Goodwill: Saiba o que é e como ele é determinado pela contabilidade

Goodwill: Saiba o que é e como ele é determinado pela contabilidade

Goodwill é um dos termos comumente utilizados na contabilidade e no mundo dos negócios, quando pensamos em aquisição de empresas. Apesar de ser bastante importante nas negociações, não é fácil de ser determinado. Portanto, vamos te explicar o que é e como é determinado o goodwill contabilidade. Confira!

Goodwill o que é?

Este termo em inglês pode assustar os que nunca o ouviram, mas seu significado é bem simples na verdade. O primeiro uso registrado da palavra remonta à Inglaterra do século XVI e estava relacionado à compra de um terreno e sua possível valorização ao longo do tempo.

Atualmente, o termo foi incorporado pela contabilidade e costuma aparecer nas aquisições e vendas de empresas. Ao longo do tempo, o significado do termo se manteve estável e compartilha similaridades com o uso inicial.

O Goodwill é um ativo intangível, e o seu conceito referendado pela literatura contábil, é o montante de lucros futuros esperados acima da rentabilidade normal de uma empresa, mensurado pela diferença entre o valor da empresa e o seu patrimônio líquido avaliado a valores de mercado.

  • Ágio: valor adicional que é cobrado sobre uma mercadoria ou operação financeira
  • Deságio: pagamento de um valor abaixo do que foi estimado no patamar de mercado
  • Mais-valia: os valores ativos da empresa que vai investir deve ser mais que o valor contábil (patrimônio líquido).

Exemplos de Goodwill

Goodwill é um conceito importante na contabilidade e nos negócios. O goodwill é considerado o valor dos ativos intangíveis de uma empresa: aquilo que a diferencia das demais, mas é impossível de mensurar em valores financeiros. São exemplos de goodwill: credibilidade de uma marca, carteira de clientes.

Custo de aquisição

Dentre as formas de regulamentar a combinação de negócios no Brasil, temos a Lei Nº 12.973/14, artigo 20, que indica que o contribuinte que avaliar investimentos pelo valor de patrimônio líquido da investida, deve desdobrar o custo de aquisição nos seguintes termos:

“II – mais ou menos-valia, que corresponde à diferença entre o valor justo dos ativos líquidos da investida na proporção da porcentagem da participação adquirida e o valor de que trata o inciso I do caput;e

III – ágio por rentabilidade futura (goodwill), que corresponde à diferença entre o custo de aquisição do investimento e o somatório dos valores de que tratam os incisos I e II do caput.”

No caso da mensuração contábil do ágio, deságio, mais-valia ou goodwill, existe outro órgão regulamentador das transações, chamado Comitê de Pronunciamentos Contábeis por meio da CPC 15 (R1).

Carteira de Clientes

Este é outro fator que gera expectativas de lucros futuros e que não pode ser convertido em termos financeiros. Uma empresa já estabelecida no mercado conta com uma base de clientes fiéis e conhecidos, o que representa um diferencial na hora de fechar negócio.

Assim como a credibilidade da marca, a carteira de clientes é construída ao longo do tempo e as empresas a mantêm com zelo. Afinal, não é uma tarefa simples conquistar e manter os clientes de uma empresa. Por isso, a importância da carteira de clientes entrar no cálculo do fechamento de negócios.

Goodwill: Saiba o que é e como ele é determinado pela contabilidade
Goodwill é um termo comum no mundo das negociações. | Foto: Unsplash

Conhecimento Organizacional

Este é outro fator que pode ser considerado goodwill e que consiste nos conhecimentos adquiridos pelo corpo de colaboradores ao longo dos anos de atuação da empresa. Esses conhecimentos asseguram tomadas de decisão conscientes.

Por que devemos manter o contrato com um fornecedor e negociar com o outro? Como resolveremos o problema X, com base em situações anteriores? Apenas pessoas que já estão dentro da empresa e a conhecem podem responder estas questões. Esse tipo de conhecimento é essencial para a manutenção dos lucros da empresa adquirida.

E como se determina o goodwill?

Já falamos anteriormente que goodwill não é facilmente mensurado, já que envolve muitos fatores que não conseguem ser traduzidos em valores monetários e financeiros. Mas, embora não apareça no Balanço Patrimonial das empresas, surge nos cálculos de uma negociação de compra ou venda de uma empresa.

Em termos contábeis pode-se definir o goodwill como a diferença entre o valor de aquisição e o valor do patrimônio líquido da empresa ao valor adequado. Esse cálculo é expresso na seguinte fórmula:

Goodwill = VME (Valor de Mercado da Aquisição) – PLE (Patrimônio Líquido de Entidade)

Isso se dá, pois o valor pago em uma aquisição não reflete o valor do patrimônio líquido de uma empresa. O valor final é oriundo da negociação das partes, pautado no interesse mútuo em vender e comprar e já levando em conta a expectativa de lucro futuro, ou seja, o goodwill. Para saber mais sobre o assunto, clique aqui e entre em contato com o Grupo CPCON.

Foto 1: https://unsplash.com/photos/NbtIDoFKGO8

 Foto 2:https://unsplash.com/photos/aG-pvyMsbis

Deixe uma resposta