Leitor RFID: tudo o que você precisa saber

A tecnologia RFID oferece dados em tempo real que facilitam a maioria das operações de rastreamento. Assim, o leitor RFID é fundamental para essa finalidade.

A tecnologia é um termo amplo que implica em diversas inovações que estão mudando o mundo e o cotidiano dos seres humanos. Dessa forma, a sociedade e seus meios de produções utilizam das tecnologias para aumentar e potencializar sua produtividade. Dentre as inovações tecnológicas para o setor da economia e contábil está o RFID e o leitor RFID.

A sociedade usa a tecnologia para realizar várias tarefas diárias de modo a englobar produtos, processos e/ou organizações. Assim, a tecnologia é vigente no trabalho, na comunicação, transporte, fabricação, segurança de dados e em diversos outros setores.

Desse modo, a tecnologia tem diversas aplicações em variadas áreas. Dentro das empresas e estoques, há o RFID. RFID é, do inglês, Radio Frequency Identification é o acrônimo para “Identificação por Radiofrequência”.

Essa tecnologia não utiliza fios, cabos e nem contato entre aparelhos. Apenas ondas de radiofrequência que transmitem e transferem dados. Além de identificar objetos, animais e seres humanos.

Para que o RFID seja efetivo, ele constitui-se por um sistema que envolve leitores RFID, etiquetas RFID e antenas. Cada parte do sistema RFID tem uma funcionalidade específica e uma importância crucial em todo o processo de transmissão de dados por radiofrequência.

Dentro desse sistema, o leitor de RFID é o responsável por identificar e coletar, por radiofrequência, todas as informações que uma etiqueta RFID possui. Por isso, mesmo que as etiquetas contenham dados e informações que possibilitam o rastreamento de ativos, sem o leitor, isso não seria possível.

Também, o leitor é o responsável por transmitir os dados da etiqueta para sua antena interna. E isso ao decodificar os sinais e transformá-los em informações que seguem para um computador.

Por ser fundamental para o sistema RFID e para a transmissão de dados e informações cruciais, é fundamental o conhecimento do gestor e de envolvidos na área sobre o leitor RFID. Assim, esse artigo contém tudo o que você precisa saber sobre esse leitor, além de informações úteis sobre a tecnologia RFID.

Destaques:

  • O sistema RFID é um dos mais modernos em relação ao controle e rastreamento de mercadorias, pessoas e animais.
  • O sistema RFID não possui fio e transmite suas informações por radiofrequência, de modo que não é preciso que seus componentes fiquem próximos uns dos outros.
  • O leitor RFID é um componente do sistema RFID. Assim como as etiquetas RFID.
  • Há dois tipos de leitores RFID: os fixos e os portáteis.
  • O gestor precisa considerar alguns aspectos para obter um leitor RFID. Como portas de antena, métodos de comunicação, frequência e carregamento.

Leitor RFID resumo

pagamento contecless nfr leitor rfid
Pagamento contactless usando tecnologia NFC

A sociedade usa a tecnologia RFID todos os dias, muitas vezes até mesmo sem perceber ou saber, como ao usar um cartão de transporte público. Ou até mesmo embarques em voos e pagamentos em lojas.

Dessa forma, a tecnologia RFID surgiu no período da Segunda Guerra Mundial para a identificação de aviões aliados ou não. Mas, desde então, essa tecnologia continua a se modificar para uma melhoria contínua. Já que sua aplicação e implementação só aumenta, principalmente com a diminuição do custo, o que torna a RFID mais econômica e eficiente. 

A RFID utiliza da radiofrequência para conseguir identificar e rastrear objetos. Para atingir esse objetivo, os objetos, animais ou pessoas precisam possuir uma etiqueta. Da mesma maneira que essas necessitam de leitores RFID para detectarem e absorverem as informações e dados desses leitores.

Assim, uma etiqueta e suas informações não têm utilidade se não houver o leitor RFID. O leitor RFID é o dispositivo responsável pela coleta de informações de uma etiqueta RFID, que tem a finalidade de rastreamento. E são as ondas de radiofrequência que transmitem os dados das etiquetas para um leitor.

