Ativo circulante: Tudo o que você precisa saber!

O ativo circulante inclui os bens e direitos de uma empresa. Por isso, é importante conhecer o conceito para uma melhor organização.

Um ativo circulante é um tipo de representação das disponibilidades financeiras de uma empresa. Dessa forma, saiba que há um ciclo específico nas operações.

Assim, você deve saber como isso funciona para poder colocar em prática na sua organização. Então é sobre este assunto que vamos falar no artigo que traz todas as informações necessárias.

O que é um ativo circulante?

A primeira coisa que você tem que saber é o significado do conceito. Afinal, o ativo circulante consiste numa certa representação. Onde temos todas as disponibilidades financeiras.

Com isso, entenda que estão listados os bens e os direitos. Dessa maneira, eles podem se tornar dinheiro através da conversão. Ou simplesmente serem vendidos, consumidos durante um ciclo das operações.

Vale ressaltar que dentro da empresa a liquidez dele é bem elevada. Ao passo que pode ser realizável num período de curto prazo. Desde que esteja dentro de um grupo das contas do ativo.

Por certo, você deve saber que o ativo circulante pode ser complicado. Entretanto, compreenda que aos poucos fica simples de entender o que ele representa.

Além disso, você pode otimizar a sua empresa se souber se organizar corretamente. Aliás, esteja ciente de que existem dois tipos de ativos. O circulante que mencionamos acima e o não circulante.

Decerto, cada um deles tem suas particularidades e estão inclusos no balanço patrimonial da empresa. De tal forma que tal balanço é basicamente um relatório, onde temos:

Tudo isso envolve um negócio e está diretamente relacionado ao ativo circulante. Assim, saiba que pelo levantamento será possível fazer muitas análises e acompanhamentos.

Pontos Chave

  • Ativo Circulante: São os bens e direitos de uma empresa que podem ser convertidos em dinheiro;
  • Balanço patrimonial: relatório com itens ativos, passivos e pertencentes ao patrimônio líquido;
  • Exemplos de ativos circulantes: incluem o estoque, matéria-prima, mercadorias, dinheiro do caixa, entre outros;
  • 3 tipos de ativos circulantes: líquido (dívidas imediatas), operacional (processos essenciais) e cíclico (recursos de tarefas rotineiras);
  • Ativo não circulante: difere do ativo circulante e consiste em bens e direitos com prazo maior a um ano até ser convertido em dinheiro;
  • Tipos de ativos não circulantes: realizáveis, investimentos, imobilizáveis e intangíveis;
  • Diferenças entre ativo circular e não circular: O primeiro é feito abaixo de um ano e o segundo tem período superior a 12 meses.

O que é balanço patrimonial?

Você viu anteriormente o que é um ativo circulante e sua importância. Desse modo, compreenda que o conceito está inserido dentro do documento do balanço patrimonial.

Nisso, compreenda que este relatório inclui todos os itens passivos, ativos e pertencentes ao patrimônio líquido. Fazendo com que o levantamento mantenha tudo organizado e muito bem especificado.

Certamente, você terá muitas vantagens ao construir o documento. Que tem em seu formato o ativo circulante e o não circulante. Como resultado disso, será possível fazer certos acompanhamentos.

E análises que são de grande importância para a saúde de uma empresa. Dessa maneira, entenda que os itens passivos englobam as obrigações financeiras da companhia.

Enquanto que a mesma terá de cumpri-las no prazo correto. Podendo ser tanto presentes quanto futuras. Com isso, a empresa pode converter muitos bens para dinheiro, o que é extremamente vantajoso.

Por isso, você precisa entender o balanço patrimonial que mostra dados e informações essenciais. Visto que inclui todos os ativos diretos e indiretos conforme mencionamos acima.

Ativo Circulante 2

Quais são os principais tipos de ativo circulante?

De acordo com o mercado financeiro, o ativo circulante pode ser bens ou direitos. Onde a empresa consegue convertê-los diretamente para valores monetários.

De tal modo que isso pode ser realizado em um prazo mais curto de tempo. Ou mesmo num período de 12 meses, ou seja, prazo máxima de 1 ano. A nomenclatura dele é derivada mediante ao seu grau de liquidez.

