CPC 22 – Informações por Segmento

CPC 22 - Informações por Segmento
O CPC 22 traz as Informações por Segmento e conta com diversas regras específicas. Otimizando o processo de divulgação dos dados.

No CPC 22 temos as Informações por Segmento que indicam os dados para os usuários. De tal maneira que mostram as demonstrações contábeis de uma entidade, para fim de avaliação de natureza e efeitos financeiros.

Assim, você deve saber que isso é fundamental e estão presentes no conjunto de regras do pronunciamento. Então continue lendo o artigo para saber mais detalhes e entender como a tarefa é realizada.

Destaques

  • CPC 22: Informações por Segmento, onde consiste num pronunciamento de definição das bases de apresentação das demonstrações contábeis. Incluindo as consolidadas e as separadas, além de assegurar comparativos;
  • Divulgação do CPC 22: as informações contidas nele ajudam os usuários a avaliar as demonstrações contábeis. A fim de conhecer a natureza e os efeitos financeiros de uma entidade;
  • IASB: Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade. Elabora normas padronizadas e sistemáticas para otimizar o setor.

O que é CPC 22?

O CPC 22 é um pronunciamento que possui o princípio básico na divulgação das informações de uma certa entidade. Desse modo, compreenda que isso permite com que os usuários de demonstrações contábeis façam avaliações.

Ao passo que o CPC 22 agrega desde os efeitos na parte financeira até a natureza da operação. Com isso, entenda que se torna possível analisar as atividades do negócio, onde a empresa está inserida.

E temos o ambiente econômico em que a mesma está operando naquele momento. De fato, saiba que tais dados são capazes de organizar com mais efetividade as Informações por Segmento de atuação.

Em termos de objetivo principal, o pronunciamento visa trazer orientação para a entidade. A fim de que a mesma consiga divulgar corretamente das informações.

De tal forma que o CPC 22 possibilite com que os usuários destas demonstrações compreendam sem dificuldades. Vale destacar que um segmento operacional consiste em:

  • Componente voltado para desenvolver atividades dos negócios;
  • Desde que eles possam receber receitas e despesas;
  • A revisão dos resultados das operações são revistos de forma regular através do gestor principal;
  • Onde são tomadas as decisões sob os recursos (alocados);
  • Assim, é possível realizar a avaliação de desempenho deles;
  • Nisso haverá as informações financeiras individualizadas.

Dessa forma, compreenda que o CPC 22 tem segmentos considerados reportáveis. Nesse sentido, saiba que as entidades não possuem a obrigação de fazer o relato dos dados desagregados.

Enquanto que no pronunciamento há a introdução de alguns limites quantitativos. Que são feitos para cada um dos segmentos, incluindo os critérios (agregação) separados quando necessários.

Aliás, entenda que o CPC 22 conta com um diagrama muito útil para ajudar na identificação dos segmentos (relatáveis). Por isso, saber os detalhes do documento são de extrema importância nas empresas.

Como funciona o CPC 22?

De uma forma resumida, o pronunciamento serve para evidenciar todas as exigências consideradas básicas. Dessa maneira, entenda que tudo que for importante ao usuário terá de estar no documento.

Fazendo com que ele possa compreender as demonstrações contábeis. Além de descobrir a natureza e todos os efeitos que regem as finanças da empresa. No caso, saiba que no CPC 22 as informações são usadas nas versões separadas ou mesmo individuais (entidade).

E comportam também as demonstrações (contábeis) que são consolidadas através da controladora. Nisso, você deve saber que o método segue as normas e regras regidas no IFRS 8.

Seguindo os requisitos citados no documento e indicando quais entidades podem participar. No decorrer do artigo vamos entender isso melhor através de vários dados a respeito do CPC 22.

Revisões do CPC 22

Em matéria de revisões no processo específico temos alguns pontos que foram alterados ou incluídos. Desse modo, compreenda que o primeiro deles condiz com as “Informações Gerais”.

Onde o item “22A” foi alterado mediante a revisão do CPC 06. E passou a ser:

  • Fatores usados na identificação de segmentos divulgáveis de uma entidade. Incluem sua base de organização, que pode ser administração por diferenças entre produtos e os serviços. Ou mesmo, áreas geográficas, ambientes regulatórios ou mesmo uma combinação dos fatores, além de segmentos operacionais agregados.

Já o item 22AA do CPC 22 foi incluso mediante uma revisão feita no CPC 06. De tal modo que comporta:

  • Julgamentos estabelecidos na administração ao aplicar critérios de agregação (item 12). Nisso, inclui-se uma breve descrição de segmentos operacionais (agregados) no formato e seus indicadores econômicos. Mostrando os segmentos operacionais com semelhanças econômicas.

Outra alteração feita no documento foi na parte das “Informações sobre lucro ou prejuízos, ativo e passivo”. Dessa maneira, compreenda que o item 13 foi modificado em partes:

  • A entidade precisa divulgar seu valor de lucro ou mesmo de prejuízo em cada segmento que for divulgável;
  • Empresa terá que mostrar o valor (total) dos ativos e dos passivos em cada segmento que for divulgável.

