Análise de mercado: o que é, para que serve e como fazer

A análise de mercado é fundamental para o plano de negócio, pois, ao analisar os pontos fortes e fracos da empresa, levará a companhia rumo ao sucesso.

Atualmente, o mercado econômico é repleto de fortes concorrências, evoluções e tendências que mudam constantemente. E a responsável por isso é a tecnologia que reduz o ciclo de vida de produtos e serviços. Assim como faz com que não haja garantia alguma sobre o sucesso de um empreendimento a longo prazo. Por isso, constantemente, as empresas precisam realizar uma análise de mercado consistente e eficiente.

Para adquirirem informações e entendimentos pertinentes sobre o mercado atuante e seus clientes e concorrentes. A análise de mercado mostrará, com dados e informações, a respeito do conhecimento da empresa sobre seu mercado atuante. De maneira que ela é um dos principais aspectos que o plano de negócios apresenta.

Ou seja, as empresas precisam estar atentas ao mercado e aos desafios dele. E isso para conhecer profundamente tanto o mercado quanto os anseios do público-alvo e possíveis novos clientes. E é por meio da análise mercadológica, pelo plano de negócios, que a empresa conseguirá informações.
Essas que guiaram o empresário em decisões assertivas rumo ao crescimento e a rentabilidade empresarial.

O que é análise de mercado?

A análise de mercado, ou análise mercadológica, é um procedimento fundamental no plano de negócios e deve ser um processo contínuo. Pois, é por meio dessa análise que se obterão dados e informações internas e externas, além de relevantes, sobre o mercado e sobre um nicho específico. 

Pela análise, qualquer momento do empreendimento terá suas ações e decisões definidas. Seja na criação da empresa, para verificar se essa ação é viável, ou por toda a sua existência, para que ela esteja sempre de acordo com os almejos do mercado e dos seus clientes.

Assim, a análise mercadológica é um guia que mostra as perguntas e respostas necessárias para o presente e futuro da empresa. De maneira que fará com que os responsáveis identifiquem as oportunidades e ameaças que a cercam. Analisem essas informações e atuem de forma estratégica.

O que a análise de mercado proporciona?

Pela análise de mercado fazer parte do plano de negócios, ela se relaciona diretamente com o marketing da empresa. Ao fornecer informações detalhadas sobre o ambiente em que a empresa, seu produto ou serviço estão, essa análise permite obter informações sobre:

  • Público-alvo e as necessidades deles;
  • Cenário competitivo pelas informações sobre os concorrentes e seus produtos e serviços;
  • Tamanho do mercado e necessidade dos nichos;
  • Tendências de crescimento empresária ao mostrar se a empresa e seus serviços são atrativos para o mercado;
  • Objetivos da empresa em relação à implantação de uma ideia.

Ou seja, por meio das informações geradas, a análise mercadológica determina se a empresa é atrativa para um nicho. 

E, também, os riscos atuais e futuros para a companhia dentro de um mercado. Tudo isso para que a empresa e seus produtos se posicionem bem no mercado. Portanto, especificamente essa análise permite:

Análise de mercado: o que é, para que serve e como fazer

O que pesquisar e conhecer para embasar a análise de mercado?

A análise de mercado é uma pesquisa, um estudo e uma avaliação profundos sobre o segmento de atuação de uma empresa. Seja o qual ela quer se inserir ou que já está inserida. 

Assim, esse estudo apresentará dados-chave, percepções e informações sobre o nicho, atuação da companhia, potencial, concorrência, público-alvo, fornecedores e expectativas econômicas. O que impactará de forma positiva ou negativa a tomada de decisões. 

Para uma análise mercadológica bem-sucedida, o primeiro passo é entender o que essa atividade é e qual sua função. Depois, é essencial começar a fazer as seguintes pesquisas:

Conheça o setor em que sua empresa se inserirá ou já atua

Com a constante mudança do mercado, a concorrência maior e recorrentes novas ofertas de produtos e serviços, para se manter no mercado e conquistar novos clientes, a empresa precisa conhecer muito bem o seu setor de atuação.