Que é bem maior e que permite com que a organização obtenha dinheiro mais rapidamente. Uma vez que a liquidez empregada no processo pode ser feita com mais rapidez.

Contudo, ainda é interessante descobrir qual a importância dele para uma empresa. E são muitas as vantagens que ajudam no suporte financeiro de uma companhia.

Assim, saiba que o ativo circulante é fundamental para que os negócios possam rodar. Realizando os pagamentos das principais despesas (frequentes) que incluem os seguintes fatores:

  • Salários;
  • Impostos;
  • Duplicatas (fornecedores);
  • Entre outros.

Por certo, você terá uma organização muito mais competente na empresa. Com todos os dados necessários e uma listagem completa com os itens essenciais.

Em matéria de ativos circulantes os mais conhecidos são:

  • Estoque;
  • Matérias-primas;
  • Mercadorias;
  • Dinheiro (caixa);
  • Aplicações financeiras (curto prazo);
  • Contas (curto prazo) a receber;
  • Entre outros.

Vale lembrar que o ativo circulante se divide em pelo menos 3 tipos. Sendo o líquido, operacional e o cíclico. A fim de ajudar na compreensão os próximos tópicos vamos trazer a explicação de cada um deles.

O ativo circulante líquido

Em resumo, você deve saber que o ativo circulante é amplamente conhecido no ramo financeiro. De tal forma que possui todos os recursos que estão disponíveis para pagamentos de dívidas.

E também das despesas que fazem parte de um negócio específico. Nisso, estão listados os valores em dinheiro que ingressam pelas suas atividades. Além dos investimentos que são obtidos no período de curto prazo.

Dessa forma, compreenda que o ativo circulante precisa ser corretamente analisado. No caso dele ser líquido pode ocorrer do mesmo ter um saldo positivo.

Com isso, saiba que isso indica que a empresa irá ter dinheiro para quitar suas dívidas imediatas. Como resultado, você terá uma maior organização e as chances de crescimento serão maiores.

O ativo circulante operacional

Por sua vez, o ativo circulante operacional inclui aqueles processos que são essenciais. De tal forma que possui as operações que servem para o funcionamento adequado de uma empresa.

Sendo que incluem aqueles que podem se tornar valor monetário. Principalmente a curto prazo, o que acaba se tornando altamente vantajoso. Nesse sentido, temos as contas a receber que se relacionam de modo direto a área de estoque.

Assim, o ativo circulante operacional também poderá ser as duplicatas que compõem as operações. De fato, compreenda que tudo que envolve o setor vão estar interligados ao modelo em questão.

O ativo circulante cíclico

Já o cíclico é conhecido como ativo regular e se relaciona aos recursos. Que foram gerados mediante as tarefas rotineiras de uma determinada empresa. Por certo, você precisa compreender que os exemplos podem ser:

  • Fornecedores;
  • Duplicatas;
  • Mercadorias;
  • Estoque (pagamentos);
  • Entre ouros ativos.

Dessa forma, saiba que temos os 3 tipos distintos e cada um deles tem seu grau de importância. Enquanto que o objetivo é sempre zelar por uma boa organização. E para que haja uma maior competência na criação dos documentos.

Sem dúvida, o ativo circulante engloba todos os direitos e os bens da empresa. De tal maneira que não importa de quais tipos eles sejam. Certamente, a grande vantagem realmente é a liquidez obtida no procedimento.

Como fazer para identificar o ativo circulante?

Embora pareça ser uma tarefa complicada, você consegue fazer isso com facilidade. Pois, compreenda que este ativo serve como uma forma de obter dinheiro para a empresa.

Ao passo que a mesma converte o bem ou direito em dinheiro de modo rápido. E são muitas as maneiras de fazer isso, veja alguns exemplos:

1. Vender produtos que estão no estoque;
2. Antecipação das contas a receber;
3. Utilizar o dinheiro em caixa.

Note que você terá benefícios ao aplicar o ativo circulante nas operações. Visto que tudo que pode ser convertido em dinheiro entra na categoria. O que acaba gerando várias oportunidades de captação de valores monetários.

O que é um ativo não circulante?

Você viu anteriormente o que vem a ser o modo circulante. Porém, ainda não explicamos o que vem a ser o não circulante. Desse modo, esteja ciente de que o mesmo é contrário ao convencional.

