IFRS S1: Requisitos gerais para a divulgação de informações financeiras relacionadas à sustentabilidade

Quais as vantagens e desvantagens do sistema WMS?

Você já ouviu falar a respeito da IFRS S1 e no que ela é utilizada quando aplicada nas organizações? Pois, entenda que ela engloba uma norma que contém diversas regras para a divulgação dos dados financeiros em relação a sustentabilidade.

Assim, nós da CPCON somos experts no assunto e conhecemos todos os detalhes que regem o processo. Então é sobre isso que vamos tratar no artigo que irá lhe ajudar a entender melhor o modelo em questão.

Pontos Chave

  • Função Principal: A norma visa padronizar as divulgações dos dados financeiros que tenham relação a sustentabilidade empresarial;
  • Benefícios: transparência, comparabilidade, decisões mais assertivas em relação aos investimentos, acesso ao capital, melhoria na reputação, otimização contínua, entre outros;
  • Recursos Disponíveis: materiais da ISSB, sites, publicações, guias, eventos, consultorias e assessorias;
  • Variabilidade: materialidade, setor, porte da empresa, métricas (indicadores) e a cadeia de valor;
  • Adaptação: entender a norma por completo, montar uma equipe (interna), avaliação da materialidade, análises, divulgações atuais, definição dos processos para a coleta dos dados, preparo de todos as divulgações, busca por uma assessoria de qualidade e manter-se sempre atualizado.

O que é IFRS S1?

IFRS S1 Requisitos gerais para a divulgação de informações financeiras relacionadas à sustentabilidade

A IFRS S1 consiste numa norma que traz um conjunto com várias regras e práticas específicas. De tal forma que a mesma serve para que as empresas possam divulgar seus dados financeiros relacionados a sustentabilidade.

Indicando um padrão para que isso seja realizado e de uma maneira que o resultado final fique adequado. Com isso, saiba que a IFRS S1 teve seu projeto publicado em meados de março do ano de 2.022.

Sendo que o órgão que realizou essa publicação foi o ISSB, ou seja, o International Sustainability Standards Boards. Onde o documento em formato de projeto (exposição) foi nomeado de “Requisitos Gerais para Divulgação de Informações Financeiras Relacionadas a Sustentabilidade”.

Ao passo que a proposta é de que as empresas fizessem as divulgações dos dados financeiros. Incluindo os riscos e as oportunidades que tenham referência direta a sustentabilidade.

No caso, compreenda que a documentação objetiva que a organização trouxesse todo um conjunto completo de dados. Já no dia 26 de Junho do ano de 2.023, a mesma ISSB realizou a emissão da IFRS S1.

Tendo a nomenclatura de “IFRS S1 – Requisitos Gerais para a Divulgação de Informações Financeiras Relacionados a Sustentabilidade”. Assim, entenda que o projeto da norma conta com um conjunto repleto de requisitos.

A serem utilizados nas divulgações, para que as empresas possam se comunicar com os seus investidores. Indicando os riscos, as oportunidades (curto, médio e longo prazo) e tudo mais relacionado a sustentabilidade.

Desse modo, saiba que o método visa trazer uma exigência para as organizações. A fim de que elas divulguem as informações que ajudem os usuários que vão ler os relatórios financeiros. E isso será de grande importância para a tomada de decisão deles.

Para que serve a IFRS S1?

IFRS S1 Requisitos gerais para a divulgação de informações financeiras relacionadas à sustentabilidade

Em termos de serventia, saiba que a IFRS S1 busca trazer uma padronização nas informações a serem divulgadas. De tal modo que tais dados específicos possuem relação direta para com a sustentabilidade.

Nisso, compreenda que através da norma são criados conjuntos com várias regras (obrigatórias). Para que essas empresas possam mostrar aos seus investidores os dados relacionados ao meio ambiente, governança e a parte social.

