IFRS, como se adequar, o que é, e quando é necessário?

A IFRS estabelece um conjunto de regras e práticas para o setor contábil nas empresas. Por isso, conhecê-la é de grande importância.

Você conhece a IFRS e sua importância para o setor da contabilidade nas empresas? Pois, compreenda que a mesma engloba uma série de regras e diretrizes para a aplicação de um padrão uniforme.

De tal forma que isso visa otimizar e facilitar o entendimento dos processos de forma global.Então continue lendo o artigo e descubra tudo sobre este sistema e no que ele pode ajudar as organizações.

Pontos Chave

  • IFRS: Conjunto de normas padronizadas para a área da contabilidade. Onde temos 32 regras internacionais que são emitidas e regidas pelo órgão IASB;
  • IASB: É uma instituição internacional que elabora as normas que são conhecidas como IFRS. Assim, entenda que isso permite o uso delas de modo global;
  • Software de gestão contábil: Um sistema que ajuda na organização dos negócios, mantendo a eficiência nos resultados. Desse modo, pode ser um programa que serve para administrar as tarefas de forma mais completa e competente.

O que é IFRS?

Em primeiro lugar, você deve entender o que vem a ser o conceito e para que ele é destinado. Desse modo, compreenda que a IFRS consiste numa norma internacional que serve para padronizar processos contábeis.

Ao passo que isso é capaz de gerar uma grande quantidade de vantagens e benefícios para as empresas. No caso, saiba que a sigla em questão é conhecida por “International Financial Reporting Standards”.

Que traduzido para a língua português ficaria “Normas Internacionais de Relatório Financeiro”. Com isso, temos um certo conjunto com várias regras, diretrizes, bases e requisitos.

A fim de que sejam determinados os procedimentos necessários nas entidades. Mostrando as melhores práticas e maneiras de realizar tais operações nas empresas.

Assim, entenda que a IFRS abrange as elaborações de todas as demonstrações contábeis. De tal modo que o objetivo é realmente padronizar e criar uma uniformidade em todas as organizações.

Sendo que isso é fundamental, pois consegue ser utilizado em quaisquer empreendimentos ao redor do mundo. Facilitando a comunicação e evitando com que cada um deles siga um método diferente.

Vale destacar que esta norma foi elaborada pelo órgão IASB “International Accounting Standard Boards”. Para que fossem criados objetivos específicos que permitam a criação de um sistema contábil global.

Nisso, entenda que é essencial conhecer o método e estar ciente das exigências para a sua implementação. Na sequência do artigo temos todos os detalhes relacionados e muitas outras informações a respeito da IFRS.

O objetivo principal da norma IFRS

Você viu anteriormente o que vem a ser essa norma e para que ela é utilizada na contabilidade. Entretanto, compreenda que é preciso conhecer o real objetivo da implementação dela.

Dessa forma, saiba que isso é aplicado para que seja criado um padrão universal das normas contábeis. Fazendo com que independentemente do país de origem as empresas sempre estejam realizando os mesmos processos.

Criando uma uniformidade e seguindo um conjunto com várias regras. A fim de reger com competência todas as operações contábeis. O que inclui a criação das demonstrações financeiras das organizações.

E com o uso da IFRS as vantagens são visíveis e trazem clareza e comparabilidade nos resultados. Sendo muito útil para os investidores, colaboradores, acionistas e outros interessados na empresa.

Já que se torna possível verificar os dados e as informações da organização. Bem como o desempenho da mesma no mercado e a situação atual que a mesma se encontra.

E não importa qual é a origem geográfica da empresa, o que acaba sendo muito interessante. Por certo, compreenda que até mesmo a compliance é beneficiada, otimizando o atendimento aos investidores.

Vale ressaltar que com esta padronização é possível internacionalizar as empresas. De tal forma que haverá maior fluidez e uma maior captação dos investidores e acionistas.

Ademais, entenda que com a IFRS temos um aumento nas transparências e na confiabilidade dos resultados. Visto que os dados contábeis serão mais sólidos, facilitado nas tomadas de decisões. Seja por parte das empresas ou mesmo por parte dos investidores.

Quais são as normas IFRS?

Logo após todas essas informações você já percebeu o quanto é interessante contar com este sistema. Contudo, saiba que a norma traz uma série de regras que formam uma espécie de método (pacote).

Dessa maneira, entenda que temos 32 regras internacionais da área da contabilidade. Onde as mesmas tiveram sua emissão através do órgão IASB e visam criar um padrão.

Nisso, compreenda que a IFRS tem diversos tipos de tratamentos contábeis. O que inclui os seguintes pontos:

  • Apresentação: demonstrações financeiras;
  • Exibição das receitas e das despesas;
  • Medição dos ativos e dos passivos;
  • Orientações: para ajudar na criação dos relatórios financeiros.