Uma vez que engloba somente tais bens ou direitos com prazo maior. De tal forma que a empresa só poderá obter dinheiro com eles no futuro. Seja em médio ou longo prazo, a transformação não será no presente.

Ou seja, no ativo circulante é possível ter liquidez de maneira ágil. O que resulta em ótimos benefícios e captação de dinheiro assim que for necessário. Entretanto, os não circulares não permitem com que você faça o mesmo processo.

Decerto, saiba que tais itens só podem se tornar dinheiro posteriormente. Assim, entenda que é muito mais vantajoso contar com o modelo circulante que demonstra mais praticidade.

Confira na lista abaixo quais são os principais tipos de ativos não circulantes:

  • Investimentos (longo prazo);
  • Propriedades Intelectuais (marcas e patentes);
  • Imóveis;
  • Equipamentos.

Por isso, é fundamental que você saiba a diferença entre eles. Afinal, compreenda que uma empresa precisa estar sempre atualizada. E quando faltar dinheiro o primeiro modelo pode ser a solução mais viável.

Quais são os tipos de ativos não circulantes?

Anteriormente foi possível perceber que o ativo circulante é de grande utilidade. Já que inclui tanto os bens quanto os direitos e permite obter dinheiro com eles facilmente.

Entretanto, no modo não circulante temos aqueles itens que não podem ser vendidos rapidamente. Uma vez que são específicos na empresa e requerem um período maior de tempo.

Sendo realmente o oposto do circulante, a conversão é feita a médio ou longo prazo. Além disso, saiba que a divisão entre eles ocorre em pelo menos 4 tipos distintos:

  • Realizável;
  • Investimentos;
  • Imobilizável;
  • Intangível.

Com isso, entenda que o ativo circulante é muito mais viável. De tal maneira que estabelece uma maneira direta de auxílio para a empresa. Que poderá vender seus itens e obter dinheiro mediante a conversão. Nos tópicos a seguir vamos detalhar cada um dos modelos não circulantes.

O Ativo não circulante realizável

Fazem parte da categoria realizável os ativos de longo prazo relacionados aos recebimentos. Dessa forma, compreenda que são quaisquer direitos de uma empresa com prazo para depois do balanço patrimonial.

Ou seja, aqueles que ultrapassam tal período, que pode superar 1 ano ou mesmo ser indeterminado. Assim, temos certos exemplos que são os seguintes:

  • Empréstimos;
  • Aplicações financeiras;
  • Depósitos;
  • Duplicatas.

Por certo, esteja ciente de que nele o recebimento sempre será de longo prazo. Sendo bastante diferente do ativo circulante convencional que é mais rápido e prático para gerar dinheiro.

Os investimentos

Outro tipo de ativo não circulante é o de investimentos, que também tem prazo maior. De tal modo que pode ser tanto de médio quanto de longo prazo. Basicamente englobam quaisquer tipos de investimentos com esse período de tempo.

Vale ressaltar que se parece um pouco com os próprios investimentos do mercado financeiro. Onde são obtidos os papéis e aguarda-se um tempo específico para a captação dos resultados.

De fato, saiba que o ativo circulante ainda é mais interessante mediante a liquidez apresentada. Por isso, é interessante que você avalie muito bem antes de fazer a escolha.

O ativo não circulante imobilizável

São os bens fixos e também os tangíveis que são utilizados nas operações das empresas. Dessa maneira, compreenda que podem contar com os maquinários, móveis, equipamentos, imóveis e até utensílios.

A fim de ressaltar melhor a explicação é importante detalhar o que é ativo imobilizado. No caso, entenda que o mesmo tem formação resultante de tais conjuntos:

  • Bens: referentes a manutenção de uma empresa;
  • Custos de benfeitorias (itens arrendados ou mesmo locados);
  • Aquisições dos bens de natureza tangível (máquinas, edifícios, etc).

Vale dizer que mesmo os itens que ainda estão em operação fazem parte do processo. Ou seja, construções (andamento), consórcios, importações, entre muitos outros.

Certamente, o ativo circulante requer todos esses conhecimentos na criação dos documentos. Enquanto que o não circulante imobilizável tem seu grau de importância compondo a categoria de longo prazo.