Isso significa que o que a empresa oferta precisa se destacar dos demais e possuir um serviço ou produto inovador. O que será alcançado apenas com um entendimento e conhecimento do mercado e das necessidades e exigências dos clientes. Dessa forma, ao conhecer o setor, a empresa melhorará seu posicionamento no mercado.

A pesquisa sobre o setor poderá ser feita em associações setoriais e agências reguladoras. Outra opção também é o Sebrae e sites de buscas com fontes confiáveis e relevantes. Ou seja, toda a informação que dar base para a análise de mercado analisar a operação da companhia é válida.

Portanto, analisar o cenário atual do mercado em que a empresa atua ou atuará é fundamental para a análise de mercado. As informações do momento sobre os consumidores, mercado e economia impactam diretamente na venda dos produtos e no estilo de vida dos clientes.

Saiba quem é seu público-alvo

O público-alvo é aquele que o produto ou serviço se destinará. Por isso, é fundamental que uma companhia conheça tudo o que puder sobre seus clientes. Com o objetivo para criar e vender produtos que atendam às necessidades e desejos deles. 

Para essa finalidade, há pesquisas quantitativas e qualitativas. A quantitativa verifica as questões de estilo de vida e de consumo do público prioritário. Enquanto a segunda se embasa em dados demográficos que são disponibilizados por órgãos como o IBGE.

Compreenda sobre os fornecedores e a concorrência

Conhecer os fornecedores e a concorrência da empresa também é fundamental para o sucesso da mesma. Os fornecedores impactam diretamente na produção por conta dos serviços que eles prestam. Assim, é essencial considerar fornecedores confiáveis e que entregarão serviços justos e no prazo.

Já os concorrentes mostram para a empresa e seus gerenciadores quais devem ser seus diferenciais e posicionamento. 

Dessa forma, o empreendimento em questão precisa analisar os produtos e serviços dos concorrentes para conhecer os pontos fortes e fracos deles. Os pontos fortes mostrarão em que a empresa pode basear seus produtos dentro do mercado. Já os fracos mostram qual deve ser o diferencial dos itens para atrair o público-alvo.

Parametrize o preço dos produtos

Para precificar um produto, a pesquisa de nicho de mercado, público-alvo, fornecedores e concorrência são fundamentais. Atribuir um valor a um produto precisa considerar todos esses fatores e não uma atribuição de valor com base em achismos e valores de custo.

Dessa maneira, o preço de um produto ou serviço não pode ser nem muito alto e nem muito baixo. E isso para não destoar dos outros e diminuir os clientes.

No entanto, se o nicho de mercado não for explorado, há como aumentar um pouco o preço final do produto.

Ter conhecimento do CAC é fundamental

O CAC, ou Custo de Aquisição do Cliente, é uma métrica que demonstra qual é o investimento médio da empresa. E esse investimento tem o objetivo de conquistar novos clientes.

Para essa finalidade, há um cálculo que considera os investimentos e os novos clientes que a empresa adquiriu sempre no mesmo período. Desse modo, o CAC precisa de um cálculo mensal, mas que considere as variações esporádicas e impactantes para o negócio.

Não deixe de estudar as projeções de mercado

As projeções de mercado são uma parte da análise de mercado que auxilia a prever informações sobre ele. Dentre elas, estão vendas, características, tendências e números.

Por meio da previsão das vendas, a empresa adquire uma perspectiva sobre o futuro financeiro dela, como saber se será estável. E essa atividade se baseia em coletar dados do passado e do presente. O que mostra que é uma avaliação confiável e segura.

O resultado do estudo das projeções de mercado mostra a empresa qual é o capital que ela precisará em certos momentos. O que faz com que ela esteja melhor preparada para o mercado e escolha de decisões.

Análise de mercado: como fazer?