Portanto, para conseguir cumprir seu objetivo, os leitores RFID possuem diversos tipos e especificidades.

O que é a tecnologia RFID?

Do inglês, Radio Frequency Identification, a tecnologia RFID refere-se a um sistema sem fio que se compõe por dois componentes. Esses que são as etiquetas e os leitores. Ou seja, essa tecnologia usa de dados digitais codificados em etiquetas RFID ou etiquetas inteligentes que são capturadas por um leitor através de ondas de rádio.

O RFID é muito parecido ao código de barras, porém esse último se considera uma tecnologia mais antiga e defasada. Em ambos, há uma captura e armazenamento das informações em uma espécie de banco de dados.

No entanto, por ser uma tecnologia mais atual e moderna, o sistema RFID apresenta a possibilidade de leitura à distância. Enquanto para ler os códigos de barra, o scanner óptico precisa se alinhar com o código.

Em geral, o leitor RFID é um dispositivo que possui uma ou mais antenas que emitem ondas de rádio e recebem sinais de volta das etiquetas RFID. Os leitores podem ser móveis para que possam ser transportados à mão, ou podem ser montados em um poste ou no alto. Os sistemas de leitura também podem ser incorporados à arquitetura de um gabinete, sala ou edifício.

As etiquetas são aquelas que usam ondas de rádio que armazenam uma variedade de dados, sejam eles extensos ou curtos. Assim, elas comunicam suas informações e o que se armazenou nelas aos leitores próximos, de modo a se classificarem como passivas ou ativas.

Resumidamente, as etiquetas RFID passivas se alimentam pelo leitor e não têm bateria. Já as etiquetas RFID ativas usam das baterias para se alimentarem.

Quais os componentes do sistema RFID?

O sistema RFID faz parte de um grupo de tecnologias que possibilitam a identificação automática e a captura de dados. Portanto, ele identifica objetos automaticamente, coleta dados sobre eles e inserem esses dados diretamente em sistemas de computador. Tudo isso com pouca ou nenhuma intervenção humana.

Assim, o RFID utiliza ondas de rádio para atingir seus objetivos. Mas, também, é fundamental que ele possua, obrigatoriamente, três componentes:

  • Uma etiqueta RFID;
  • Um leitor de RFID;
  • Uma antena.

As etiquetas RFID contêm um circuito integrado e uma antena, que são usadas para transmitir dados para o leitor RFID. O leitor, então, transforma as ondas de rádio em uma forma mais utilizável de dados.

Assim, as informações coletadas das etiquetas se transferem por meio de uma interface de comunicação para um sistema de computador. No qual os dados podem ser armazenados em um banco de dados e analisados posteriormente.

https://www.grupocpcon.com/impressora-rfid-tudo-o-que-voce-precisa-saber/
Saiba o que é e como funciona uma impressora de etiquetas RFID

Leitor RFID: o que é?

Um leitor RFID é um dispositivo usado para coletar informações de uma etiqueta RFID, que é usada para rastrear objetos individuais. Portanto, as ondas de rádio são as responsáveis por permitir que haja a transferência dos dados da etiqueta para um leitor. Isso significa que essas ondas fazem com que os leitores se comuniquem com as etiquetas.

Pela importância do leitor RFID ele pode ser comparado com o cérebro humano. De maneira que ele funciona como esse órgão para o sistema RFID. Afinal, sem ele não há como esse sistema funcionar.

A divisão do leitor RFID de acordo com seu tipo

Um leitor RFID é um dispositivo portátil que tem flexibilidade ao ler etiquetas RFID. Assim como eles se comunicam com outros dispositivos inteligentes, como computadores. E isso para transmitir os dados das etiquetas para consultas e informações.