Com isso, entenda que a norma serve como uma base para ensinar o formato que a empresa deve fazer suas divulgações financeiras. Desde a parte do preparo até que se tenha a conclusão do relatório final (documento).

Por certo, saiba que são utilizadas algumas regras para serem aplicados no conteúdo e na apresentação. Sendo que o objetivo é que os dados possam ser úteis para os usuários interessados na organização.

Fazendo com que eles consigam através do auxílio da IFRS S1 chegarem a decisões mais assertivas. Já que eles é quem vão decidir se haverá o fornecimento dos recursos por parte deles ou não.

Na questão dos riscos e das oportunidades atrelados a sustentabilidade, há a seguinte obrigação de fornecimento dos dados por parte das empresas:

  • Processos, atividades de governança e os controles que são usados na monitoração, gestão e na supervisão;
  • Estratégia implementada neste gerenciamento;
  • Os procedimentos utilizados na identificação, avaliação, priorizações e nos monitoramentos;
  • Desempenho, indicando os progressos direcionados as metas definidas pela empresa. Ou mesmo quando a organização é obrigada a fazer o cumprimento de uma lei ou de um regulamento.

Nossa equipe de especialistas vê a implementação da IFRS S1 como uma excelente solução. Visto que a norma traz padrões e requisitos que ajudam na elaboração competente das demonstrações financeiras relacionadas a sustentabilidade.

Como a IFRS S1 funciona?

A norma IFRS S1 funciona realizando a definição de várias diretrizes e requisitos voltadas as empresas. Dessa forma, compreenda que a mesma auxilia de forma direta na divulgação dos dados financeiros.

Que tenham relação direta para com a sustentabilidade e segue um padrão bastante específico. Com isso, entenda que são usados alguns passos que conseguem otimizar ainda mais o processo:

  • Identificar os temas materiais: em primeiro lugar, saiba que a empresa terá que fazer a análise das suas atividades. Além de identificar as questões relacionadas a parte ambiental, social e da Governança (ASG). Indicando quais delas possuem mais impactos nos negócios na questão da materialidade. Enquanto que a tarefa inclui emissões (carbono), equipes diversificadas e a comunidade;
  • Atividades de gestão: será necessário também que a organização faça a descrição dos processos relacionados a gestão dos riscos. E também das oportunidades que tenham relação para com os temas de materiais sustentáveis que foram identificados. Assim, entenda que isso serve para mostrar o preparo da empresa para lidar com tais fatores;
  • Divulgações dos dados: neste passo da IFRS S1 temos a realização desta tarefa seguindo as diretrizes. E as informações são divulgadas a respeito da:
    • Governança: maneira e formato de supervisão realizados pelo conselho da administração e pela liderança. Ou seja, tanto dos riscos quanto das oportunidades geradas na sustentabilidade;
    • Estratégias: ao identificar os temas materiais surgem os planos que vão ser usados para lidar com isso;
    • Impactos na parte financeira: fatores vão afetar a área financeira desta empresa. E isso engloba o fluxo de caixa, os lucros e demais elementos;
    • Metas/indicadores: objetivos distribuídos nas questões sustentáveis e o modo de medição do progresso.
  • Auditoria: o processo não requer uma auditoria dos dados sustentáveis. Porém, entenda que os dados devem estar no relatório financeiro anual.

Quais são os principais pontos da norma IFRS S1?

IFRS S1 Requisitos gerais para a divulgação de informações financeiras relacionadas à sustentabilidade

Você viu que a IFRS S1 traz vários requisitos que permitem a elaboração das demonstrações contábeis com mais qualidade. Sendo útil para os investidores e demais interessados que pretendem investir em uma empresa.

Dessa maneira, nossa equipe identificou alguns pontos importantes na documentação da norma. Com isso, entenda que temos em destaque os seguintes itens:

1. Abrangência

A abrangência da norma é bem grande, já que ela pode ser aplicada nos mais diversos tipos de organizações (empresas). Ao passo que não importa o tamanho (porte) delas e nem seu setores ou localizações.