Para saber análise de mercado como fazer, é fundamental conhecer a matriz SWOT, ou FOFA, e seus fundamentos. Essa matriz é uma ferramenta de gestão que apresenta alguns fatores que impactam no sucesso de uma análise mercadológica. Dessa forma, a Matriz SWOT se compõe por:

  • Strenghts (Forças);
  • Weaknesses (Fraquezas);
  • Opportunities (Oportunidades);
  • Threats (Ameaças).

Na análise SWOT, observa-se o ambiente interno e externo da empresa e do projeto. Dessa forma, as forças e as fraquezas são referentes ao interno da empresa, ou seja, seus pontos positivos e negativos.

Já os fatores externos são as oportunidades e ameaças, e são nelas que entram a análise de mercado. Além de considerar os concorrentes, fornecedores e macroambientes políticos.

Com isso, é por meio dessa avaliação da Matriz SWOT que se alcançará um panorama completo sobre a empresa. De maneira a mostrar se o projeto alcançará sucesso e quais as estratégias para atingir essa finalidade.

Portanto, para fazer uma análise de mercado, é necessário usar da Matriz SWOT e analisar o que ela apresentou.

O que a Matriz SWOT analisa?

A estratégia da Matriz SWOT analisa 10 itens, os quais após sua avaliação precisam receber notas de 0 a 10. As notas próximas a 0 mostram que esse item não é nada atrativo. Já notas mais alta, como 10, mostram que o item analisado é altamente atrativo.

Com a atribuição das notas para cada item, a empresa chegará a um resultado numérico final. Se o resultado for menor do que 50 ou exatamente esse número, a ideia não é viável e nem favorável.

Resultados entre 50 a 75 são medianos, o que mostra que podem dar certo, mas que há muitas variáveis a se considerar. Por exemplo, o negócio deverá investir mais dinheiro e recursos do que necessário.

Já os resultados acima de 75 apresentam que a ideia é completamente viável e que dará certo.

Urgência

A urgência mostra o quão um mercado ou os clientes precisam do produto e serviço que a empresa oferecerá. Ou seja, o produto precisa ser necessário para uma comunidade e se diferenciar dos outros serviços dentro do mesmo mercado. 

Por isso, informações sobre o mercado e, principalmente, sobre o público-alvo e suas necessidades precisam ser consideradas.

Tamanho do mercado

Quanto maior o mercado, maior será a concorrência e quanto menor ele for, menor. Assim, esse item é fundamental para a compreensão sobre a concorrência que a empresa enfrenta ou enfrentará.

Portanto, a empresa precisa conhecer esses dados para determinar quanto será seu esforço para desenvolver produtos e serviços que se destaquem.

Potencial de precificação

O potencial de precificação mostra a oferta e procura de produtos e serviços dentro do mercado. Por meio dele, os preços de concorrentes serão mostrados para que a empresa saiba como precificar corretamente seus produtos. E isso sem prejudicar financeiramente ela mesma e seus clientes.

Mesmo que determinar o preço seja um desafio, a pesquisa do potencial de precificação fará com que a empresa encontre um valor justo. Esse que gerará lucro para a companhia e acessibilidade para os clientes.

Custo de aquisição de clientes (CAC)

Como visto, o CAC é essencial para calcular os lucros da empresa. Afinal, essa métrica mostrará o quanto a empresa gasta para adquirir um cliente. Com isso, para conhecer esse valor se deve somar as despesas da empresa em relação aos setores de vendas e marketing. E dividir pelo número de clientes conquistados em um período específico.

Custo de entrega de valor

Esse item mostra o quanto a empresa deverá investir para entregar valor aos seus clientes. Além de considerar qual será o esforço envolvido como as despesas com aluguel, contas, salários e impostos. Por meio da identificação desses valores chegará ao custo total do empreendimento. 

Exclusividade de oferta

Um item importante da Matriz SWOT é estudar a exclusividade do serviço ou do produto. Para se destacar no mercado, o produto precisa ser único e não ser fácil de copiar. E isso com a finalidade de que ele se expanda pelo mercado e pelos clientes.