De fato, entenda que tudo isso consegue melhorar a compreensão dos dados e gera transparência. O que é de grande importância nas empresas, e isso consegue atrair muitos novos investidores.

Outro ponto essencial é que estas normas criam diretrizes para auxiliar na elaboração das demonstrações (contábeis). Mantendo sempre a consistência e a compreensibilidade das informações.

Como resultado disso, com a IFRS se torna mais fácil de aplicar análises específicas nas empresas. Com isso, saiba que temos a comparabilidade de todas as informações de forma global.

Onde surgiu a IFRS?

Em termos de histórico, saiba que a IFRS foi sendo elaborada aos poucos. De tal forma que o começo basicamente ocorreu em meados do ano de 1.973. Sendo que o órgão IASC foi o responsável por esta inovação no mercado.

Ao passo que reunia 10 países no processo:

  • Alemanha;
  • Austrália;
  • Canadá;
  • Estados Unidos;
  • França;
  • Irlanda;
  • Japão;
  • México;
  • Holanda;
  • Reino Unido.

E conforme já citamos no artigo, o grande objetivo foi realmente criar um padrão uniforma na área contábil. Fazendo com que empresas do mundo todo falem uma só língua em termos de contabilidade.

Desse modo, compreenda que a IFRS nas primeiras versões era conhecida como IAS. Já no ano de 2.001 surgiu a IASB que segue em pleno funcionamento atualmente.

Realizando a substituição do IASC nas funções pertinentes a criação e regência das normas. Sendo que em meados de 2.004 foi elaborada a IFRS 1: Primeira aplicação das normas internacionais de contabilidade.

Caso você queira conferir a norma acesse este link que contém a documentação completa. Além disso, entenda que neste ano ainda houve a publicação das demonstrações financeiras que seguiam este padrão.

Já em 2.007 temos a adesão do Brasil em relação a tais normas, fazendo com que haja a obrigatoriedade delas. Fazendo com que organizações de vários portes usem o método, incluindo as maiores corporações.

Porém, saiba que houve um certo período para a adaptação da IFRS. Uma vez que se faz necessário que as empresas compreendam todas as normas. Seguindo as regras para que seus colaboradores possam ajudar na implementação. E o prazo para este processo finalizou em 2.010.

Regras utilizadas na IFRS

De acordo com o setor contábil, são 32 as IFRS disponíveis para implementação nas empresas. Só que cabe a cada país decidir se irá ou não agregar o método nas organizações locais.

Sendo que cada uma das normas tem a abordagem de diversos tipos de itens e soluções. Uma das normas do pacote, por exemplo, indica a apresentação dos demonstrativos financeiros de uma empresa.

De tal forma que isso influencia positivamente para os investidores e acionistas da mesma. As normas incluem também a aquisição/incorporação de empresas e a própria administração delas.

De fato, compreenda que a padronização com a IFRS engloba os instrumentos financeiros. A fim de que eles sejam padronizados, representando um real avanço e gerando ótimos resultados.

E não podemos esquecer de mencionar que existem ainda as orientações que são aplicadas as IFRS. Além das interpretações que são fundamentais para que o processo ocorra conforme o esperado.

Como se adequar as IFRS?

Você viu que cada país pode optar ou não por fazer a adoção das normas IFRS em seu território. Dessa forma, entenda que tal mudança é considerada voluntária, sendo ou não implementada nas empresas locais.

Ou seja, saiba que não se trata de um determinado contrato ou tratado internacional de obrigatoriedade. Entretanto, compreenda que com a IFRS os ganhos são visíveis e criam um excelente padrão global.

Ao todo são 120 países que já participam do método e o Brasil é um deles. Porém, saiba que pequenas empresas e microempresas do país ainda não se adequaram a tais normas.

Visto que esta mudança envolve uma elevação nos custos e é preciso gastar bastante tempo no processo. Afinal, entenda que é necessário fazer a leitura das documentações e entender todo o contexto das normas.

Passando isso aos colaboradores e realizando alterações importantes na estrutura das empresas. Embora isso seja ótimo para que os resultados sejam mais confiáveis e transparentes.

Sem dúvida, a IFRS é ideal para ajudar a organizar melhor os dados e criar demonstrações financeiras. O que fará com que os investidores, acionistas e interessados possam ter uma visão positiva das empresas.

Em termos de adequação é preciso seguir as regras e diretrizes que estão nas documentações. Já que temos várias IFRS e cada uma delas é voltada para uma atividade, setor ou ambiente específico.

Nisso, entenda que os órgãos que a regulam indicam que são muitas as melhorias obtidas com as IFRS. Que incluem novos investidores, aportes financeiros, padronização nas atividades e muitos outros benefícios.