Além disso, saiba que com a IFRS S1 são agregados diversos temas voltados a sustentabilidade. O que inclui as mudanças no clima, recursos hídricos, diversidade, capital humano, direitos e demais elementos.

Sem dúvida, vemos este modelo como uma solução para otimizar as demonstrações financeiras. Visto que todos os dados vão ser padronizados e temos um relatório completo e bem estruturado.

2. Materialidade em foco

Caberá também as empresas a identificação da materialidade e dos temos relacionados a sustentabilidade. Já que isso impacta de forma significativa toda a situação financeira, perspectivas de futuro e as estratégias.

Por certo, compreenda que tal análise (materialidade) irá garantir com que os dados divulgados realmente sejam relevantes. E que os usuários possam entender o que está contido nos relatórios financeiros.

3. Base estruturada em Pilares (TCFD)

A IFRS S1 tem como base 4 pilares do TCFD, que é o Grupo de Trabalho Sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima. Dessa forma, compreenda que eles são a estrutura da divulgação dos dados.

Assim, compreenda que temos a Governança, que é o modo na qual esta empresa realiza as supervisões. Seja dos riscos ou das oportunidades que tenham algo relacionado a sustentabilidade.

Já o segundo pilar é o de estratégia que é a consideração dos fatores que estão atrelados a modalidade. Enquanto que a gestão de riscos é a maneira na qual a empresa faz a identificação, gestão e a avaliação tanto dos riscos quanto das oportunidades geradas.

E ainda temos o quarto pilar que envolve as métricas/metas, onde estão os indicadores utilizados na medição do desempenho. Além das metas que compõem a sustentabilidade nesta organização.

4. Dados exigidos

Outro ponto da IFRS S1 é que caberá as empresas fazer a divulgação dos dados tanto qualitativos quanto os quantitativos. De tal forma que inclui aqueles dos temas (materiais) na sustentabilidade.

Dessa maneira, compreenda também que as informações qualitativas terão que trazer a descrição da natureza (riscos). E também das oportunidades, além dos procedimento de gestão e das medidas que são tomadas nesta empresa.

Por sua vez, os dados quantitativos precisam trazer os indicadores que sejam mais relevantes. Em cada um dos temas materiais, tais como, emissão (gases), consumo da água, equipes diversificadas, etc.

Nossa equipe visualiza que quanto mais completo for a documentação elaborada melhores serão os resultados. E por isso indicamos que a empresa tenha bastante atenção e cautela ao lidar com os dados propostos.

5. Apresentação de qualidade

Na apresentação é necessário que haja tanto a clareza quanto a acessibilidade adequada. Já que os dados são relacionados a sustentabilidade e devem ajudar os usuários a entender o papel da empresa.

Enquanto que os relatórios financeiros devem ser construídos com muita atenção e competência. A fim de facilitar tanto a compreensão das informações quanto a comparação delas para com outras organizações.

De fato, compreenda que a IFRS S1 exige o cumprimento de todos os requisitos. Para que o resultado final seja um relatório com dados acessíveis e que possam ser compreendidos por todos.

6. Integração dos dados

Já a integração dos dados é outro ponto essencial da norma, e agrega unir as informações sustentáveis ao relatório (financeiro). Desse modo, entenda que este documento é anual e tem grande importância para a empresa.

Além disso, entenda que tal integração ainda mostrará o quanto esta organização se preocupa com a sustentabilidade. E gera uma facilidade nas análises dos dados pelos investidores e demais stakeholders (interessados).

7. Vigência (informações)

Um outro detalhe fundamental é que a IFRS S1 começou a vigorar nos exercícios fiscais em 1 de Janeiro de 2.024. Sendo que cobrirá também os períodos posteriores a essa data e as empresas precisam se adequar ao projeto.