Em “Conciliação” o item 28C foi alterado (CPC 06), recebendo o acréscimo de:

  • Caso os ativos de tal segmento forem divulgados conforme o item 23.

Por fim, a revisão do CPC 22 “Informações por Segmento” modificou um parágrafo na “Mensuração de lucro ou prejuízo, ativos e passivos”. Com isso, compreenda que ele recebeu algumas alterações, porém bastante sutis.

Aplicações do pronunciamento CPC 22

O pronunciamento possui aplicações específicas para a entidade que participar do processo. Assim, compreenda que ela terá que fazer a divulgação das informações de forma completa e adequada.

Pois, os usuário vão necessitar das demonstrações contábeis para avaliação da natureza da mesma. Englobando as finanças presentes na atividade de inserção da empresa.

Consequentemente, o CPC 22 aplica-se em vários tipos de entidades e cenários. A começar pelas demonstrações contábeis que são separada ou mesmo individuais na entidade.

Por certo, os instrumentos da divida e do patrimonial são negociados via mercado de capitais. Que podem ser do tipo:

  • Bolsa de Valores (Nacional ou Estrangeira);
  • Mercado em balcão;
  • Mercados Locais ou mesmo regionais.

Além disso, saiba que o mesmo inclui depósitos ou possibilidades futuras nas demonstrações contábeis. Que são direcionadas para a CVM “Comissão de Valores Mobiliários” ou mesmo a outra organização que seja reguladora.

Como resultado disso, o objetivo será a emissão da categoria de tal instrumento no mercado (capitais). Vale ressaltar que o CPC 22 tem nas demonstrações contábeis (consolidadas) da controlada para com as controladas:

  • Instrumentos em dívidas ou em patrimonial para negociação frente ao mercado de capitais. Que incluem os órgãos citados acima, tais como as bolsas de valores e mercados específicos;
  • Depósitos ou possíveis envios dos mesmos via demonstração contábil para a CVM ou organização reguladora.

Contudo, a entidade que não for obrigada a fazer a aplicação pode optar pelo pronunciamento. Só que se fizer divulgação de segmentos fora do acordo do CPC 22, a classificação não poderá ser de Informações por Segmento.

Agora no caso do relatório financeiro que conter demonstrações contábeis consolidadas de uma controladora:

  • Se estiverem no alcance do pronunciamento;
  • Contar com demonstrações contábeis individuais;
  • Na informação de segmento será exigida apenas as demonstrações (contábeis) que forem consolidadas.

Norma Internacional que o CPC 22 pertence

O Pronunciamento CPC 22 foi aprovado em 26 de junho de 2.009. Tendo sua data de divulgação realizada em 31 de julho de 2.009. Assim, entenda que ele consiste nas “Informações por Segmento”.

De tal maneira que possui um conjunto de regras e exigências essenciais. Onde é necessário que a entidade esteja alinhada com todos os requisitos necessários.

Decerto, compreenda que para uma padronização completa existe a norma internacional. Que no caso do modelo em questão é pertencente a IASB. Ou seja, a “International Accounting Standard Boards”.

Onde o CPC 22 possui a correlação às Normas Internacionais de Contabilidade mediante ao IFRS 8. De fato, entenda que o IFRS consiste em:

  • Uma sigla para Normas Internacionais de Relatório Financeiro;
  • Onde há um conjunto de regras para certos procedimentos (contábeis);
  • Ajudando a empresa na padronização e gerando muitos benefícios;
  • Otimizando as operações e trazendo determinações de abrangência que comportam até mesmo as demonstrações contábeis.

Inegavelmente, o CPC 22 é de grande importância para as empresas e mostra o caminho correto. De tal forma que os negócios ficarão mais bem organizados em documentos conforme o esperado.

Quais são os critérios para agregação das informações?

Você deve saber que dois segmentos ou mais (operacionais) podem vir a ser agregados. Pois, entenda que os mesmos se tornam um único segmento de operações.

Ao passo que isso só poderá ser feito quando a agregação se mostrar compatível ao princípio básico. Ou seja, respeitando a norma e contendo as características econômicas que sejam consideradas semelhantes.

Confira os aspectos que regem o processo:

  • A natureza de produtos e de serviços;
  • Natureza do processo usado na produção;
  • Categoria ou o tipo dos clientes que utilizam os produtos ou serviços;
  • Métodos aplicados na distribuição dos produtos ou em sua prestação de serviços;
  • Caso seja preciso, ter a natureza em ambiente regulatório (bancos, serviços e seguros).

