As Vantagens de uma Boa Gestão Patrimonial

Conheça o conceito de Gestão Patrimonial e as vantagens que ela pode trazer para a sua empresa.

Planejar, fundar, manter e administrar uma empresa não é e nunca foi uma tarefa fácil. Por isso, é fundamental que você faça uma boa gestão patrimonial.

É preciso um sólido conhecimento sobre o mercado, prever os rumos que a economia e as tendências de consumo vão tomar.

Além de ser preciso manter o olho aberto sobre os produtos e serviços oferecidos pelo concorrente. E, também, manter as finanças, contabilidade, os bens e os ativos da empresa organizados e bem estruturados.

Organizar um registro preciso do controle do patrimônio da sua empresa traz as seguintes vantagens:

  1. Permite que os futuros investimentos sejam precisos e com base nas necessidades reais
  2. Permite a previsão de custos, redução de gastos e redução de depreciação
  3. Possibilita um planejamento mais sólido e uma administração mais precisa
  4. Permite um planejamento mais preciso e eficiente para o orçamento da empresa com base em dados reais.

Portanto, é fundamental que todos os gestores conheçam e entendam a gestão patrimonial e seus processos. Afinal, é por meio dessa gestão que a empresa conseguirá reduzir seus custos e racionalizar suas operações para ofertar produtos e serviços melhores e mais competitivos.

A gestão patrimonial proporciona controle para as empresas, principalmente em relação aos seus gastos com compras e outros passivos. Afinal, esse tipo de gestão oferece conhecimento sobre os bens e como administrá-los.

gestão patrimonial

O que é gestão patrimonial?

A gestão patrimonial é um processo no qual os gestores de uma empresa, por meio de auxilio de profissionais especializados ou não, realizam um balanço.

Nesse balanço, obrigatoriamente, se encontram informações sobre os ativos e passivos da companhia. E com as informações sobre esses bens e direitos, que compõem o patrimônio empresarial, os gestores têm a possibilidade de controlá-los e administrá-los.

Com o controle e administração dos ativos e passivos, há a possibilidade de a empresa controlar os seus custos. Assim como acompanhar seu patrimônio e geri-lo da melhor maneira possível.

Pois, com o conhecimento sobre o patrimônio, sua quantidade e qualidade, uma companhia consegue investir de acordo com suas verdadeiras necessidades. Também, há a possibilidade de prever custos, reduzir gastos e conhecer a depreciação de seus ativos.

A importância da gestão patrimonial

A gestão patrimonial é encontrada e realizada pelo balanço patrimonial. E, assim, ela mantém todo o controle sobre custos e acompanha o patrimônio da instituição para estipular o valor e quantidade dos ativos e passivos. Com essas informações, há como o gestor saber se sua empresa está em declínio ou ascensão.

Assim, esse tipo de gestão impacta diretamente na saúde financeira da empresa e em uma administração que seja otimizada. De maneira que aplicá-la é sinônimo de variados benefícios para a companhia.

Já que não gerir o patrimônio é uma forma de comprometer os resultados financeiros, sua transparência e sua apresentação. O que impacta na captação de investidores e de qualquer stakeholder.

Portanto, quando uma empresa faz sua gestão patrimonial, ela consegue planejar seu orçamento de forma mais eficiente e precisa. As empresas, com essas informações advindas do balanço patrimonial, evitam desperdícios e quaisquer investimentos que sejam desnecessários.

Também há como avaliar o real valor da empresa, fato que, se os valores forem positivos e promissores, atraem investidores. Há como ajudar no controle de custos e na depreciação dos ativos ao comprar algo de acordo com a necessidade real da instituição.

Outra importância da gestão patrimonial é que ela faz com que a companhia evite problemas fiscais ao não omitir informações na receita. Afinal, a Receita Federal Brasileira e a lei brasileira exigem da empresa dados sobre seu controle patrimonial.

Como fazer a gestão patrimonial?

Para iniciar o processo de gestão patrimonial, a companhia precisa primeiro identificar todos os seus ativos. Com isso, é essencial catalogá-los e saber as informações pertinentes sobre cada um deles. Como, por exemplo, seu estado de conservação, taxa de depreciação e o valor de cada bem.

