Impressora RFID: tudo o que você precisa saber

Você sabe o que são as impressoras RFID? Conheça a seguir diversas informações sobre o tema que irão te ajudar a escolher a sua. Confira.

As impressoras RFID (Radio Frequency Identification) são itens cada vez mais procurados atualmente. Afinal, elas são responsáveis por imprimir etiquetas com identificação por rádio frequência.

Estas, por sua vez, representam o futuro de todo um setor e, portanto, tem ganhado muito empenho e dedicação por parte dos desenvolvedores.

Desse modo, se você é empreendedor do ramo do comércio, precisa se inteirar sobre esses recursos que estão sendo disponibilizados e que provavelmente farão parte do futuro do mercado em breve.

Pensando nisso, hoje trouxemos várias informações sobre as impressoras RFID e tudo o que você precisa saber sobre elas.

Desse modo, acompanhe até o final, pois vamos tratar de assuntos relevantes e de suma importância, como:

  1. Apesar de parecer complicado, o sistema RFID não é nenhum “bicho de sete cabeças” e não demanda muito conhecimento técnico para ser compreendido;
  2. As etiquetas RFID são parte importante do processo de automação comercial;
  3. Impressoras RFID são necessárias, pois representam uma grande economia de tempo e de recursos dentro do setor comercial;
  4. Os comerciantes e todo gestor de negócios ligados ao comércio precisa estar antenado e buscar acompanhar as inovações tecnológicas voltadas para esse setor, para não ficar para trás e perder oportunidades de negócio para a concorrência;
  5. As impressoras RFID e todo o sistema de identificação por rádio frequência são cruciais para a autonomia do segmento comercial;
  6. Tecnologia RFID pode beneficiar diversos setores da sociedade.

Sendo assim, não deixe de ler até o fim para saber mais sobre o funcionamento, a implantação e toda a importância das impressoras RFID.

Tudo o que você precisa saber sobre impressoras RFID:

As impressoras RFID são responsáveis por fazer a impressão das tags RFID, que nada mais são do que etiquetas que contém, além das informações do produto, gravações em um microchip.

Essas informações podem ser acessadas e monitoradas através de um computador central, além de transmitir dados para outros dispositivos de um mesmo sistema ERP.

Esse tipo de automação contribui de maneira significativa para o aumento do controle de mercadoria, além de trazer mais autonomia para o cliente.

Em estabelecimentos onde o sistema de RFID é completo, é possível, por exemplo, que as compras sejam efetuadas sem um operador de caixa.

Isso porque, com os produtos registrados em um sistema central, basta passar os produtos com a tag RFID por um leitor com a mesma tecnologia para a compra ser processada.

E basta o cliente ter um cartão cadastrado previamente para que o valor seja debitado automaticamente.

Essa praticidade já é uma realidade em muitos lugares e a tendência é que se torne a regra em um futuro bem próximo.

Sendo assim, você precisa se inteirar dessas novas tecnologias e buscar a melhor forma de implantá-las em seu negócio.

Afinal, se a regra geral forem estabelecimentos automatizados e que dêem total autonomia aos clientes, você não vai querer ser a exceção, não é mesmo?

O que são impressoras RFID?

As impressoras RFID são os dispositivos que fazem a impressão das etiquetas com identificação por rádio frequência.

Essas impressoras podem ser de várias formas e utilizar diferentes tecnologias. Algumas, as convencionais, usam uma cabeça RFID para fazer a impressão, através de transferência térmica.

Outras, mais modernas, fazem a aplicação da tecnologia RFID nos códigos de barras das etiquetas dos produtos ou das caixas de mercadorias.

Desse modo, ao serem monitorados durante o processo de fabricação, remessa ou armazenamento, estes dados contidos no chip são transmitidos por rádio frequência. Assim, os produtos podem ser acompanhados através de um leitor de códigos de barras ou RFID.

Quais são os outros equipamentos do sistema RFID?

Além das impressoras RFID, esse tipo de sistema conta com outros componentes que se conectam entre si.

Já vimos que a impressora com tecnologia de identificação por rádio frequência faz a impressão da etiqueta inteligente. Porém, ela não é o único dispositivo que faz parte de um sistema ERP com RFID.

Além dela, podemos citar:

1. Antenas RFID
2. Etiquetas RFID
2.1 Etiqueta Passiva
2.2 Etiqueta Semi Passiva
2.3 Etiqueta Ativa
3. Leitor RFID

Quais são os outros equipamentos do sistema RFID?