Agora as informações em separado no CPC 22 carecem de relatos em cada um dos segmentos operacionais (limites quantitativos):

  • A receita que for relatada, bem como as vendas feitas a clientes externos;
  • E as vendas ou mesmo as transferências feitas entre os segmentos;
  • 10% ou superior de tal receita combinada (interna ou externa);
  • Englobando todos os segmentos de operações;
  • O valor absoluto do lucro ou a perda relatada será de 10% (do maior);
  • Os ativos ficam em 10% ou superior nos ativos combinados entre todos os segmentos de operações.

Caso os segmentos (operacionais) se demonstrarem granulados e com receita abaixo de 75% na receita total. Então, será preciso fazer a separação dos segmentos adicionais para alcançar os 75% de limite.

A divulgação do CPC 22 – Informações por Segmentos

A empresa (entidade) que participa do CPC 22 precisa divulgar as informações corretamente para os usuários. Dessa forma, compreenda que assim ficará bem claro quanto a natureza e a ambientação econômica da mesma.

Assim, entenda que alguns exemplos na divulgação são os seguintes:

  • Informações gerais descritas no ponto 22 (item) do pronunciamento;
  • As informações do lucro ou do prejuízo reconhecidas por segmentos;
  • Inclusão das receitas, despesas da composição do lucro ou mesmo dos prejuízos;
  • Ativos, passivos e também as bases da mensuração realizada;
  • Receitas totais (conciliação) em sua totalidade por segmentos;
  • Desde os lucros respectivos até os prejuízos, englobando todos os ativos e passivos, além de outros itens materiais (montantes).

Por certo, saiba que no CPC 22 é necessário efetuar as conciliações de valores do balanço patrimonial. Incluindo os valores de tal empresa para quaisquer datas em que haja um balanço patrimonial. Reapresentando inclusive as informações presentes em períodos anteriores.

Perguntas

No que consiste o CPC 22?

Resumo do CPC 22: O CPC 22 consiste em um pronunciamento de definição da base de apresentação para demonstrações contábeis. Incluindo as consolidadas e as separadas, assegurando uma comparação com demonstrações anteriores e com outras entidades.

Quais informações devem ser divulgadas conforme o CPC 22?

Resposta: A empresa terá de divulgar as informações para ajudar os usuários na avaliação das demonstrações contábeis. Mostrando a natureza da entidade e seus efeitos financeiros, além do ambiente econômico de operação.

Conclusão

É possível perceber que o pronunciamento CPC 22 envolve a definição de uma base de demonstração contábil. A fim de permitir com que todas as informações necessárias sejam apresentadas.

Desse modo, compreenda que o processo engloba desde as separadas até as consolidadas. E tem grande utilidade para os usuários que carecem de tais dados para compreender melhor a empresa.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Você quer um inventario mais eficiente?
Beneficie-se com o rastreio em tempo real, redução significativa de perdas e um aumento notável na velocidade dos processos de gestão de ativos e estoques.
Sobre o Grupo CPCON
No Grupo CPCON, você encontra soluções especializadas em gestão de ativos e estoques, com ênfase na tecnologia RFID, para otimizar e agilizar seus processos. Oferecemos serviços como inventário de ativos, gestão de ativos de TI, consultoria imobiliária, reconciliação fiscal-física e automação com RFID. Além disso, temos gestão de estoque, serviços de avaliação, soluções ágeis, software e consultorias variadas. Nossa vasta experiência, incluindo trabalhos com clientes renomados como Caixa Econômica, Vale e Petrobras, reforça nosso compromisso com ética e proteção de dados.
Guias
Soluções
Cansado de erros e imprecisões na Gestão de Seus Ativos e Estoques?
Experimente a precisão e eficiência da tecnologia RFID do Grupo CPCON. Com rastreamento em tempo real e uma drástica redução nas perdas, acelere os processos de inventário e gestão em sua empresa. Transforme sua gestão de ativos hoje mesmo!
Em destaque

Conteúdos Relacionados a

Comitê de Pronunciamento Contábeis

CPC 03 e a Demonstração dos Fluxos de Caixa (R2)

O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) com o pronunciamento CPC 03, fornece informação em relação a alterações históricas de caixa e equivalente de caixa de uma entidade através de demonstração classificatória dos fluxos de caixa do período por atividades operacionais, de investimento e de financiamento.

Continuar lendo »
Comitê de Pronunciamento Contábeis

CPC 08 e Custos em Emissão de Títulos

O CPC 08 tem por objetivo prescrever o tratamento contábil aplicável ao registro de custos incrementais incorridos em ações ou bônus de subscrição, na captação de recursos por meio de emissão de títulos de dívida e também em outros títulos patrimoniais de dívida.

Continuar lendo »
Comitê de Pronunciamento Contábeis

CPC 04 e o Ativo Intangível

O objetivo do presente Pronunciamento Técnico é o de definir o tratamento contábil dos ativos intangíveis que não são abrangidos especificamente em outro Pronunciamento e estabelecer que uma entidade deve reconhecer um ativo intangível apenas se determinados critérios especificados nesse Pronunciamento forem atendidos.

Continuar lendo »
Novidades

Conteúdo Recentes

Rolar para cima