O Inventário Patrimonial no Contexto da sua Empresa
View of empty modern office with sofa, table, chair

O Inventário Patrimonial no Contexto da sua Empresa

As Origens do Conceito e da Palavra Inventário

O conceito de inventário é muito mais antigo do que parece. Desde que as sociedades humanas começaram a se organizar em núcleos urbanos e os bens primitivos começaram a ser produzidos, os líderes já sentiram a necessidade de criar inventários.

Na antiga civilização Cretense que floresceu no Mar Mediterrâneo, por exemplo, os arqueólogos encontraram vários artefatos antigos que tudo indica que sejam inventários.

Estes inventários, provavelmente, tem 2 origens:

– ou foram encomendados e produzidos pelos Reis para controlar os estoques dos armazéns imperiais

– ou então foram produzidos por comerciantes particulares, já que os Cretenses são famosos como navegadores e vendedores de produtos.

No que diz respeito a palavra Inventário, ela vem do Latim Inventarium. Embora o conceito de inventário já existisse, como foi dito acima, ele era normalmente referido como “lista de bens”, uma palavra específica para referi-lo ainda não tinha sido criada até a época de Roma.

É interessante notar, que a palavra inventário sofreu pouca alteração na grafia e fonética quando foi passando de uma língua para outra.

Do latim original Inventarium, a palavra se transformou em Inventory em Inglês, Inventario em Italiano e L’inventaire em Francês.

O Inventário Patrimonial na Contabilidade Moderna

Na Contabilidade Moderna, o conceito de Inventário Patrimonial varia de país para país, de legislação para legislação, mas de um modo geral inventário é uma relação ou lista onde se registram bens.

Um inventário patrimonial pode ser produzido de várias maneiras diferentes: pode ser padronizado (como é obrigatório em alguns países), pode ser uma descrição minuciosa ou então uma simples enumeração.

No Brasil, as definições gerais de como produzir e interpretar inventários são definidas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), que rege o setor através da publicação das Normas Brasileiras de Contabilidade.

O que deve ser Registrado em um Inventário Patrimonial ?

Os itens que devem ser registrados no inventário patrimonial variam de acordo com a atividade econômica, tipo de empresa, tipo de tributação que ela sofre, dentre outros fatores.

De qualquer forma, levando em conta os vários tipos diferentes de negócio e os vários contextos, temos sim alguns tipos básicos de itens que podem ser listados nos inventários:

Estrutura Física: Imóveis, Benfeitorias e Instalações, fundamentais para o funcionamento do negócio.

Estrutura Operacional: móveis, utensílios, instrumentos, equipamentos de informática, máquinas e equipamentos, fundamentais para o funcionamento do negócio.

Existe também o Inventário de Estoques, que são registrados na Contabilidade e podem ser também pontos a serem auditados. São eles:

Suprimentos: Itens que são necessários no dia a dia da empresa (materiais de escritório e de manutenção de máquinas por exemplo) mas que não estão diretamente envolvidos no processo de manufatura.

Matérias Primas: Todo e qualquer item ou componente usado na fabricação de um produto. É importante lembrar, que as matérias primas podem ser também produtos (um produto as vezes é apenas uma peça na fabricação de outro maior ou mais complexo).

Material em Processo: Componentes e materiais que já começaram a ser processados, estão no meio de um processo de transformação.

Produto Pronto: Produtos prontos, estão no estoque a espera de transporte ou então esperando a melhor oportunidade para serem vendidos.

A CPCON é responsável pela execução dos maiores projetos de inventário patrimonial no segmento privado e no segmento público.

Acompanhe nossos artigos e saiba mais sobres os temas de gestão e avaliação de ativos. Mande uma mensagem, será bom ouvir sua opinião.

Deixe uma resposta