Dessa forma, há três etapas essenciais que um gestor precisa seguir para conseguir realizar a gestão patrimonial dos bens da sua empresa.

As quatro etapas de uma gestão patrimonial eficiente

Uma gestão patrimonial eficiente, ainda mais se a empresa possuir um grande volume de bens, pode ser trabalhosa. No entanto, não é impossível de realizá-la, ainda mais se o gestor contar com ajuda do time especializado do grupo CPCON.

Assim, há três etapas que a empresa precisa seguir para alcançar uma gestão patrimonial eficiente e plena.

Primeira etapa: Inventário dos bens

Para iniciar o processo de gestão patrimonial, a companhia, em primeiro lugar, precisa inventariar todos os seus ativos.

Ou seja, é nessa primeira etapa que a empresa irá listar todos os seus ativos, de maneira a etiquetá-los e registrá-los fotograficamente. E isso para que qualquer funcionário tenha acesso à descrição completa e localização do bem.

Essa etapa sempre será contínua, isso significa que sempre que a empresa adquirir novos ativos ou descartar velhos, é preciso registrar essas atividades no inventário.

Segunda etapa: Avaliação dos ativos

A segunda etapa da gestão patrimonial se caracteriza pela avaliação do ativo. É por meio da avaliação que se identifica o custo de reposição, o valor justo e o valor residual de um bem.

Terceira etapa: Revisão da vida útil dos bens

Após avaliar os ativos, que já estão inventariados, é preciso revisar a vida útil deles. Dessa forma, na terceira e última etapa, encontra-se a vida útil econômica e a vida transcorrida do ativo. O primeiro é o tempo que a empresa espera usar o ativo, já o segundo é o tempo que a companhia já usou esse bem.

Quarta etapa: conciliação físico contábil

Todas essas etapas fornecem informações essenciais para que a empresa faça a conciliação físico contábil. Dessa forma, a empresa irá comparar as informações que adquiriu por meio do seu inventário com as disponíveis na base contábil.

Portanto, a quarta e última etapa identifica todos os bens que têm existência física. Assim como os que não possuem e, por isso, não apresentam registro contábil. É nessa etapa também que se produz três tipos de relatórios diferentes: os de bens conciliados, os de sobras contábeis e os de sobras físicas.

Além disso, muitas empresas incluem nesse processo uma quinta etapa que é o Teste de Impairment. Esse teste é o responsável por mostrar a desvalorização dos bens, por isso é importante.

Gestão patrimonial de bens móveis

Bens patrimoniais são os bens permanentes e com maior durabilidade e valor que a gestão patrimonial controla.

Esses bens se dividem em móveis ou imóveis em que os bens móveis são aqueles como computadores, veículos, equipamentos e ferramentas. Além disso são provenientes do mercado interno ou externo. Assim, sua gestão patrimonial é realizada por meio de inventários e dos mesmos procedimentos que dos outros ativos.

Os ativos e a gestão patrimonial

Os ativos e passivos compõem a gestão patrimonial de uma empresa porque eles são essenciais para o balanço patrimonial da empresa. Os ativos representam os bens e direitos de uma empresa, ou seja, aquilo que gera valor para ela. Já os passivos são as obrigações empresariais que culminam na saída de caixa e podem deixar a companhia no negativo.

O balanço patrimonial apresentará os aspectos financeiros e patrimoniais da companhia. Dessa forma, apresentará informações sobre os recursos, como suas aplicações, perdas e geração de caixa.

É por meio da gestão patrimonial que uma instituição irá ter conhecimento tanto sobre o valor quanto a quantidade de seus ativos e passivos. No entanto, é muito moroso inventariar passivos, tanto que não é uma prática comum. Já os ativos sempre são inventariados e catalogados sendo esses de suma importância para a gestão patrimonial.

Os tipos de ativos

Há diversos tipos de ativos, e dentre suas variadas características estão os ativos circulantes e os ativos não circulantes.