Uma vez que será necessário iniciar todo o preparo para que a implementação da norma seja feita de forma correta. Por isso, acreditamos que o ideal é conhecer a documentação e seguir as diretrizes contidas no modelo.

Quais são as vantagens da IFRS S1?

IFRS S1 Requisitos gerais para a divulgação de informações financeiras relacionadas à sustentabilidade

Existem diversas vantagens resultantes da implementação da IFRS S1 e isso é essencial para as empresas. Visto que o projeto permite a construção de demonstrações financeiras de qualidade e altamente sustentáveis.

Com isso, saiba que os benefícios de maior destaque são:

  • Transparência dos dados e comparabilidade: o processo de padronização e de divulgação dos dados é feito com mais eficiência. Enquanto que isso permite com que haja as devidas comparações entre empresas de segmentos e portes diferentes. Sendo algo útil para as tomadas de decisões por parte dos stakeholders;
  • Decisões otimizadas na questão dos investimentos: tendo dados padronizados e de alta confiabilidade em relação a sustentabilidade se torna possível a avaliação de riscos e oportunidades. Dessa forma, compreenda que os investidores podem verificar o longo prazo. Fazendo com que seja mais simples de alocar capitação com consciência;
  • Responsabilidade ambiental: as empresas vão mostrar os impactos ambientais, na governança e na parte social. Ao passo que as divulgações mostram as preocupações da empresa. E são incentivadas as adoções das práticas consideradas mais sustentáveis;
  • Mercado Financeiro: o mercado também irá se mostrar mais sensível as questões relacionadas a sustentabilidade. Visto que a padronização da IFRS S1 será responsável por essa mudança. Incentivando as outras empresas a implementarem o método nas suas estratégias. A fim de promover práticas que sejam consideradas sustentáveis;
  • Acesso (capital): há um atrativo por parte dos investidores quando as empresas se mostram preocupadas com a sustentabilidade. Sendo que muitos deles buscam organizações que sejam responsáveis socialmente;
  • Reputação (favorável): com a inserção da norma temos o uso de ótimas práticas sustentáveis. O que ajuda a otimizar a confiança da organização, fazendo ela ser bem vista no mercado. E também pelos consumidores, fornecedores e demais pessoas.

IFRS S1 e a IFRS S2

Ao falarmos da IFRS S1 não podemos esquecer também da IFRS S2. Uma vez que elas atuam em conjunto e visam trazer um padrão global. A fim de que a divulgação dos dados relacionados a sustentabilidade sejam adequados.

Só para ajudar na compreensão vamos verificar um resumo das duas para entender melhor:

  • IFRS S1: Requisitos Gerais para a Divulgação das Informações Financeiras Relacionadas a Sustentabilidade:
    • Lançada em Junho do ano de 2.023;
    • Traz os requisitos (gerais) para que sejam feitas as divulgações dos dados relacionados a sustentabilidade empresarial;
    • Cria uma estrutura com base nos 4 pilares do TCFD (Governança, Estratégia, Gestão de Risco e Métricas/Metas);
    • Exige a identificação dos temas materiais e faz com que sejam apresentadas as informações dos impactos deles nos negócios;
    • Norma aplicável as empresas dos mais diversos portes tipos e segmentos.
  • IFRS S2: Divulgações Relacionadas ao Clima:
    • Uma norma que foi lançada junto a IFRS S1 e que tem foco em questões climáticas;
    • Serve para definir os requisitos usados nas divulgações dos dados que sejam relacionados ao clima;
    • Traz exigências de dados a respeito da governança, estratégias da gestão de riscos, impactos (clima) nos negócios e da emissão dos gases mediante o efeito estufa.