Além das impressoras RFID, esse tipo de sistema conta com outros componentes que se conectam entre si.

Já vimos que a impressora com tecnologia de identificação por rádio frequência faz a impressão da etiqueta inteligente. Porém, ela não é o único dispositivo que faz parte de um sistema ERP com RFID.

Além dela, podemos citar:

Antenas RFID:

Como toda antena, as antenas RFID tem a missão de captar, direcionar e transmitir ondas eletromagnéticas. No caso, essas ondas são por rádio frequência.

Elas captam o sinal contido nos microchips das etiquetas inteligentes e fazem a conexão com os leitores de RFID que, por sua vez, fazem a interpretação desses dados e os transmitem para um computador ligado ao sistema.

As antenas RFID são instaladas pelos técnicos em pontos estratégicos do estabelecimento. Ao contrário dos demais componentes do sistema, elas não são manuseadas pelo usuário.

Etiquetas RFID:

As tags inteligentes, que são impressas pelas impressoras RFID, contém o microchip e as informações dos produtos.

Elas também são chamadas de transponders, pois transmitem e respondem através da antena e do chip que contém.

Assim, elas se conectam, por meio das antenas das quais já falamos, aos leitores RFID para que as informações contidas nelas possam ser interpretadas por eles.

Por exemplo, se uma caixa com produtos com uma etiqueta RFID chegar a um centro de distribuição e passar por um leitor, o usuário com acesso ao sistema saberá em tempo real sua localização e deslocamento.

Apesar de terem basicamente a mesma essência, existem vários tipos de etiquetas que são impressas pelas impressoras RFID:

Etiqueta Passiva:

As etiquetas RFID passivas são as mais baratas do mercado e, também, as mais comumente usadas. Elas não possuem bateria, mas sim um campo eletromagnético que é ativado pelo leitor RFID.

Desse modo, elas não ficam o tempo todo “ligadas”, mas só transmitem os dados quando passam pelo leitor.

Uma vantagem desse tipo de etiqueta RFID é sua longa vida útil, já que não necessitam de troca de bateria.

No entanto, elas precisam de uma alta dose de radiação para serem acionadas e, portanto, o leitor precisa ser potente.

Etiqueta Semi Passiva:

Já as etiquetas semi-passivas impressas pelas impressoras RFID possuem bateria para alimentar seus circuitos eletromagnéticos internos. Essa bateria costuma ter um custo relativamente baixo e durar bastante.

Isso porque ela não possui transmissor e apenas inicia a transmissão de dados quando recebe um sinal do leitor RFID.

Apesar de custar um pouco mais devido às baterias, essas etiquetas tem a vantagem de funcionar com um leitor de menor potência que as passivas.

Etiqueta Ativa:

Esse é o tipo mais completo dentre as etiquetas imprimidas pelas impressoras RFID. Afinal, elas possuem transmissor e baterias, o que melhora bastante o alcance da conexão com os leitores.

Além disso, elas transmitem dados o tempo todo e não só quando há acionamento. Portanto, por meio delas é possível saber em tempo real a localização dos produtos, dentre outras informações, como:

  1. Temperatura atual das mercadorias;
  2. Localização exata de objetos de alto valor, inclusive em contêineres com GPS;
  3. Sinalização e informação de porta aberta, etc.

Esse tipo de etiqueta RFID, no geral, serve em projetos maiores e de maior valor.

Leitor RFID:

O leitor RFID faz a decodificação dos dados contidos nas tags inteligentes e os transmite para o computador conectado a ele.

Essa leitura RFID é feita com extrema rapidez, especialmente se comparada a outros sistemas.

Por exemplo, enquanto um leitor de código de barras faz a leitura de 150 itens em meia hora, um leitor RFID lê 5 mil tags no mesmo espaço de tempo.

Esse leitor pode ser de várias formas, desde manual, semelhante aos de códigos de barras, ou maiores e mais robustos, como os portais RFID.

Esses portais se utilizam, por exemplo, em praças de pedágio. Os veículos registrados previamente recebem uma tag inteligente e, ao passar pelo portal RFID, a tarifa é debitada automaticamente da conta cadastrada.

Sistema RFID

Como é feita a instalação do sistema RFID?

Como o sistema RFID pode variar em recursos, formas de tecnologia e complexidade, você deve procurar um técnico especializado para saber qual a melhor solução para o que você deseja.

Então, além de se informar sobre quais os tipos de impressoras RFID pelos quais você deve optar, é importante adequar o sistema para as suas necessidades.