Assim, os leitores RFID possuem duas categorias distintas de acordo com suas características. Por isso são: leitores RFID fixos ou leitores RFID portáteis.

leitor rfid fixo

Leitores RFID fixo

O leitor RFID fixo, como o nome sugere, é aquele que fica fixo em um local e normalmente são montados em paredes, mesas, portais ou outros locais que, também, são fixos.

Assim, os leitores RFID fixos normalmente têm portas de antena externas que podem se conectar em qualquer lugar. E essa conexão é feita por uma a até oito antenas. Mas há alguns leitores, que com algumas modificações e adições, podem se conectar a até 32 antenas RFID.

Ou seja, as antenas são cruciais para os leitores RFID fixos de maneira que eles funcionam apenas com elas. Essas antenas são vitais por estabelecer um elo entre o leitor RFID fixo e a etiqueta RFID.

Pois são elas que permitem que a comunicação ocorra, permitindo que as organizações capturem, movam e gerenciem informações críticas de e para todos os pontos da atividade comercial.

Dessa forma, um leitor RFID fixo possui portas para antenas que permitem que o leitor seja fixado. Seja a tetos, paredes, portas ou outros itens fixos.

De um modo geral, os leitores fixos não são móveis, por isso devem ser colocados em um local central. Mas, mesmo assim, eles podem identificar objetos à medida que se movem por um local específico.

Por isso, esses leitores RFID fixos não precisam de intervenção humana. Eles, automaticamente, podem ler etiquetas sem necessitar de manuseio humano. E nem de que alguém pressione algum botão.

Um leitor RFID fixo é extremamente benéfico. Assim, são usados em uma variedade de indústrias e aplicações, incluindo:

  • Armazenamento;
  • Fabricação;
  • Varejo;
  • Transporte.

Leitores RFID integrado

Como visto, um leitor RFID fixo têm antenas e um subconjunto comum de leitores fixos são os leitores integrados. Um leitor RFID integrado é um leitor que tem uma antena embutida que normalmente inclui uma porta de antena adicional para a conexão de uma antena externa opcional.

Assim, os leitores RFID integrados combinam um leitor RFID e uma antena RFID em um dispositivo e podem suportar antenas RFID externas adicionais. 

Portanto, o leitor RFID integrado não precisa de uma antena externa. Caso seja necessária uma antena adicional, terá que se integrar outro leitor para adicioná-las.

Leitor de RFID portátil

Os leitores RFID portáteis recuperam dados de forma mais rápida e eficiente, quando comparados aos leitores de código de barras. De forma a economizar tempo e dinheiro.

Esse tipo de leitor tem uma antena embutida dentro deles, fato que permite que eles sejam móveis. Por isso, se o leitor for apontado para muitos itens que têm uma etiqueta RFID, o leitor poderá ler todas essas etiquetas de uma só vez.

Essa rapidez do leitor RFID portátil faz com que seu benefício seja uma coleta de dados rápida e precisa. Além da capacidade de localizar itens extraviados e determinar quando o estoque está acabando.

Os leitores RFID portáteis podem se combinar a softwares e outros suprimentos para que a tecnologia RFID seja completa.

Pela sua facilidade de movimentação, utiliza-se esses leitores em diversos ambientes, incluindo armazenamento, fabricação, varejo, saúde e transporte. Assim, eles, geralmente, são responsáveis pela:

  • Gestão da cadeia de suprimentos;
  • Gestão de estoque;
  • Gestão de ativos.

Além disso, um leitor RFID portátil pode utilizar dispositivos de computação ou conexão bluetooth. E isso para que sua função e objetivo seja efetiva.

Leitores RFID portáteis x Leitores RFID fixos

Mesmo que um leitor RFID portátil tenha a mesma função que um leitor RFID fixo, eles são diferentes. Dessa forma, as principais diferenças são:

  • Os leitores portáteis são móveis, enquanto os leitores fixos são fixos.
  • Os leitores portáteis podem funcionar por conta própria, enquanto os leitores fixos precisam de antenas.
  • Os leitores fixos coletam dados de uma antena, enquanto os leitores portáteis têm antenas embutidas.

Como escolher um leitor RFID?