Os ativos circulantes têm como característica serem os conjuntos de bens e direitos que a instituição recebe em um período curto de tempo. Ou seja, há a conversão do capital por esses ativos em menos de um ano de modo que eles se convertem em dinheiro rapidamente. Os ativos circulantes podem ser:

  1. Operacionais: responsáveis pelas operações de compra da companhia;
  2. Líquido: são os recursos financeiros que se disponibilizam imediatamente;
  3. Cíclico: é o ativo que faz parte da rotina da empresa.

Já os ativos não circulantes são os que se convertem em capital a longo prazo, isso é, em mais de doze meses. Esse tipo de ativo se divide em:

  1. Imobilizados: são os bens e direitos permanentes da empresa;
  2. Realizável a longo prazo: esses ativos possuem uma permanência mais longa que se expande ao término do exercício social;
  3. Investimentos: caracterizam-se por serem as participações e aplicações sócio monetárias permanentes;
  4. Intangíveis: são os ativos que não possuem forma física e que, por isso, não podem ser vistos e nem tocados.

Dentre os quatro tipos desse ativo, o que mais se destaca e é interessante para a gestão patrimonial é o ativo imobilizado.

Os ativos imobilizados e a sua gestão

Os ativos imobilizados são todos os bens ou direitos de uma empresa que se responsabilizam, permanentemente, pelo funcionamento das atividades da companhia. Esses ativos são tangíveis, ou seja, podem ser vistos ou tocados. Além disso, costumam ter o valor maior do que mil reais e o prazo de vida útil superior a 12 meses.

Portanto, um ativo imobilizado sempre sofrerá depreciação por conta do seu uso, já que ele tem um período de vida útil definido. E é esse período que mostrar por quanto tempo ele pode gerar lucros e benefícios para empresa. Assim como quando esse ativo precisa ser substituído.

Isso significa que um ativo imobilizado tem função de auxiliar na produção de valores monetários para a empresa e no controle e administração desses valores.

Dentre os exemplos de ativos imobilizados estão:

  1. Imóveis;
  2. Terrenos;
  3. Edificações;
  4. Máquinas e equipamentos;
  5. Móveis e utensílios;
  6. Veículos;
  7. Ferramentas.

Por isso, os ativos imobilizados e sua gestão precisam passar pelo processo de controle patrimonial. Com seu registro contábil e inventário, há como ter um controle eficiente sobre o patrimônio da empresa para atender as legislações vigentes e verificar a saúde financeira.

Todas as empresas precisam fazer a gestão patrimonial?

A resposta mais simples é: sim! Por questões legais e ligadas ao Fisco, todas as empresas têm que fazer a gestão dos seus bens patrimoniais. Afinal, todos os ativos precisam ser catalogados, monitorados e estar em condições de uso para que a empresa possa produzir e vender seus bens e serviços. Além de alcançar lucro com eles e estar em dia com as questões legais.

A Gestão Patrimonial e o Planejamento

Para atingir seus objetivos, a gestão patrimonial da empresa deve realizar constantes análises e reavaliações dos bens e ativos. E essa tarefa se torna mais complexa, a medida em que a organização fica maior e acumula mais bens.

Para auxiliar nesta tarefa hoje em dia muitas empresas se especializaram neste tipo de serviço. De modo a prestar consultoria e permitir que a gestão patrimonial seja executada de forma mais eficiente, por profissionais especializados e a custos menores.

Dessa forma, o grupo CPCON é uma empresa com excelência em seus serviços que auxiliam na gestão empresarial. Com isso, para qualquer dúvida e ajuda com a gestão patrimonial, entre em contato com o CPCON.

Isso se faz importante pois as empresas podem sofrer progressos ou regressões durante as suas atividades durante os anos. Também, o mercado pode flutuar e novos concorrentes podem aparecer com serviços inovadores.

É preciso estar preparado e ter as estatísticas reais, só assim pode ser implantada uma Gestão do Patrimônio eficiente e transparente. Além de satisfazer todas as partes interessadas no negócio: sejam os sócios, os parceiros, os representantes ou os funcionários.

Conheça seus investimentos

Como o nome sugere, a gestão de patrimonial é a gestão para crescer e expandir sua riqueza. Ela envolve manter um olho atento em seus investimentos, ações e títulos e nas formas em que seu dinheiro está crescendo ou encolhendo.