Por certo, nós sabemos que ambas as normas se complementam nos seguintes pontos:

  • A IFRS S1 funciona como uma base (geral) que serve para divulgar a sustentabilidade. Enquanto que a mesma define tais pilares e os requisitos para as questões relacionadas;
  • Já a IFRS S2 atua como um adicional na hora de divulgar os dados climáticos. Ao passo que esta norma aprofunda todos os detalhes que são exigidos na primeira norma. Sendo um ponto relevante para todos os investidores.

Entre em contato com um de nossos especialistas

Em conclusão, vimos que a IFRS S1 tem grande relevância e engloba um conjunto completo de regras. A fim de que isso ajude as empresas a divulgarem os dados financeiros relacionados a sustentabilidade.

Funcionando como uma forma de obrigação para que as empresas informem os riscos e as oportunidades aos investidores. E tudo isso acaba sendo importante, pois mostra aos interessados detalhes da empresa.

Nós da CPCON temos muita expertise para lidar com esse e outros assuntos relacionados. Visto que são mais de 25 anos de experiência na área e contamos com uma equipe de alto nível.

Entre em contato conosco e agende uma consulta para poder implementar a IFRS S1 da maneira correta.

FAQ: Perguntas Frequentes

As normas IFRS S1 e a IFRS S2 são obrigatórias?

As normas IFRS S1 e IFRS S2 vão se tornar obrigatórias caso os reguladores venham a integrar as mesmas nas estruturas dos relatos financeiros e também nos requisitos obrigatórios.

Quem deverá solicitar a IFRS S1?

A IFRS S1 deverá ser aplicada obrigatoriamente nos períodos dos relatórios anuais que tenham início após 1 de Janeiro de 2.024. Desse modo, compreenda que é possível fazer a aplicação antecipada e a IFRS S2 também terá que ser implementada neste mesmo período.

Qual é o impacto da IFRS S1 e da IFRS S2?

As normas em questão são as primeiras voltadas a divulgação da Sustentabilidade. Assim, entenda que na primeira temos os requisitos gerais para divulgar os dados financeiros. E na segunda são estabelecidos os requisitos voltados as informações financeiras com relação ao clima.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Você quer um inventario mais eficiente?
Beneficie-se com o rastreio em tempo real, redução significativa de perdas e um aumento notável na velocidade dos processos de gestão de ativos e estoques.
Sobre o Grupo CPCON
No Grupo CPCON, você encontra soluções especializadas em gestão de ativos e estoques, com ênfase na tecnologia RFID, para otimizar e agilizar seus processos. Oferecemos serviços como inventário de ativos, gestão de ativos de TI, consultoria imobiliária, reconciliação fiscal-física e automação com RFID. Além disso, temos gestão de estoque, serviços de avaliação, soluções ágeis, software e consultorias variadas. Nossa vasta experiência, incluindo trabalhos com clientes renomados como Caixa Econômica, Vale e Petrobras, reforça nosso compromisso com ética e proteção de dados.
Guias
Soluções
Cansado de erros e imprecisões na Gestão de Seus Ativos e Estoques?
Experimente a precisão e eficiência da tecnologia RFID do Grupo CPCON. Com rastreamento em tempo real e uma drástica redução nas perdas, acelere os processos de inventário e gestão em sua empresa. Transforme sua gestão de ativos hoje mesmo!
Em destaque

Conteúdos Relacionados a

Comitê de Pronunciamento Contábeis

CPC 03 e a Demonstração dos Fluxos de Caixa (R2)

O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) com o pronunciamento CPC 03, fornece informação em relação a alterações históricas de caixa e equivalente de caixa de uma entidade através de demonstração classificatória dos fluxos de caixa do período por atividades operacionais, de investimento e de financiamento.

Continuar lendo »
ICPC 10: O que é, como funciona e interpretação - CPCON 2024

ICPC 10

Você sabe o que é o ICPC 10 e para que esta interpretação é realmente aplicada em uma empresa? Pois, compreenda que ele serve justamente para que as práticas contábeis

Continuar lendo »
Novidades

Conteúdo Recentes

Rolar para cima