IFRS: Software de gestão contábil

A IFRS é muito importante e pode trazer várias contribuições para a sua empresa. De tal maneira que a implementação dela tem que ser feita com cautela e planejamento.

A fim de que se torne possível conseguir otimizar os resultados e criar demonstrações financeiras competentes. E para isso uma dica é usar um software contábil para a gestão.

Onde o mesmo será uma ferramenta excelente para as organizações que pretendem aplicar as normas. Assim, entenda que com o uso do software você terá muitas vantagens, tais como:

  • Padronização: nas configurações do sistema se torna possível estar sempre alinhado as normas internacionais. Dessa forma, compreenda que os procedimentos vão ser realizados seguindo as IFRS;
  • Automatização: isso facilita muito nos processos de criação das demonstrações financeiras. Bem como traz relatórios que são exigidos nas IFRS;
  • Padrão e conformidade: aqui temos um ponto importante, que é seguir os passos conforme as exigências internacionais. O que traz maior facilidade nas análises e em comparabilidade de dados;
  • Maior transparência: com ele é possível ter dados financeiros com muito mais clareza e precisão. Além de trazer segurança nas informações e de gerar maior transparência nos resultados;
  • Tomadas de decisões: através da IFRS, os gestores podem chegar a definições estratégicas e para a área financeira;
  • Economizar tempo: com o processo de automatização das atividades temos economia e menores quantidades de erros/falhas. Já que são evitadas as tarefas manuais e isso faz com que a eficiência seja muito maior no setor contábil.

Por certo, compreenda que o ideal é realmente realizar a leitura completa das normas. De tal modo que seja possível implementa-la da maneira correta e seguindo todas as suas diretrizes e bases.

Conclusão

Em conclusão, você pode perceber que a IFRS consiste num pacote recheado de outras normas. De tal forma que ela visa padronizar e criar uma uniformidade no setor contábil.

Fazendo com que empresas do mundo todo possam seguir as mesmas práticas e métodos. Com isso, saiba que a IFRS agrega muitos benefícios, o que acaba sendo fundamental atualmente.

Portanto, compreenda que a adesão das normas requer planejamento e o pleno conhecimento das normas. Sendo possível inclusive fazer uso de um software de gestão para ajudar na implementação.

FAQ: Perguntas Frequentes

O que é IFRS, qual a sua função?

A IFRS engloba um conjunto com diversas normas internacionais para o setor de contabilidade. Onde a emissão e regência delas é feita através do órgão IASB, que pretende padronizar as empresas com uso destas normas.

O que é padrão IFRS?

O padrão IFRS tem em sua composição um pacote com 32 regras internacionais da área de contabilidade. Desse modo, compreenda que isso busca criar uma uniformidade nas empresas ao redor do mundo.

Por que o Brasil adotou a IFRS?

Entre os motivos da adoção da IFRS no país temos a comparabilidade nas demonstrações contábeis. De tal forma que isso poderá ser feito com empresas do mundo todo. Gerando transparência, confiabilidade e uma grande quantidade de benefícios as organizações.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Você quer um inventario mais eficiente?
Beneficie-se com o rastreio em tempo real, redução significativa de perdas e um aumento notável na velocidade dos processos de gestão de ativos e estoques.
Sobre o Grupo CPCON
No Grupo CPCON, você encontra soluções especializadas em gestão de ativos e estoques, com ênfase na tecnologia RFID, para otimizar e agilizar seus processos. Oferecemos serviços como inventário de ativos, gestão de ativos de TI, consultoria imobiliária, reconciliação fiscal-física e automação com RFID. Além disso, temos gestão de estoque, serviços de avaliação, soluções ágeis, software e consultorias variadas. Nossa vasta experiência, incluindo trabalhos com clientes renomados como Caixa Econômica, Vale e Petrobras, reforça nosso compromisso com ética e proteção de dados.
Guias
Soluções
Cansado de erros e imprecisões na Gestão de Seus Ativos e Estoques?
Experimente a precisão e eficiência da tecnologia RFID do Grupo CPCON. Com rastreamento em tempo real e uma drástica redução nas perdas, acelere os processos de inventário e gestão em sua empresa. Transforme sua gestão de ativos hoje mesmo!
Em destaque

Conteúdos Relacionados a ,

Comitê de Pronunciamento Contábeis

CPC 02 R2 e os Efeitos das Demonstrações Contábeis

O CPC 02 tem por objetivo determinar como incluir transações em moeda estrangeira e operações no exterior nas demonstrações contábeis de uma entidade no Brasil e mostrar como converter as demonstrações contábeis de entidade no exterior para a moeda de apresentação das demonstrações contábeis no Brasil para fins de registro da equivalência patrimonial.

Continuar lendo »
Novidades

Conteúdo Recentes

Rolar para cima