Manter o controle de seus investimentos é uma parte importante da gestão patrimonial porque é uma forma de proteger seus ativos e garantir que eles continuem crescendo ao longo do tempo.

Você pode fazer isso pesquisando os melhores corretores e fundos ou fundos, dependendo da classe de ativos em que você decidir investir. Existem diferentes tipos de investimentos, incluindo ações, títulos, bens imóveis e outras commodities.

Dependendo do tipo de investimento que você escolher, você pode esperar ver diferentes níveis de risco e recompensa. Saber que tipo de investimento você quer fazer e como eles podem impactar seus resultados é um passo importante na gestão patrimonial.

Administre o fluxo de caixa de sua empresa

O fluxo de caixa de uma empresa é sua principal fonte de renda. É a medida de quão rapidamente uma empresa pode transformar suas vendas em dinheiro. O fluxo de caixa de sua empresa é uma métrica muito importante a ser rastreada, especialmente para aquelas empresas cujo modelo de negócios depende fortemente do empréstimo de dinheiro.

Uma boa maneira de controlar o fluxo de caixa de sua empresa é criar uma declaração de fluxo de caixa. Você pode fazer isso listando seus fluxos de caixa esperados durante um determinado período (por exemplo, no decorrer de um mês), e depois subtraindo seus fluxos de caixa esperados durante o mesmo período de tempo. Isto lhe dará uma ideia aproximada de quanto dinheiro você deveria ter deixado no final do mês.

Você também pode usar esta declaração para contabilizar quaisquer mudanças em seus valores previstos, anotando quaisquer mudanças nas suas entradas ou saídas de dinheiro que você possa ter descoberto durante o mês.

Fique por dentro de sua contabilidade

A contabilidade é o processo de registro e resumo de todas as transações financeiras e dados financeiros de sua empresa, tais como ativos, passivos e patrimônio líquido da empresa. O principal objetivo por trás da manutenção de registros é fornecer uma representação clara, detalhada e precisa das finanças de sua empresa.

Mesmo se você não planeja contratar um contador, você ainda precisa estar atento à importância da contabilidade para os dados financeiros de sua empresa.

Ao prestar muita atenção às suas práticas contábeis e seguir os protocolos contábeis adequados, você pode ajudar a garantir que os dados financeiros de sua empresa sejam válidos e confiáveis.

Muitos bancos e fornecedores de empréstimos quererão ver os dados financeiros de sua empresa como parte do processo de solicitação de empréstimo, portanto, você precisa garantir que sua contabilidade esteja de acordo com o par.

Proteja os ativos de sua empresa

Um bem é algo que coloca dinheiro no seu bolso. Pode ser uma ação, um bem imobiliário ou qualquer item que possa ser vendido a dinheiro. Quando os ativos de sua empresa crescem, seu patrimônio líquido aumenta.

Os ativos são geralmente financiados com dinheiro emprestado, geralmente um empréstimo bancário ou uma linha de crédito. Uma vez que você pede dinheiro emprestado, você tem que pagá-lo. Quando você toma dinheiro emprestado, você também tem que se certificar de que tem o suficiente no banco para pagá-lo quando chegar a hora.

Você pode usar o financiamento baseado em ativos como uma forma de financiar o crescimento e a expansão de sua empresa. Este tipo de financiamento depende do valor dos ativos de sua empresa para respaldar o empréstimo.

Os indivíduos também usam financiamento baseado em ativos para financiar compras importantes, como um veículo ou uma casa.

Tenha um sistema de gestão sólido

Para uma gestão patrimonial eficiente, é essencial que o gestor tenha controle de seus ativos fixos e catalogue todos os bens. Assim, sistemas como softwares são extremamente importantes para o auxílio em gestões, sejam financeiras, empresariais ou patrimoniais.

Esses softwares, geralmente, são flexíveis de maneira que o gestor consegue adaptá-los às necessidades e interesses da empresa.

Não esqueça de fazer o inventário de todos os bens

Para conseguir realizar o balanço patrimonial, a gestão patrimonial é essencial. Pois é por meio dela que a empresa mostrará todos os seus ativos. E a primeira etapa para realizar a gestão patrimonial é o inventário dos bens.

