Planejamento Tributário: O que é, tipos e benefícios

Planejamento Tributário
Um bom planejamento tributário ajuda as empresas a crescerem no mercado. Além de evitar problemas com o pagamento de impostos.

As empresas devem ter um planejamento tributário adequado para se manterem sempre lucrativas. Dessa forma, compreenda que os valores a serem pagos devem ser muito bem conhecidos.

Assim, você precisa entender que isso ajuda na economia de dinheiro, já que a carga tributária acaba reduzida com bom conhecimento técnico. Então é sobre esse tema que vamos tratar neste artigo completo.

Pontos Chave

  • Planejamento Tributário: Serve para organizar valores a serem pagos pela empresa. Sempre respeitando a lei e evitando prejuízos. Ajuda também na redução das cargas tributárias;
  • 3 tipos de planejamento tributário: Operacional, estratégico e tático;
  • Vantagens do Planejamento: Gera economia, traz maior segurança e aumenta a competitividade;
  • Etapas do Planejamento Tributário: Envolve a Coleta de Dados, Análise de Natureza Jurídica/Enquadramento e a Escolha do Regime tributário;
  • Regimes Tributários (3 formatos): Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido.

O que é Planejamento Tributário?

O planejamento tributário é uma forma de organizar muito bem os valores a serem pagos. De tal forma que respeita a lei e faz com que a empresa não tenha prejuízos na atividade.

Por certo, compreenda que o grande objetivo dele é ajuda na redução da carga tributária. Enquanto que é fundamental para que o negócio tenha as escolhas ideais em matéria de termos fiscais.

Nisso, entenda que o planejamento tributário necessita estar sempre dentro da legislação. E não importa o tamanho das empresas e nem os segmentos que elas atuam.

Visto que todas estas organizações podem participar do processo visando melhores resultados. Desse modo, saiba que a vantagem é que elas poderão pagar apenas os impostos que sejam necessários.

O que é essencial e auxilia bastante na busca por uma evolução no mercado. Vale destacar que são vários os tributos que devem ser pagos para o Governo. E pode acontecer da empresa pagar tributos acima do que deveria.

Ou mesmo não conhecer totalmente todos os tipos de incentivos fiscais de direito dela. De fato, compreenda que o planejamento tributário é feito por profissionais que tenham conhecimento amplo na categoria.

Uma vez que este planejamento fiscal é voltado para a otimização dos recursos de uma determina organização. Já que o dinheiro economizado pode ser direcionado justamente para alguma outra atividade importante.

Além de seguir a lei e evitar problemas ao não pagar corretamente o que é do Governo. Dessa forma, entenda que tal estratégia funciona como um tipo de investimento.

Onde a empresa pode fazer seu negócio crescer e consequentemente terá mais lucratividade. Assim, saiba que no planejamento tributário temos ao menos 3 modelos para sua implementação.

Quais são os 3 tipos de planejamentos tributários?

Você deve entender que temos 3 formatos de planejamentos tributários. Nesse sentido, saiba que o primeiro passo antes de implementar algum deles é o levantamento de dados.

Sendo que tais informações são fundamentais para que haja uma correta orientação nas tomadas de decisões. Com isso, compreenda que os dados podem incluir:

  • Receita (bruta);
  • Gastos nas operações;
  • Margens de lucros/despesas (funcionários).

Assim, com o uso do planejamento tributário cria-se uma simulação dos cenários existentes. De tal forma que isso irá contribuir diretamente para o plano fiscal da organização.

Confira na lista abaixo quais são esses 3 modelos:

A fim de ajudar na compreensão de cada um dos tipos, os mesmos serão detalhados a seguir. Pois, saiba que eles podem ser complexos em alguns aspectos e precisam ser aplicados corretamente.

Operacional

O primeiro modelo que você deve conhecer é o Operacional. Uma vez que ele engloba um planejamento direto na escrituração. Além de manter os pagamentos dos impostos sempre em dia (prazo).

Desse modo, ele consegue evitar com que sejam feitos gastos tidos como desnecessários. Sendo um planejamento tributário básico e que é ideal para a maioria das empresas.

Enquanto que sua projeção geralmente é de 6 meses, sempre levantando todos aqueles impostos a serem pagos. Aliás, saiba que ele permite identificar datas limites, e organiza as rotinas para evitar atrasos.