Caso o produto não seja exclusivo, ele precisará ser de qualidade e com um preço competitivo. Além de uma estratégia bem definida e eficiente de destaque no mercado.

Rapidez em entrar no mercado

A velocidade que um produto ou serviço tem para conseguir entrar no mercado precisa ser considerada na Matriz SWOT. Afinal, esse item faz com que a avaliação de mercado verifique se a empresa possuirá dinheiro em caixa suficiente até lucrar e conseguir retorno do seu investimento.

Investimento inicial

O investimento inicial é o valor que a empresa terá que possuir previamente para iniciar seu negócio. Ou seja, ela desembolsará algo para comprar ativos tangíveis e intangíveis para iniciar o seu trabalho.

Além disso, empresas que já estão no mercado, mas irão se expandir, também devem considerar o investimento inicial.

Esse investimento precisa estar no orçamento empresarial e é ele que mostrará as possíveis metas e objetivos. Pois sem um orçamento planejado, a empresa pode causar mais despesas do que o esperado.

Potencial de lucro perene

Conhece-se a viabilidade em longo prazo de uma empresa pelo seu potencial de lucro perene. Esse item apresenta qual é o esforço e trabalho que a empresa precisará para continuar a vender e ofertar seus produtos e serviços.

Por exemplo, há produtos que só se modificarão e atualização quando necessários. Agora outros precisarão de atualização constante para se manter no mercado e serem eficientes para os clientes.

Potencial de venda e de produtos secundários

Muitas empresas oferecem outros serviços e produtos que se diferenciam um pouco dos seus produtos principais. Esses são os produtos secundários que também precisam se atenção. Afinal, eles também precisam de análises próprias e de ofertas de mercado.

Dessa forma, os produtos secundários podem ser uma oportunidade para a empresa se destacar e se expandir no mercado.

Tipos de mercado

A empresa que deseja se posicionar em um mercado, seja uma nova companhia ou com um novo produto precisa conhecer os mercados. Isso é, antes da análise de mercado, é essencial identificar o nicho que a empresa estará.

Assim, há diversos tipos de mercado que ajudam a determinar o nicho da empresa. E há como classificá-los de acordo com informações como:

  • Produto;
  • Concorrência;
  • Cliente;
  • Área geográfica.

Tipos de mercados segundo os clientes

Os clientes de uma empresa podem ser pessoas, empresas ou instituições que adquirem produtos ou serviços da companhia em questão. Assim, elas podem ser:

  • Mercado industrial: Esse tipo de mercado é aquele que compra commodities para produzir outros bens ou serviços;
  • Mercado de revendedores: O mercado de revendedores se caracteriza pelas empresas que compram um produto ou serviço para, depois, vendê-lo novamente;
  • Mercado de consumo: Já o mercado consumidor é aquele que um comprador compra algo para si mesmo. De maneira a alcançar uma necessidade ou desejo pessoal;
  • Mercado governamental: Nesse mercado, os clientes são as instituições governamentais que compram serviços ou produtos para oferecer à sociedade;
  • Mercado de trabalho: Por último, o mercado de trabalho é quando uma instituição compra as horas de trabalho dos funcionários.

Tipos de mercados segundo a concorrência

Analisar a concorrência e conhecer seu mercado é necessário para qualquer bom posicionamento empresarial. São tipos desse mercado:

  • Mercado de monopólio: Esse mercado é aquele em que há a exclusividade de uma única empresa em ofertar certos bens e serviços. Assim, a companhia não tem competitividade e pode controlar totalmente a qualidade e valor dos serviços e produtos;
  • Mercado de concorrência imperfeita: A concorrência imperfeita significa que tanto companhias quanto compradores definirão os preços;
  • Mercado de concorrência perfeita: O mercado de concorrência perfeita é o oposto do anterior. Pois há muitos concorrentes que não possuem influencia sobre os preços de mercado.

Tipos de mercados segundo produto

Os produtos e serviços também apresentam classificações diferentes de mercado que empresas devem considerar.