Um inventário se caracteriza por ser um documento com a relação, informação e descrição de quaisquer bens que a empresa possua.

É pelo inventário que uma companhia irá acompanhar seus ativos e a evolução deles no balanço patrimonial. Assim como revelar a previsão de quando a empresa terá que substituir o ativo e o valor que gastará na compra de um novo. E isso para que novos custos não façam com que a empresa tenha seu fluxo de caixa prejudicado.

Assim, o inventário faz a gestão do controle dos ativos da empresa e é fundamental para a gestão patrimonial. Com isso, o processo de inventário dos ativos se inicia pelo levantamento de todos os bens que a empresa possui. Após esse passo, é necessário identificá-los, seja por códigos de barra ou etiquetas RFID, para que toda a sua descrição e informações estejam em posse da empresa.

Saiba a taxa de depreciação dos ativos

Todo e qualquer bem tem uma taxa de vida útil que é informada pela Receita Federal. Ter conhecimento sobre essa taxa, que se chama taxa de depreciação, é algo que todas as empresas precisam conhecer.

Pois, com essa informação, há como os gestores saberem o tempo de utilização e quando será necessário trocar um bem. E tudo isso para que não haja nenhum impacto negativo na produção de bens e de serviços.

O Teste Impairment mostrará a desvalorização de um ativo

Para a gestão patrimonial também é muito importante que a instituição realize o teste Impairment. Esse teste, que também se chama teste de recuperabilidade, apresenta se um ativo está desvalorizado ou se ainda por gerar algum valor para a empresa.

Conclusão

Uma boa estratégia de gestão patrimonial pode ajudá-lo a aumentar suas economias e investimentos. Isto é importante porque quanto mais dinheiro você tiver, mais opções você terá para o futuro.

Uma estratégia financeira sólida o ajudará a alcançar seus objetivos para o futuro, como pagar a faculdade, comprar uma casa ou se aposentar confortavelmente. Com uma boa estratégia financeira, você pode fazer com que seu dinheiro trabalhe para você.

Você pode investir seu dinheiro para que ele cresça. Isto lhe permitirá ganhar um retorno sobre seu dinheiro para que você possa usar esse dinheiro mais tarde. Criar uma estratégia financeira não é uma tarefa difícil.

Com um pouco de pesquisa, você pode criar uma estratégia financeira que funcione para você. A partir daí, você pode acompanhar seu progresso e fazer os ajustes que forem necessários.

Além disso, não deixe de procurar pela ajuda especializada do grupo CPCON com as questões da gestão patrimonial. Por ser um processo mais complexo, contar com uma empresa com décadas de atuação e excelência em seus serviços é o que qualquer gestor precisa para realizar a gestão patrimonial.

Esse procedimento auxiliará, sejam gestores ou pessoas físicas, a reduzir e rever seus gastos e custos. Além de aproveitar as oportunidades de mercado por mostrar aos futuros investidores que eles podem e devem investir no negócio. Assim como conseguir administrar o patrimônio por possuir um planejamento preciso e consistente.

Gestão de ativos com RFID
5 2 votes
Avaliação do artigo
5 2 votes
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notifique-me
guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentarios
O impacto da falta de gestão de ativos no seu empreendimento
A gestão de ativos está diretamente ligada à governança corporativa e busca identificar, mensurar e controlar o ciclo de vida desses ativos nas organizações.
Informações Relevantes
Não perca o controle do seu inventario gerencie seus ativos de forma profissional com nossas ferramentas
Guia de Navegação
Mantenha-se atualizado
Torne-se PRIME

Se inscreva gratuitamente para ler nossos artigos, dicas e conteúdos exclusivos com prioridade.

Em destaque
Conteúdo Relacionados
Comitê de Pronunciamento Contábeis
CPC 08 e Custos em Emissão de Títulos

O CPC 08 tem por objetivo prescrever o tratamento contábil aplicável ao registro de custos incrementais incorridos em ações ou bônus de subscrição, na captação de recursos por meio de emissão de títulos de dívida e também em outros títulos patrimoniais de dívida.

Continuar lendo »
Conteúdo