E isso tudo deve ser feito por alguém que entende do assunto para que você tenha suas expectativas atendidas.

No entanto, a instalação do sistema RFID é basicamente a mesma, ou seja, é implantada a impressora das tags, as antenas e os leitores. Então, tudo é conectado a um computador central.

Como o sistema é por rádio frequência, todos os dispositivos são sintonizados, como se fosse um rádio.

Afinal, quando você vai ouvir rádio, precisa regular seu dispositivo para que ele capte a exata frequência da emissora que você deseja ouvir. E o mesmo acontece com os ERPs do sistema RFID.

Então, quando você vai instalar esse sistema, as ondas emitidas pelos dispositivos são todas sintonizadas em uma mesma frequência para que possam se conectar e, por exemplo, o leitor ser capaz de captar e interpretar os sinais emitidos pelas tags.

Em contrapartida, elas são suprimidas em locais específicos para que não atrapalhem outros sistemas por ondas, como o WiFi, ou sejam captadas pelos rádios, por exemplo.

Qual a importância das impressoras RFID para o comércio?

Como já vimos, as impressoras RFID são uma parte muito importante do processo de automação do comércio. Mas isso não é tudo!

Elas também permitem um controle melhor do rastreamento de mercadorias, seja por parte dos vendedores, seja pelos consumidores.

Afinal, por meio das etiquetas inteligentes impressas por elas, é possível rastrear de forma mais ágil e prática os produtos.

Imagine que a cada transferência de veículo ou fronteira, as transportadoras precisem fazer a leitura manual com leitor de código de barras convencional de cada caixa de produto.

Depois, tenham que lançar os dados de localização em um sistema para que só então os vendedores e compradores possam saber onde a mercadoria está.

Agora imagine isso feito por um portal RFID que, como vimos, lê substancialmente mais rápido e transmite os dados em tempo real para o sistema.

O tempo de entrega do produto seria muito menor, assim como a satisfação com seus serviços seria muito maior.

Além do mais, outros setores também podem se beneficiar do sistema RFID, como veremos a seguir.

Impressoras RFID em outros segmentos:

Apesar do sistema RFID ser uma evolução e tanto para o setor comercial, existem outras áreas nas quais ele pode ser de grande ajuda.

Um bom exemplo disso é a área médica. Em um grande hospital, imagine a quantidade de medicamentos diferentes que se mistram em doses diversas para pacientes diferentes!

A probabilidade de atrasos nas entregas das medicações e mesmo de erros entre os remédios e doentes é alta. Tanto que não é raro vermos no noticiário casos de confusões com medicamentos que podem acabar em morte.

No entanto, se os hospitais tivessem acesso a impressoras RFID, seria mais fácil e rápido monitorar cada medicamento, balão de oxigênio e demais equipamentos e, assim, agilizar o atendimento e minimizar os erros.

E esse é apenas um exemplo de como as impressoras RFID e os demais componentes do sistema podem agregar vantagens à sociedade moderna.

impressora rfid

Conclusão:

Como vimos, não são poucas as vantagens que as impressoras RFID podem significar para seu comércio ou negócio em geral.

Afinal de contas, com elas, é possível aprimorar, agilizar e acompanhar mais de perto os produtos desde sua fabricação até a entrega ao cliente final.

Além do mais, esse monitoramento constante e próximo também minimiza perdas, pois traz mais controle de gastos.

Sem contar que existem vários tipos de impressoras RFID, portanto, você pode optar pela que melhor atende às suas necessidades e expectativas.

E, além disso, seja qual for o seu orçamento, há uma impressora RFID que cabe nele.

Como a automação do comércio é um processo que anda a passos cada vez mais largos, buscar acompanhá-lo é uma forma de garantir o futuro do seu negócio.

Afinal, se você não faz isso, corre o risco de perder espaço para a concorrência que faz.

Então, para que sua empresa não fique para trás e siga no mesmo ritmo que o avanço da tecnologia, não deixe de procurar as soluções em tecnologia RFID que mais se adequam ao seu momento e ao que você pretende para a sua empresa no futuro.

Agora que você já sabe tudo sobre as impressoras RFID, comece hoje mesmo a pesquisar qual a melhor opção entre elas para o seu negócio! 

0 0 votes
Avaliação do artigo
0 0 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Não perca o controle do seu inventario gerencie seus ativos de forma profissional com nossas ferramentas
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Conteúdo Relacionados
Conteúdo