  • Mercados financeiros: Eles abrangem diversos mercados que apresentam compradores e vendedores que vedem ativos financeiros;
  • Mercado de bens e serviços de consumo: Esse tipo de mercado tem bens que desaparecem. Ou seja, ele visa satisfazer um desejo específico dos clientes que, após satisfeitos, não sentem mais necessidade em possuir aquele bem;
  • Mercado de bens industriais: O mercado se volta para a produção de produtos industriais por meio do uso de matérias-primas.

Tipos de mercados de acordo com área geográfica

As áreas geográficas impactam diretamente os produtos e serviços. Portanto, conheça seus variados tipos:

  • Mercado global: O mercado global é aquele com as empresas multinacionais que têm unidades de negócio ao redor do mundo;
  • Mercado internacional: Semelhante ao mercado global, o internacional tem sua produção no seu país de origem e apenas comercializa seus produtos fora das suas fronteiras;
  • Mercado nacional: Esse tipo de mercado se difere dos anteriores por atuar e comercializar seus produtos e serviços apenas em seu país de origem;
  • Mercado regional: A área de atuação desse mercado é específica dentro de um local do país, como as feiras regionais;
  • Mercado local: Já o mercado local é o menor tipo de mercado. Afinal, ele atinge apenas os consumidores de um município ou província.

Tipos de análise

Além dos tipos de mercado, para uma análise de mercado eficiente se deve conseguir o máximo de informações possíveis. E há duas formas de fazer isso, pela análise de gabinete e pela pesquisa de mercado.

Análise de gabinete

A análise de gabinete considera a coleta de dados interna, ou seja, usa o público interno da empresa para esses fins. No entanto, por não envolver o externo e ter as informações advindas das percepções de funcionários, ela é mais genérica e ampla.

Dessa forma, essa análise pode ser um pouco rasa e precisa de mais dados para uma análise mercadológica completa.

Pesquisa de mercado

Outro tipo de análise de mercado é a pesquisa de mercado. Essa pesquisa é mais ativa e completa que a primeira, pois é preciso ir a campo para conseguir as informações. Ou seja, ela usa de dados externos para gerar informações.

Assim, essa pesquisa utilizará de questionários para se aplicar a um grupo de pessoas. Esses que devem ser clientes, fornecedores e prospects.

O objetivo dessa pesquisa é descobrir o que o cliente espera sobre os produtos e sobre a empresa. Além de como o mercado se configura. E, com esse entendimento, haverá informações suficientes para melhoras os produtos e a empresa.

Análise de mercado: o que é, para que serve e como fazer

Qual é a importância de uma análise de mercado?

A análise de mercado fornece dados essenciais para a viabilidade de um produto ou serviço e de uma nova empresa. Assim, é por meio de informações sobre público-alvo, concorrentes, fornecedores que uma companhia saberá como agir e o que mudar para alcançar o objetivo de rentabilidade financeira e posicionamento no mercado.

Portanto, para identificar se uma ideia é viável, o diagnóstico advindo da análise de mercado apresentará uma resposta. De maneira que essa análise é importantíssima para qualquer empresa.

Agora que você já sabe a importância da análise mercadológica e como ela funciona, entre em contato com o grupo CPCON para que nós realizemos uma análise de mercado para você e para sua empresa.

Com mais de uma década de atuação e com clientes brasileiros e de fora do país, a CPCON é referência em excelência na prestação de serviços contábeis. De modo que é a empresa mais indicada para auxiliar a sua empresa em qualquer questão contábil!

0 0 votes
Avaliação do artigo
0 0 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Não perca o controle do seu inventario gerencie seus ativos de forma profissional com nossas ferramentas
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Conteúdo Relacionados
CAIXA

Case de Sucesso Histórico da empresa No dia 12 de janeiro de 1861, Dom Pedro II assinou o Decreto nº 2.723, que fundou a Caixa

Continuar lendo »
Conteúdo