Teste de Impairment e a Redução ao Valor Recuperável de Ativos – Lei 11638

Ativos de longa duração de um empreendimento, cuja as expectativas de retorno foram substancialmente diminuídas devido a acontecimentos diversos, não devem ter mesma relevância dentro do Balanço Patrimonial...

 

Ativos de longa duração de um empreendimento, cuja expectativa de retorno foi substancialmente diminuída devido a acontecimentos diversos, não devem ter mesma relevância dentro do Balanço Patrimonial, do ponto de vista de seu custo de aquisição amortizado, pois o mesmo não evidencia o mesmo valor agregado de geração de benefício quando foi efetuado sua compra. Outro ponto a ser considerado na redução do valor recuperável de ativos, é quando há dados indicando dentro do empreendimento que um ativo, ou conjunto de ativos de longa duração estão com valor na contabilidade muito acima de seu valor de mercado, ou sua expectativa está abaixo do previsto. Desta forma, é necessário efetuar testes para afirmar que tais especulações são corretas, demonstrando a variação nos valores registrados, e o déficit no fluxo de caixa futuro deste ativo, reiterando o valor abaixo do que apresentado no processo contábil.

Como verificar a possibilidade de Redução de Valor Recuperável de Ativos?

Para poder efetuar a redução do valor recuperável de ativos, é necessário verificar se o mesmo se adequa a diversos requisitos necessários. Este teste ou avaliação é denominado Teste de Impairment.

Teste de Impairment, como funciona?

É efetuado série de avaliações no ativo em questão, verificando vários dados contábeis do mesmo, além de seu valor de mercado e expectativas futuras. Se o valor recuperável for menor que o contábil, é calculado então o fair value do mesmo. Desta forma, a perda efetiva por impairment é a diferença entre o valor contábil e o fair value do ativo em questão, quando este segundo tiver menor valor. De maneira prática, quando a entidade verificar que tal fato de irrecuperabilidade ocorreu, deverá utilizar de suas demonstrações contábeis notificando uma perda por impairment.

Com o pronunciamento CPC01 e a mudança na lei 11.638, todo empreendimento deve rever seu balanço patrimonial e o estado de seus ativos de longa duração,  afim de verificar as  depreciações e a possibilidade da Redução ao Valor Recuperável de Ativos, fato imprescindível em uma Gestão Patrimonial de sucesso.

0 0 votes
Avaliação do artigo
0 0 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Não perca o controle do seu inventario gerencie seus ativos de forma profissional com nossas ferramentas
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Conteúdo Relacionados
VALE

VALE | Case de Sucesso Indústria: Mineração Serviços: Gestão de Ativos e Patrimônio O Grupo CPCON colaborou com equipe da VALE S/A na solução de

Continuar lendo »