E os profissionais que atuam nisso carecem de uma dedicação específica para esta atividade. Pois, não é interessante que ocorra algum tipo de risco mediante a esquecimentos. Por fim, os tributos e seus pagamentos são bem organizados e usa-se o dinheiro em cada valor proposto.

Estatégico

Outro planejamento tributário é o Estratégico que é para o longo prazo. De tal forma que ele pode ser aplicado em períodos de 5 até 10 anos. Gerando previsões conforme as expectativas futuras da organização.

Embora não apresente muitos detalhes, ele tem foco nas decisões tidas como abrangentes. Uma delas é justamente o tipo de regime tributário desta empresa específica.

Além de precisar de revisões (periódicas), porém pode carecer de alguns ajustes. Em termos de frequência nestas revisões tudo dependerá das mudanças nos negócios.

Ou seja, no faturamento, funcionários (número), entre outros aspectos relevantes. Com isso, entenda que o planejamento tributário em questão requer plano estratégico e operações funcionando em conjunto.

Tático

Por sua vez, o modelo tático envolve a aplicação em período de médio prazo. Dessa forma, compreenda que o mesmo é voltado para poucos anos de diferença.

Enquanto que comporta um plano conjunto entre parte operacional e estratégica. Outro detalhe é que consegue elaborar táticas que são criadas por este plano estratégico.

Gerando rotinas que são utilizadas dentro desta mesma linha de operações. Nisso, temos um planejamento tributário com foco que visa alinhamento nas estratégias do longo prazo.

Contudo, os negócios que não tenham estes profissionais vão ter que terceirizar a tarefa. De tal modo que basta apenas selecionar alguma empresa da categoria que faça este trabalho com qualidade.

Quais são os benefícios de contar com um planejamento tributário?

Você deve entender que o planejamento dos tributos é voltado para empresas dos mais diversos tamanhos. Dessa maneira, compreenda que são muitas as vantagens que podem ser observadas no processo.

Na lista abaixo temos algumas das principais:

  • Economia;
  • Segurança;
  • Competitividade.

Com isso, fica evidente que o planejamento tributário é útil para as empresas e gera otimizações. A economia é sem dúvida um dos grandes benefícios apresentados.

Visto que possibilita a diminuição nas despesas e também nos tributos. E isso é importante, principalmente aqui no Brasil, onde são muitos os impostos. Sendo que chegam a uma parcela de pelo menos 30% das receitas de uma empresa.

Por certo, a segurança é outro ponto essencial e este planejamento é preventivo. Com isso, o mesmo consegue remover diversos erros contábeis que poderiam trazer prejuízos.

Assim, entenda que o planejamento tributário diminui riscos com autuações. Ou mesmo com as imposições de possíveis multas realizadas pelo fisco. Uma vez que deixar de pagar certo tributo resultara neste problema.

Além disso, compreenda que a competitividade gerada será de grande utilidade. Pois, entenda que sobraram recursos para investir na própria atividade da empresa.

Como resultado disso, haverá o crescimento dos negócios e ajudará a deixar a concorrência para trás. Por isso, é fundamental avaliar o melhor tipo de planejamento para a sua empresa.

Quais são as etapas de um planejamento tributário?

O planejamento tributário requer algumas etapas específicas para que a implementação seja bem sucedida. Na sequência temos cada uma delas e a explicação.

Coleta dos dados

Primeiramente é preciso fazer uma reunião com suas equipes internas e externas. A fim de coletar as seguintes informações:

  • Estrutura/Porte da organização;
  • Enquadramento (tributário);
  • Atividades presentes no negócio;
  • Tarefas operacionais (administrativas, financeiras e contábeis).

O ideal é que todas as informações necessárias para o pagamento dos tributos sejam captadas. E quanto mais completo melhor serão os resultados, já que os dados são essenciais no processo.

Análise de Natureza Jurídica e do Enquadramento

Em seguida, é feita uma análise de natureza jurídica e do enquadramento. Nesse sentido, o planejamento tributário requer justamente a natureza jurídica de determinada empresa.

Dessa forma, temos pelo menos 25 tipos diferentes, na lista abaixo estão alguns exemplos:

  • SA: Sociedades Anônimas;
  • Sociedades Mistas;
  • LTDA: Sociedades Limitadas;
  • Empresário Individual;
  • Cooperativas;
  • Microempresa;
  • Entre outros.