O ativo não circulante intangível

No caso do ativo não circulante intangível você tem os itens não tocáveis. Nesse sentido, saiba que os mesmos possuem valor monetário para uma determinada empresa.

Sendo fundamentais na captação de dinheiro em prazos futuros. Assim, você deve saber que os ativos mais comuns são:

  • Patentes;
  • Softwares;
  • Clientes;
  • Valores das marcas;
  • Entre outros.

Conforme você pode notar o ativo circulante se difere no período de conversão. Já que é bem mais rápido do que é apresentado nos ativos não circulantes do mercado.

Mesmo assim, entenda que todos os tipos listados tem seu grau de importância. De tal forma que é preciso avaliar todos eles para chegar a uma conclusão adequada.

Qual é a real diferença entre ativo circulante e não circulante?

Logo após todas essas informações ficou mais fácil de compreender cada um dos modelos. Entretanto, saiba que é preciso descobrir qual é o real ponto de diferença entre ativos circulantes e não circulantes.

Dessa forma, compreenda que o ativo circulante tem um período mais curto. Ou seja, o mesmo tem um prazo melhor para a transformação dos bens e direitos em valor monetário.

Com isso, a empresa poderá fazer uso deles em formato de recursos. Essa conversão geralmente é feita no período de um ano. Onde os ativos circulantes podem se tornar dinheiro mediante a certas atividades da organização.

Enquanto que no caso do ativo não circulante temos um período acima de 1 ano. Desse modo, você pode notar que esta acaba sendo realmente a grande diferença entre os dois.

Sem dúvida, é importante saber os pontos que os distinguem. Já que a empresa tem que se organizar corretamente para fazer o balanço patrimonial e outros documentos.

O que é ativo circulante operacional e o ativo circulante financeiro?

Além do ativo circulante existe uma outra divisão que também é muito importante. Nesse sentido, compreenda que primeira consiste no ativo circular operacional.

Assim, você precisa saber que ele representa o que é captado das operações empresariais. Ao passo que inclui as contas a serem pagas através dos clientes.

E também as dos estoques, ou seja, são obtidas mediante ao caixa (empresa) e das aplicações financeiras. Outro ponto essencial é o ativo permanente que já mencionamos no artigo como sendo o ativo não circulante.

Vale lembrar que tais dados servem na gestão contábil e nas necessidades de cálculos. Que englobam o capital de giro e os demais pontos a receberem análises.

Certamente, o ativo circulante é fundamental e compõem uma grande parte da empresa. Sendo facilmente convertidos em dinheiro e apresentando muitas vantagens para a organização.

O que é um ativo permanente?

Por sua vez, o ativo permanente é aquele que dificilmente se tornará valor monetário. De tal forma que pode ser bens ou direitos que pertencem a uma empresa.

Dessa maneira, compreenda que os mesmos podem ser investimentos, intangíveis, imobilizados e os diferidos. Nisso, são itens que não funcionam como os do ativo circulante que tem fácil conversão.

Conclusão

Em conclusão é possível perceber o quanto o ativo circulante é importante para uma empresa. Visto que ele comporta desde os bens até os direitos da mesma. De tal modo que é preciso uma avaliação completa para chegar a uma conclusão.

Aliás, você tem o ativo circulante que se torna dinheiro rapidamente e o não circular que demora um período maior. Além disso, compreenda que são muitas as subdivisões e cada uma tem suas especificações.

No balanço patrimonial todos os dados e informações necessários são incluídos. A fim de que seja possível determinar o crescimento da empresa e seus pontos a serem otimizados.

Portanto, saiba que muitos itens se enquadram como sendo da categoria dos ativos. E cabe a organização identifica-los e manter sempre uma organização adequada na empresa.

0 0 votes
Avaliação do artigo
0 0 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Não perca o controle do seu inventario gerencie seus ativos de forma profissional com nossas ferramentas
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Conteúdo Relacionados
Comitê de Pronunciamento Contábeis
CPC 08 e Custos em Emissão de Títulos

O CPC 08 tem por objetivo prescrever o tratamento contábil aplicável ao registro de custos incrementais incorridos em ações ou bônus de subscrição, na captação de recursos por meio de emissão de títulos de dívida e também em outros títulos patrimoniais de dívida.

Continuar lendo »
Conteúdo