Para conseguir alcançar o objetivo específico, o gestor precisa saber como escolher o leitor RFID certo. Afinal, como visto, o leitor RFID é o cérebro desse sistema. Assim, para escolher qual é o tipo de leitor correto, deve-se considerar:

Quantas portas de antena eu preciso?

Diferentes aplicações exigem diferentes números de pontos de leituras e de portas de antenas. Por isso, para certas aplicações pode ser necessário adicionar uma quantidade maior de antenas do que outras.

Devido a isso, o número de portas de antena disponíveis no leitor deve ser levado em conta durante o processo de escolha de um leitor RFID.

Geralmente, os leitores RFID estão disponíveis em versões com 2, 4 e 8 portas. Mas alguns leitores podem usar multiplexadores para desenvolvimentos e usando até 32 antenas RFID.

Qual é o método de comunicação que será usado?

O leitor RFID precisa se comunicar com as etiquetas e com outros dispositivos para transmitir as informações. Para isso, eles precisam se conectar diretamente a um computador host via cabos. Ou conectados a uma rede, essa que permite uma melhor flexibilidade do que a conexão com o computador host. As conexões mais conhecidas e utilizadas são:

  • LAN (Local Area Network);
  • Wi-Fi;
  • Bluetooth;
  • Cabo USB.

Qual a frequência da região de operação do leitor?

Regiões e países diferentes têm seus próprios regulamentos que definem a transmissão RFID por conta da frequência que possuem. Assim, para implementar o sistema RFID, é vital escolher que o leitor RFID opere dentro das regras de um determinado país.

Considerar o carregamento

A forma de carregar os leitores RFID é uma informação crucial para a compra desse leitor. Afinal, em algumas empresas e indústrias, os pontos de carregamento são limitados ou inacessíveis, o que reduz significativamente a escolha. Há quatro formas de carregar um leitor:

  • Adaptador;
  • POE (Power over Ethernet);
  • Bateria;
  • Carregamento disponível em veículos.

Há outras classificações para os leitores RFID?

A maneira mais comum de categorizar os leitores é classificá-los como fixos ou portáteis. Mas há outras formas de diferenciar os leitores RFID e isso ao considerar categorias como conectividade, utilitários disponíveis, recursos, recursos de processamento, opções de energia, portas de antena.

Dentre algumas dessas classificações, estão:

  1. Faixa de frequência: qual é a frequência do leitor RFID?
  2. Mobilidade: a empresa precisa de um leitor fixo ou portátil? Integrado ou não integrado?
  3. Opções de conectividade: Wi-Fi, Bluetooth, LAN ou cabo USB?
  4. Utilitários Disponíveis: A empresa precisará de HDMI, GPS, USB, Câmera, GPS, GPIO ou Código de Barras?
  5. Recursos de processamento: O processamento será a bordo ou sem processamento a bordo?
  6. Opções de energia: Qual será a forma de carregamento? Adaptador de energia, PoE, bateria, carregamento no veículo.
  7. Portas de antena disponíveis: Para o que a empresa precisa, o leitor RFID terá que ter quantas portas? Sem portas externas, 1, 2, 4, 8, 16 ou mais portas?

A importância de um leitor RFID

Por ser uma das tecnologias mais atuais, modernas e importantes para o controle e gestão de ativos, novos leitores RFID chegam ao mercado. Ou seja, eles sempre melhoram sua usabilidade e aprimoram seus recursos. O que causa impacto em todo o sistema e nas aplicações RFID.

No entanto, os gestores precisam conhecer e entender as necessidades do seu negócio e o que é um leitor RFID. Assim como os seus dois tipos e qual a importância e funcionalidade de cada um deles.

Dessa forma, a maioria dos leitores RFID são feitos com certas especificações, opções e recursos que os tornam únicos em comparação com outros leitores no mercado.

0 0 votes
Avaliação do artigo
0 0 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Não perca o controle do seu inventario gerencie seus ativos de forma profissional com nossas ferramentas
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Conteúdo Relacionados
Conteúdo