com atuação internacional e mais de décadas de serviços, a CPCON se destaca no setor de auxílio de qualquer questão financeira. Assim, a CPCON garante o sucesso das empresas às quais presta serviços.

5 1 vote
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
2 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votado
Feedbacks
Ver todos os comentarios
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Posts Relacionados