Vale dizer que cada modelo possui características, imposições legais e limitações. Sendo que o próprio regime tributário será definido de acordo com a estrutura da empresa.

Escolher o regime tributário correto

Logo após a definição da Natureza Jurídica chega o momento de escolher qual será o regime tributário. Desse modo, compreenda que esta parte do planejamento tributário envolve a apuração e o recolhimento dos impostos.

De fato, os sistemas disponíveis consistem em:

  • Simples Nacional: consegue unificar os impostos em um documento. É voltado para as empresas micro ou que sejam pequenas;
  • Lucro Real: os cálculos dos impostos são feitos de modo separado. Dessa forma, é obrigatório para quem apresenta R$ 78 milhões (anuais);
  • Lucro Presumido: possui alíquotas (específicas) para cada um dos lucros apurados.

Sem dúvida, o modelo de planejamento tributário Simples Nacional é o mais escolhido para empresas pequenas. Visto que traz vários benefícios, mas os outros dois também trazem ótimos benefícios.

FAQ’s

Quais são os 3 tipos de planejamento tributário?

Os modelos de planejamento tributário se dividem em Operacional, Estratégico e Tático. Sendo que o plano estratégico e o período de cada um pode variar em comparação ao outro.

Qual é o objetivo do planejamento tributário?

Ele visa gerar uma diminuição nas despesas de uma empresa. De tal forma que ajuda a reduzir tributos pagos e também os valores incidentes sob o negócio.

Conclusão

O planejamento tributário é utilizado para criar um ótimo conjunto de estratégias, estudos e ações. A fim de fazer com que haja uma redução nas cargas tributárias de maneira legal.

Enquanto que os métodos são divididos em 3 tipos a serem avaliados pelas organizações. Sem dúvida, ter os tributos em dia evitará uma série de problemas e prejuízos.

Portanto, é fundamental que as empresas se empenhem em se adequar a este planejamento. Não esquecendo também de definir o regime de tributos que é de enorme importância no processo.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Você quer um inventario mais eficiente?
Beneficie-se com o rastreio em tempo real, redução significativa de perdas e um aumento notável na velocidade dos processos de gestão de ativos e estoques.
Sobre o Grupo CPCON
No Grupo CPCON, você encontra soluções especializadas em gestão de ativos e estoques, com ênfase na tecnologia RFID, para otimizar e agilizar seus processos. Oferecemos serviços como inventário de ativos, gestão de ativos de TI, consultoria imobiliária, reconciliação fiscal-física e automação com RFID. Além disso, temos gestão de estoque, serviços de avaliação, soluções ágeis, software e consultorias variadas. Nossa vasta experiência, incluindo trabalhos com clientes renomados como Caixa Econômica, Vale e Petrobras, reforça nosso compromisso com ética e proteção de dados.
Guias
Soluções
Cansado de erros e imprecisões na Gestão de Seus Ativos e Estoques?
Experimente a precisão e eficiência da tecnologia RFID do Grupo CPCON. Com rastreamento em tempo real e uma drástica redução nas perdas, acelere os processos de inventário e gestão em sua empresa. Transforme sua gestão de ativos hoje mesmo!
Em destaque

Conteúdos Relacionados a

Comitê de Pronunciamento Contábeis

CPC 04 e o Ativo Intangível

O objetivo do presente Pronunciamento Técnico é o de definir o tratamento contábil dos ativos intangíveis que não são abrangidos especificamente em outro Pronunciamento e estabelecer que uma entidade deve reconhecer um ativo intangível apenas se determinados critérios especificados nesse Pronunciamento forem atendidos.

Continuar lendo »
Comitê de Pronunciamento Contábeis

CPC 02 R2 e os Efeitos das Demonstrações Contábeis

O CPC 02 tem por objetivo determinar como incluir transações em moeda estrangeira e operações no exterior nas demonstrações contábeis de uma entidade no Brasil e mostrar como converter as demonstrações contábeis de entidade no exterior para a moeda de apresentação das demonstrações contábeis no Brasil para fins de registro da equivalência patrimonial.

Continuar lendo »
Novidades

Conteúdo Recentes

Rolar para cima